O que é Blockchain? Entenda de vez!

blockchain1

Sem dúvidas, ao ouvir falar em Bitcoins e criptomoedas, você deve ter ouvido falar no termo “Blockchain”.

Bom, ao contrário do que a maioria acredita, a lógica do Blockchain é tão impressionante quanto a ideia das criptomoedas e pode trazer impactos inimagináveis para as finanças globais.

O que é Blockchain?

blockchain

Blockchain é, da forma mais simples possível, é um livro de registro (ledger) público distribuído e descentralizado, que guarda um histórico de informações digitais.

Portanto, cada block (bloco) que iremos nos referir ao longo do texto, é uma aglomeração de informações digitais.

A corrente (Chain) desses blocos (block), ou seja, a junção desses blocos forma o blockchain.

No entanto, para que você entenda melhor o conceito de blockchain, é interessante dividir esse bloco de informações em 3 partes.

  • Informações sobre transações;
  • Informações sobre quem participa das transações;
  • Informações que diferenciam os blocos um dos outros.

Informações sobre transações

Assim, o primeiro parte do bloco é o das informações sobre as transações.

Tempo, data e quanto você gastou em uma operação, por exemplo, são as informações válidas para esse bloco.

Exemplo: Hora, dia, tempo e quanto você gastou em compras da empresa “X”.

Informações sobre quem participa das transações

Já a segunda parte do bloco, refere-se a informações sobre quem participa das trasações.

No entanto, nas negociações que envolvem o blockchain, não é seu nome de fato que fica registrado, mas sim uma espécie de assinatura digital, como se fosse um usuário.

Exemplo: Sua compra na empresa “X”  ficaria registrada no bloco, a partir da sua assinatura digital

Informações que diferenciam os blocos um dos outros

Assim como existem “assinaturas digitais” que diferenciam cada participante, cada bloco guarda um hash.

Um hash, no caso dos blockchains, é um código único, que permite diferenciar o bloco de todos os demais.

Exemplo: Imagine que após a sua compra na empresa “X”, você volte a comprar novamente na mesma loja. Mesmo que as suas informações digitais sejam praticamente iguais, é possível diferenciar as compras (blocos) por conta dos seus códigos únicos.

Nos exemplo a cima, usamos o simples exemplo da empresa “X” que, na realidade, não utiliza o blockchain.

Na realidade, cada bloco, que faz parte de um blockchain, tem uma enorme capacidade de guardar informação, permitindo a realização de centenas de transações.

Como funciona o Blockchain?

Como dito anteriormente, blockchain consiste na aglomeração de múltiplos blocos.

Mas o que será que acontece quando um bloco é adicionado? perguntas como essa são essenciais para entender como funciona o blockchain.

Portanto, para que um bloco possa ser adicionado ao blockchain, 4 principais coisas precisam acontecer:

  • Transação ocorrer;
  • Transação verificada;
  • Transação registrada em bloco;
  • Transação deve receber um hash.

1. Transação ocorrer

Para que a explicação seja sempre didática, continuaremos com o exemplo da  empresa “X”.

Muito satisfeito com a empresa “X”, você retorna ao site da loja e faz uma nova compra.

2. Transação verificada

Após fazer a compra, a transação precisará ser verificada pelo sistema.

No caso do blockchain, essa verificação é feita por uma rede composta por diversos computadores ao redor do mundo.

Quando você compra algo na empresa “X”, a rede de computadores vai checar se a transação ocorreu do mesmo jeito que você disse.

Ou seja, a rede confirma a data, tempo de transação, participantes e quantos reais foram envolvidos na transação.

3. Transação registrada em bloco

Após a sua transação ser confirmada e autorizada, o dinheiro envolvido na transação, sua assinatura digital e a assinatura digital da empresa “X” são registrados em um bloco.

Logo, a transação vai ser inserida em uma corrente de blocos, com vários outros similares a este bloco.

4. Transação deve receber um hash

Como dito antes, se a compra for autorizada, um código único e particular (Hash).

Quando inserido em um blockchain, o bloco recebe também o hash de todos outros blocos que foram adicionados recentemente.

Uma vez com seu hash e integrado aos demais, o bloco já estará fazendo parte do blockchain.

Assim, que a transação estiver inserida no blockchain, a informação digital se torna pública e todos podem ter acesso.

Por exemplo, mesmo que você não possua Bitcoins, pode acessar o blockchain dessa criptomoeda e ter acesso a todo histórico das transações, com informações sobre tempo, lugar, quantidade e identidades.

Possibilidades de aplicação do Blockchain

No ambiente digital de negociações convencional, os dados podem ser copiados, alterados e trocados.

Com a tecnologia do blockchain, as cópias e alterações nos dados são praticamente impossíveis, restando apenas a utilidade de troca.

Desta forma, é nítido como o blockchain vem surgindo como alternativa interessante para compras e transações financeiras online.

Muitos, por associarem ao histórico dos meios de negócios digitais, não acreditam no potencial do blockchain.

No entanto, até o momento, o blockchain é um dos meios de troca de informação online mais seguros, podendo ser usado até para eleições.

No entanto, é interessante que você conheça as formas mais populares em que o blockchain vem sendo aplicado.

Criptomoedas

Sem dúvidas, a aplicação mais popular do blockchain é o caso das criptomoedas.

Moedas como o real são controladas e reguladas pelo banco central brasilero (BACEN), ou seja, fazem parte de um modelo centralizado.

Caso o país entre em crise econômica ou haja uma desvalorização cambial por qualquer razão, o brasileiro perderia seu poder de compra.

Os proprietários de bitcoins e das demais criptomoedas não tem esse tipo de preocupação, já que são 100% descentralizadas e operacionalizada por uma rede de computadores.

Além da descentralização, o uso de blockchains para as criptomoedas traz alguma outras vantagens:

  • Reduz burocracia de trocas;
  • Reduz impostos;
  • Segurança em transações online.

Bancos

aplicação do blockchain para os bancos é um misto de realidade e ideia.

Bom, é uma realidade porque muitos bancos já vem utilizando esta tecnologia para melhorar seus resultados.

Por outro lado, é uma ideia porque a maioria dos bancos ainda não usam, mas existe muitos argumentos para que utilizem.

Hoje em dia, se você quiser fazer uma transação após as 6 da noite, precisará esperar até o próximo dia para ver o dinheiro cair na conta.

Caso seja uma sexta feira, apenas na segunda feira será possível ter acesso ao recurso transferido.

Isso também pode servir para o mercado financeiro e para o mundo de investimentos.

A bovespa, por exemplo, no sistema atual, as operações funcionam das 9:30 às 17:00.

O blockchain, por sua vez, nunca para. Como é uma rede de computadores que estão sempre funcionando, os bancos e os correntistas não teriam mais esse problema.

Além disso, as operações bancárias ganhariam uma extrema agilidade. Em 10 minutos já seria possível realizar toda a transição.

Existem viárias outras vantagens, como:

  • Facilidade da portabilidade bancária;
  • Segurança em transações;
  • Redução de custos para o banco e aumento de receita.

Blockchain é o futuro?

Se blockchain é o futuro, o futuro é exatamente agora.

Milhares de negócios, independente do setor econômico, vêm utilizando essa tecnologia para otimizar suas atividades.

E, indubitavelmente, além dos benefícios para as empresas, existem diversas vantagens para o consumidor com a popularização da tecnologia do blockchain.

É importante que as pessoas não associem essa importante tecnologia as criptomoedas.

Afinal, não existe criptomoedas sem blockchain, mas existe blockchain sem as criptomoedas.

São inúmeras as oportunidades de inovações para possibilitar trocas com um nível satisfatório de segurança e agilidade.

Por isso, é muito importante entender do que se trata o blockchain e como ele pode impactar na nossa vida, nas empresas e no mundo em pouco tempo.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos