O que é uma bolsa de valores?

bolsa de valores 2

No Brasil, a caderneta de poupança e as demais aplicações de renda fixa sempre foram os investimentos mais procurados. No entanto, com a queda eminente da Selic, muitos investidores estão migrando para a bolsa de valores.

Pelo desconhecimento relacionado a bolsa de valores, muitos tendem a acreditar que investir nesse espaço não é seguro e é muito complexo.

Mas, na verdade, a bolsa de valores é um lugar com várias opções de investimentos, alguns mais seguros outros com maior potencial de rentabilidade.

Comumente, os investidores incitantes acham que só é possível investir em ações através das bolsas.

No entanto, outros ativos com diferentes perfis também são negociados na bolsa, como os ETFs e os FIIs, por exemplo.

Por isso, é muito importante que o investidor conheça mais a fundo a bolsa de valores, sobretudo a B3 (atual Bosvepa).

Conhecendo mais a fundo o propósito da bolsa e as oportunidades de investimentos que podem ser encontrados nesse meio, o investidor, sem dúvidas, conseguirá melhorar seus resultados.

O que é uma bolsa de valores?

Um bom ponto de partida é questionar-se o que é uma bolsa de valores?

A bolsa de valores recebe este nome porque é um local onde, originalmente, se negociava valores mobiliários.

No início, de fato, o principal ativo negociado eram pequenas partes de empresas, as famosas ações.

No entanto, hoje em dia, além das ações, são negociados diversos produtos, como:

Simplificando, podemos dizer que a bolsa de valores é o ponto de encontro entre os investidores que pretendem comprar e/ou vender ativos financeiro.

Mas, para que a bolsa de valores funcione plenamente, é necessário garantir regras de negociação, divulgando sempre informações relevantes para o investidor, afim de tornar o ambiente transparente e seguro para todos.

Como surgiu a primeira bolsa de valores?

É possível que, ao redor do mundo, muitos anos atrás, espaços análogos a bolsa de valores tenham surgidos concomitantemente.

A Europa, principalmente, que originou a industrialização e, consequentemente, o mundo capitalista que conhecemos, pode ser considerada a mãe das primeiras bolsas de valores.

Podemos dizer que, com configuração que conhecemos as bolsas de valores modernas, a primeira bolsa surgiu em Bruges, na Bélgica.

Ela era formada por um grupo de comerciantes e mercadores que se reuniam para negociar moedas, metais preciosos e até letras de câmbio.

Em sequência, várias outras bolsas surgiram na Europa. Mas, só no século XIX que começou a ser possível negociar ações de empresas através da bolsa.

Em 1817, em Nova Iorque, um grupo de 24 corretores lançaram a NYSE (New York Stock Exchange).

Através da NYSE, naquela época, eram negociados principalmente ações de bancos e empresas de seguro.

Qual a função da bolsa de valores para economia?

É intuitivo pensar que a bolsa de valores é interessante para as pessoas por conta de interesses privados.

O poupador que consegue juntar um excedente de sua renda se beneficia porque consegue proteger suas poupanças e ainda pode obter retornos.

E as empresas, por sua vez, a partir dos investimentos advindos da bolsa, conseguem expandir suas atividades e/ou investir em mais estrutura ou tecnologia.

Mas, sabendo disso, será que é possível implicarmos que a bolsa de valores exerce um papel com importante função econômica coletiva?

Um primeiro ponto que pode evidenciar um benefício coletivo gerado a partir da bolsa é justamente a expansão de vários negócios que, por consequência, podem empregar mais trabalhadores, aumentando a circulação de renda na região e reduzindo o desemprego.

A medida que os investidores analisam as empresas, acreditam no potencial de crescimento e do projeto da empresa, o investidor compra parte do capital social da empresa (ação), fornecendo recursos para a empresa expandir suas atividades.

Isto é interessante porque a grande maioria dos negócios sustentam seu crescimento com empréstimos em bancos e outras instituições, ou seja, capital de terceiros.

O capital advindo de investimentos em bolsa é capital próprio da empresa, afinal quem investe virá sócio do negócio.

Outra função, um pouco menos intuitiva mas muito importante, é que a bolsa reflete as expectativas do mercado sobre a economia.

Se existe uma expectativa de crescimento econômico de um país em determinado período, por exemplo, a bolsa de valores desse país tenderá a valorizar, como um todo.

Isso é muito importante, já que serve como um termômetro de expectativas sobre o rumo econômico de um país e/ou região.

Quais as principais bolsas de valores do mundo?

Com a popularização das bolsas de valores e a importância enxergada nesse espaço de investimentos, todos os países com economia estruturada possuem bolsas de valores.

No entanto, algumas economias e mercados conseguiram reunir o maior número de empresas e investidores.

Este é o caso das maiores bolsas de valores do mundo.

Entre as principais bolsas de valores do mundo, estão:

  • NYSE;
  • NASDAQ;
  • TSE;
  • SSE;
  • HKEX.

NYSE

NYSE é a bolsa de valores de Nova Iorque e é maior bolsa de valores do mundo.

Através da NYSE que são negociadas algumas das maiores empresas do mundo.

Em 2007, a NYSE fundiu-se ao Euronext, formando o NYSE Euronext, o primeiro mercado de capitais pan-atlântico.

Desta forma, a NYSE se consolidou como a bolsa de valores mais importante. Impactos sobre essa bolsa podem gerar desdobramentos para inúmeras outras bolsas ao redor do mundo.

NASDAQ

NASDAQ é a segunda maior bolsa do estados unidos e umas das mais importantes do mundo.

É conhecida mundialmente por ser a bolsa de valores de empresas de tecnologia.

Ações de empresas como a Google, Apple e Facebook são listadas na NASDAQ. Ou seja, podemos dizer que o potencial de crescimento das empresas listadas nessa bolsa é grandíssimo.

Mesmo ainda sendo menor que a NYSE, a NASDAQ tem o maior número de negociações por dia.

TSE

TSE (Tóquio Stock Exchange) é a principal bolsa de valores asiática e do seu país, Japão.

Possuí mais de 2000 empresas listadas e um total de valor de mercado de aproximadamente U$5 trilhões.

Enquanto para as bolsas americanas (NYSE e NASDAQ) o principal índice de desempenho e benchmark é o S&P 500, para a TSE o principal índice é o nikkei.

SSE

SSE (Shangai Stock Exchange), por sua vez, é a maior bolsa de valores da China, sendo uma das mais importantes do Ásia.

Como todos sabemos, a China é um dos países que mais cresceram no mundo nos últimos anos.

Por consequência, essa bolsa de valores recebeu muito investimento do mundo inteiro, entregando rentabilidades maiores que a média mundial para os investidores.

O principal índice do SSE é o SSE 180.

SEHK

SEHK (Stock Exchange of Hong Kong) é a bolsa de valores de Hong Kong, sendo uma das maiores da China.

A SEHK é a terceira maior bolsa da área, perdendo em valor de mercado para a TSE e SSE, respectivamente.

O principal índice da bola de Hong Kong é o Hang Seng Index.

Bolsa de valores no Brasil

bolsa-de-valores

É verdade que, a bolsa de valores aqui no Brasil, ainda não é uma referência, se comparada as demais listadas anteriormente.

Até mesmo entre os investidores, a bolsa de valores, ainda, não é o maior recipiente de investimentos, perdendo para títulos de dívidas do governo e caderneta de poupança, por exemplo.

No entanto, a B3 (Brasil, bolsa e balcão) vem crescendo, especialmente no ano de 2019.

O aparecimento da atual B3 surgiu em 2017, com a fusão da BM&FBOVESPA (antiga bolsa de valores) e CETIP (Central de Custódia e de Liquidação financeira de Títulos).

A regulação da bolsa de valores no brasil, acontece a partir da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Hoje em dia, temos aproximadamente 400 empresas listadas na B3, o que é muito pouco se comparado a países com uma economia tão relevante quanto a do Brasil.

Já o valor de mercado, é de mais de U$1 trilhão de dólares.

O número de empresas já não é grande, e grande parte deste valor de mercado esta concentrado entre as maiores empresas da bolsa.

O que traz para o investidor brasileiro algumas implicações:

  • Presença de empresas muito consolidadas, apresentando menos riscos e, normalmente, maiores distribuição de dividendos;
  • Muitas small caps, que são empresas com baixo valor de mercado. Neste caso, apesar de um maior risco, o potencial de retorno é muito maior.

Bom, o futuro econômico do Brasil e, consequentemente, o mercado de capitais brasileiro, estão sobre expectativas muito positivas.

Então, é provável que a B3, como um todo, cresça nos próximos anos, já que a uma nova expectativa de crescimento econômico para o Brasil e há um aumento de investidores que já estão escolhendo a bolsa de valores em detrimento de outros investimentos.

Como investir na bolsa de valores?

É provável que você saiba que não é possível ir diretamente na bolsa de valores e comprar papéis das empresas que deseja.

A forma mais prática de investir na bolsa de valores é através de corretoras ou bancos de investimentos.

Nos últimos anos, o número de corretora de valores vem crescendo rapidamente, o que torna a competitividade deste mercado ainda maior.

Consequentemente, com o aumento de competitividade, é possível encontrar melhores opções relacionadas a preço e serviço, para todo o tipo de investidor.

Após escolher a melhor corretora de investimentos, você poderá começar a investir em ações entre outros investimentos da bolsa de valores.

Para quem vai começar a investir e está no processo de desenvolvimento da renda, é interessante escolher a corretora que cobre menores taxas de corretagem.

Assim, você poderá investir na bolsa de valores, aproveitar as opções de investimentos disponíveis a um preço que não comprometa os seus aportes.

Conclusão

Como vimos, a bolsa de valores é um espaço de extrema importância para a economia.

Podemos até que a bolsa é um termômetro para as expectativas relacionadas ao mercado.

Além disso, com esse espaço, o investimento direto entre pessoas físicas e negócios torna-se mais eficiente.

Isso é, sem dúvidas, muito interessante para a economia de um país.

Imagine um país onde a maioria das pessoas são sócias das maiores empresas nacionais. Pois bem, esse cenário é muito favorável para o desenvolvimento econômico.

Por isso, é muito importante que a bolsa de valores brasileira se desenvolva e atraia cada vez mais investidores.

Por fim, é importante lembrar que investir na bolsa de valores não é arriscado, já que a sua rentabilidade dependerá do resultado de empresas, fundos e mercados sólidos.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos