Autofinanciamento: saiba como expandir seu negócio com capital próprio

autofinanciamento 2

A busca por expandir o negócio é um dilema diário de todo empreendedor, ainda mais quando o mesmo não deseja abrir seu capital para a bolsa de valores ou participar de financiamentos coletivos (equity crowdfunding). Para isso, uma alternativa é fazer o autofinanciamento.

O autofinanciamento funciona como uma técnica usada para alavancar projetos e empresas apenas com capital (próprio) do empreendedor ou da empresa, sem depender de investimentos externos ao negócio e nem de financiamentos com instituições financeiras.

Então, autofinanciamento é uma forma de investir o próprio capital gerado pela a empresa ou do empreendedor no seu negócio, serviço ou startup. É classificado como investimento não só o capital, mas também o tempo e demais recursos humanos.

Portanto, ele tem como premissa um upgrade do projeto e uma futura retroalimentação para reaver o valor investido através do lucro.

Como fazer um autofinanciamento?

autofinanciamento

O primeiro passo de um autofinanciamento é ter em mente um aprimoramento de parte do projeto atual ou uma ação que irá gerar retorno e crescimento para a empresa ou negócio.

A partir dessa ideia é possível buscar o autofinanciamento empresarial.

Uma vez iniciado autofinanciamento, deverá existir um direcionamento dos ganhos para a retroalimentação, ou seja, aumentar capital de giro para reinvestir, pagar as dívidas e retorno por lucro.

Visto que, somente através desse retorno, poderá se reaver aquilo que foi investido.

Geralmente, o autofinanciamento é composto pelos seguintes agentes:

  • Capital pessoal do empreendedor ou da empresa: é o capital proveniente dos ganhos e lucros da empresa ou o bootstrapping, um capital proveniente dos ganhos pessoais do empreendedor;
  • Equipe: time responsável por tocar o negócio. Alguns podem atuar como sócios ou parceiros e podem ser pessoas dispostas a iniciar um novo projeto ou melhorar parte já existente, sem ter um ganho imediato e correlato, mas sim, pensando no longo prazo;
  • Recursos humanos: investir além de recursos financeiros, mas também o tempo e dedicação de toda a equipe. Isso alimenta o negócio e posteriormente, será fonte geradora de retorno financeiro;
  • Fornecedores ou credito comercial: é aquele credito concedido à empresas sobre uma promessa de retorno em curto prazo. Ou seja, fornecedores podem ceder mercadorias e esperar o pagamento, por exemplo, dentro de um prazo de dois meses;
  • Venda de itens ociosos: consiste em vender o maquinário ou ativos para captação de recursos. Dessa forma, os itens que já não estão mais em uso dentro da empresa poderão ser vendidos e gerar dinheiro para serem reinvestidos;
  • Investimentos informais: aquele tipo de crédito obtido com pessoas próximas ao empreendedor, família, amigos e afins. É uma forma digna de capitalização e pode ser utilizado para impulsionar negócios, mas que requer forte compromisso.

Como obter mais lucros?

Como aumentar capital de giro? Como obter mais lucros? Esse processo de questionamento surge na hora do investimento em empresas.

No entanto, mais precisamente quando o capital em jogo é aquele que resultou do lucro da própria empresa ou é proveniente do empreendedor.

O bom planejamento evita que a empresa sofra um descontrole financeiro, além disso, proporcionando a obtenção de maiores lucros. Outros fatores que influenciam o lucro são os seguintes:

  • Calcular os custos fixos e despesas;
  • Conhecer o perfil dos clientes;
  • Tentar receber as contas e pendências à vista;
  • Repensar o gerenciamento de estoques e precificação, pois, impactará no valor final e possíveis prejuízos;
  • Olhar aquilo que funciona na concorrência em comparação com o método atual da sua empresa.

Quais as vantagens do autofinanciamento?

Para além do obter mais lucro, existem também algumas vantagens do autofinanciamento que podem influenciar diretamente no desenvolvimento de alguns negócios, entre as vantagens:

  • Crescimento e expansão da empresa: como o autoinvestimento é pautado em um objetivo tangível, então, ao efetuá-lo, será realizada uma ação que tem como objetivo expandir a empresa ou inicio de um projeto que retornará melhores lucros;
  • A empresa fica mais preparada para enfrentar a crise: uma vez que o dinheiro tomado para o investimento não provém de terceiros e por não estar endividada a empresa terá margem para novas negociações;
  • Possibilita novos investimentos: o valor investido tende a ser recuperado quando bem empregado e isso possibilita, novos investimentos ou um aumento no lucro ganho.

Por fim, o autofinanciamento é apenas um meio para atingir o objetivo e o crescimento de uma empresa. Deve ser utilizado com cautela, pois requer um planejamento prévio rigoroso e uma boa estratégia para que o negócio seja, de fato, impulsionado e o dinheiro aplicado seja recompensado. Para mais dicas como essa, assine nossa newsletter no WhatsApp!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos