Home Blog Análise técnica: como funciona?

Análise técnica: como funciona?

analise tecnica

Quem quer começar a realizar investimentos, precisa estar ciente sobre o mercado e entender quais são os movimentos das aplicações. Algumas pessoas fazem esse rastreamento através da análise técnica.

análise técnica é uma forma de entender as oscilações das ações através de uma análise de gráficos e de dados. Mas existem algumas resistências quanto a essa modalidade de estudo.

O que é análise técnica?

analise tecnica 1

A análise técnica é um método utilizado no mercado financeiro que tem como intuito descobrir quais são as tendências das ações.

No entanto, uma característica comum quanto à resistência desse tipo de análise é de que, as ações, não seguem uma linha contínua de valorização ou desvalorização.

Ou seja, não se deve basear em performances passadas para saber se determinada ação subirá ou cairá. Além disso, esse tipo de análise não é tão voltada para longo prazo.

A maior parcela de investidores que atuam com essa modalidade, são day traders.

O que é day trader?

Todos os dias pessoas entram e saem da Bolsa de Valores, vendem e compram ações. No entanto, não existe um único perfil dentro dessa realidade.

Por exemplo, algumas pessoas compram papéis (nome dado para ações) visando o longo prazo. Algumas, chegam a pensar em nunca se desfazerem daquele investimento, assim, focando o lucro para recebimento de dividendos.

Esses investidores são adeptos do “Buy and Hold“, uma estratégia que, na maioria dos casos, se baseia em análise fundamentalista e busca manter esses investimentos o máximo de tempo possível.

Ao contrário do “Buy and Hold”, existe o “Day Trade“, uma estratégia que foca em obter pequenos ganhos em operações rápidas.

Isto é, focando no curto prazo, investidores realizam aplicações com intervalos de minutos ou horas. Nesse caso, ocorre uma ‘compra e venda’ da ação, geralmente, no mesmo dia.

Dessa forma, é criada uma oportunidade para comprar ativos a “baixo custo” e vendê-los por um preço maior.

Por ser um movimento de maior risco, o day trade é mais direcionado para pessoas com maior capacidade de risco e com o perfil de investimento arrojado.

Quais são os tipos de análises de ações?

Além da análise técnica, existe a possibilidade de fazer uma análise fundamentalista.

Como falado anteriormente, esse tipo de acompanhamento é voltado para o longo prazo e possui algumas características particulares.

Análise fundamentalista

Ao contrário da análise técnica, a análise fundamentalista se baseia em fatores atuais que podem influenciar nos aspectos futuros. Ou seja, não procura se aprofundar em aspectos passados.

Esse tipo de modalidade estuda de forma aprofundada alguns fatores, como:

  • Economia;
  • Setor da empresa;
  • Mercado;
  • Potencial de rentabilidade.

A tendência é de que esse tipo de análise seja um pouco mais “demorada” e mais aprofundada. No entanto, grandes investidores como Luiz Barsi e Warren Buffett são adeptos e criam uma legião de seguidores fundamentados em resultados de longo prazo.

2 dicas de como fazer uma análise técnica

Existem alguns conceitos base para realizar uma análise técnica de ativos, algumas delas são:

1 dica: tendências

Como a análise técnica é baseada, primordialmente, em tendências. É por esse ponto que o analista deve começar. Esse o caminho possível para o preço de uma determinada ação.

Mas, não existe uma segurança quanto ao processo da tendência. Ou seja, nem sempre a história se repete.

Existem três tipos de tendências principais, são elas:

  • Variações para os lados;
  • Para baixo;
  • Para cima.

Isto significa dizer que, se um gráfico apresenta uma tendência otimista (tendência alta), um trader pode procurar oportunidades para lucrar com aquele movimento (comprar ações).

No caso oposto, pode ocorrer uma definição de determinada área e realizar a venda ou a descoberto (uma espécie de empréstimo das ações).

2 dica: movimentos

Já que a tendência é a direção que se imagina que a ação pode seguir, juntá-la aos movimentos é uma forma de identificar os “passos” daqueles ativos.

Por exemplo:

Uma ação pode sofrer uma queda durante um determinado período de tempo. E, depois disso, pode voltar a subir para, logo depois, tornar a se desvalorizar. 

Esse comportamento, se repetido ao longo do tempo, pode ser identificado como uma tendência baixa e o analista pode ter maior facilidade para identificar topos e fundos descendentes.

Ou seja, nessa situação, o movimento de queda é a tendência principal.

Quais os cuidados necessários para fazer análise técnica?

Se, dentre as opções, a melhor escolha de acordo com os seus objetivos financeiros for a análise técnica. Existem algumas maneiras de realizá-la com maior chance de acerto.

No entanto, é importante lembrar que, nem todos os investidores se adequam com esse formato. É importante saber sobre o seu perfil e conhecer também sobre os vieses do investidor.

Muitos levam em consideração apenas fatores técnicos, mas é válido ressaltar que somos humanos e estamos expostos a fatores emocionais que podem significar uma perda significativa de dinheiro.

Ou seja, você pode ter “todo o conhecimento do mundo”, se não for capaz de controlar as suas emoções, provavelmente, terá muitas dores de cabeça.

Então, além de estudar sobre as técnicas de monitoramento de ações, é preciso conhecer suas próprias características reativas e emotivas.

Vale a pena fazer análise técnica?

Desse modo, toda escolha de investimento e da análise que será adotada para acompanhar os seus movimentos, deve partir do conhecimento do próprio investidor.

Ou seja, não existe escolha certa ou errada. Claro, que algumas podem ser menos “danosas” do que outras. Mas isso também depende do ponto de vista.

Por isso, antes de optar por uma análise técnica, invista na maior capacidade de estudo possível sobre investimentos. Assim, as chances de dar um “passo em falso” são minimizadas.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *