Call e Put: descubra tudo sobre as ferramentas!

call e put

Existem tantas nomeações no mundo dos investimentos, que pode ser difícil entender o que cada coisa significa. Como no caso do call e put, muitos investidores podem ter escutado falar, mas também não terem entendido do que se trata.

Porém, ao conhecer os significados de ‘ferramentas’ como call e put, quem investe pode construir uma base de recursos maiores para entender e conseguir desenvolver boas estratégias de aplicações.

O que é call e put?

call e put 1

 

Antes de entender a função do call e put, é preciso primeiro entender o que são opções. As opções são direitos de compra ou venda que um investidor adquire sobre uma quantidade específica de ativos.

Assim, é possível negociar no mercado de opções sobre um preço, data e prazo pré-estabelecidos. Como o nome sugere, o comprador (titular) tem a opção de comprar (call) ou vender (put), o ativo da opção pelas condições ditas anteriormente.

Por sua vez, o vendedor (lançador), pode proporcionar ao comprador a opção ou tem o dever de vender ou comprar também pelas condições anteriores, caso o comprador opte por exercer ou não o seu direito.

Ou seja, quando se investe em opções, não se está aplicando diretamente no ativo, e sim no direito de compra ou venda sobre aquele determinado ativo.

Dessa forma, pode-se ou não exercer a opção, ficando a critério das partes envolvidas executar a ordem (caso seja vantajoso), ou simplesmente desistir do direito da opção.

Assim, “call” nada mais é do que a definição de compra e “put”, a definição de venda.

Um investidor pode exercer alguma dessas ações para  especulação ou de hedge. Algumas situações são básicas nas classes de opções:

  • Short call: venda de uma opção de compra;
  • Long call:compra de uma opção de compra;
  • Short put: venda de uma opção de venda;
  • Long put: compra de uma opção de venda.

Como funciona o mercado de opções?

Para facilitar o entendimento, imagina a seguinte situação:

Um investidor (José) está querendo investir em um lote (100 unidades) das ações VALE3, no momento esses papéis estão sendo negociados a R$50 a unidade.

No entanto, no momento José não tem recursos financeiros disponíveis para realizar a aplicação e trazer essa empresa para a sua carteira de investimentos.

Diante da situação, o investidor José teria duas opções:

  1. Desistir de investir, devido a falta de recursos;
  2. Ir para o mercado de opções.

No mercado de opções

Escolhendo a segunda alternativa, José pode comprar opções que garantirão que, em uma data futura, José terá o direito de adquirir o lote de ações pelos mesmos R$50 a unidade.

Então, se a opção estiver com o valor de R$10, José pode adquirir o direito de compra das ações da VALE3 por R$10 a unidade. No final de tudo, chegando a data de execução da opção, José pagará por cada ação o valor de R$ 60 (R$ 50 da ação + R$ 10 da opção).

Porém, algumas pessoas podem se perguntar: “por que José gastaria R$ 60 no total e não R$ 50?”.

A resposta é que, em um futuro próximo, as ações da VALE3 poderiam sofrer valorização e ultrapassar o valor de R$ 60.

Assim, o investidor estaria perdendo dinheiro.

No entanto, se chegar a data de finalização da opção e as ações da VALE3, ao invés de valorizarem, se desvalorizarem e chegarem a R$40, por exemplo, José pode simplesmente desistir da opção.

Nesse caso, ele perderia apenas R$10 pela unidade da opção que comprou e, no final de tudo, a ação sairia por R$50, ou seja, R$40 da ação em si + R$10 da opção.

Mesmo que ele não tenha exercido o poder de compra, a opção já foi solicitada, então o valor referente é descontado.

Ou seja, o mercado de opções dá o direito de exercer a compra/venda, mas isso não é uma obrigação. Portanto, se o investidor notar um movimento desfavorável na execução da opção, é possível desistir e comprar as ações no mercado comum de renda variável.

Como identificar uma opção?

Para identificar uma opção, basta observar o código da ação. Se tratando de opções, são identificadas com 5 letras e numerais, assim:

  1. As 4 primeiras letras significam à ação que aquela opção está sendo direcionada;
  2. A 5º letra significa o mês de vencimento da opção referente;
  3. Os numerais ao final do código, indicam o valor do exercício da opção (strike).

Identificação dos meses segundo a tabela:

Call (Opção de compra) Vencimento Put (Opção de venda)
A Janeiro M
B Fevereiro N
C Março O
D Abril P
E Maio Q
F Junho R
G Julho S
H Agosto T
I Setembro U
J Outubro V
K Novembro W
L Dezembro X

Por exemplo, uma opção da VALE, pode ser identificada por: VALEX20.

Significando: VALE (empresa), X (vencimento do put em dezembro), e 20 (o valor do exercício da opção.

Assim, para ajudar a entender os termos envolvidos no mercado de opções, tenha sempre em mente o minidicionário das opções.

Minidicionário das opções

  • Strike: preço pago para exercer a opção;
  • Ativo-objeto: ativo pelo qual a opção dá o direito de compra ou venda;
  • Titular: quem compra a opção;
  • Lançador: quem vende a opção;
  • Prêmio: valor pago pela opção.

Vale a pena investir em opções?

Da mesma forma, como qualquer outro investimento, o mercado de opções possui suas prós e contras. Tudo cabe ao investidor por buscar e analisar se esse formato faz sentido na sua estratégia de composição e diversificação de portfólio.

Então, algumas vantagens são:

  • Investir em qualquer tendência de mercado (alta ou baixa);
  • Alternativa para estar diversificando a carteira;
  • O valor das operações pode ser considerado menor se comparado a outas alternativas de aplicações.

Já, as desvantagens podem ser:

  • Risco de liquidez;
  • Possibilidade de perda referente ao preço do não exercício da opção;
  • Alto índice de volatilidade.

Por fim, o call e put são apenas alguns dos fatores que influencia no entendimento do mercado de opções. Por isso, é imprescindível que o investidor esteja ciente e busque sempre compreender mais sobre as atividades dentro do mundo dos investimentos.

 

Quais as vantagens de investir em opções?

Através do mercado de opções é possível ter como vantagem a possibilidade de investir em qualquer tendência do mercado, sendo ela alta ou baixa, além de ser uma alternativa para diversificação de carteira.

Quais as desvantagens de investir no mercado de opções?

Dentre as desvantagens do mercado de opções estão: o risco de liquidez e o alto índice de volatilidade.

O que significa Call e Put?

Call relaciona-se com a definição de compra e “put”, a definição de venda.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos