Home Blog Capital de Giro: o que é e por que é tão importante para os negócios?

Capital de Giro: o que é e por que é tão importante para os negócios?

capital de giro

Para poder atender a demanda dos consumidores e manter o funcionamento das atividades produtivas, todos os negócios precisam de um capital de giro.

Portanto, para todos que tem uma empresa ou desejam entrar no mundo do empreendedorismo, é imprescindível entender o conceito de capital de giro e como aplicá-lo a um negócio.

O que é capital de giro?

O capital de giro para empresa funciona como uma reserva de recursos que devem ser utilizados para suprir a demanda financeira da empresa ao longo do tempo.

Recebe este nome justamente por ser o capital responsável por fazer o negócio girar (funcionar).

Esse recurso é fundamental para a tomada de decisão do negócio, já que engloba o momento de compra de uma matéria prima até o recebimento do pagamento de produtos vendidos.

Isto é, o capital de giro proporcionara para a empresa:

  • Recursos para financiar vendas a prazo;
  • Manter os estoques;
  • Pagamento de fornecedores, impostos e outros custos operacionais.

Como calcular o capital de giro necessário?

capital de giro

É fácil entender que toda empresa precisa de recursos disponíveis para pagar as pendências financeiras, mesmo que não ocorra novos recebimentos no período.

O problema é: muitos empresários têm dúvida de como calcular capital de giro necessário para a empresa.

Primeiramente, é necessário uma ótima gestão e controle financeiro, sempre registrando as informações e dados importantes relativos às finanças empresariais.

A partir disso, é necessário que seja levado em consideração o prazo médio de pagamento do seu negócio.

Por exemplo, se 50% dos pagamentos aos seus fornecedores são feitos a vista e os outros 50% em um prazo de 90 dias, seu prazo médio de pagamento é igual a 45 dias.

Depois disso, calcule também o seu prazo médio de recebimento.

Imagine que 50% dos seus clientes pagam as compras a vista e os outros 50% pagam as contas em um prazo de 180 dias. Neste caso, o seu prazo médio de recebimento é de 90 dias.

No exemplo acima, existe uma lacuna de 45 dias que separa o seu prazo médio de pagamento e de recebimento.

Ou seja, você precisa de recursos suficientes para financiar 45 dias de atividade do seu negócio. Este recurso será o seu capital de giro.

Agora para saber qual o capital de giro necessário exatamente, basta calcular seu custo médio diário.

Para isso, basta encontrar todos os seus custos fixos mensais, somar ao valor de uma estimativa mensal dos custos variáveis e dividir esta soma por 30 dias.

Agora basta multiplicar o seu custo médio diário pelos 45 dias “sem recebimento”, e você terá o seu capital de giro necessário.

Dicas para otimizar o capital de giro

É interessante que o capital de giro do seu negócio seja otimizado, para que os recursos excedentes sejam usados para reinvestimento e não somente para financiar as atividades produtivas.

1. Corte custos

É importante ter na ponta da caneta todos os custos, sejam eles fixos ou variáveis, e cortar todos que não forem realmente necessários.

Dessa forma, o capital de giro necessário será menor, aumentando a sua capacidade de gerar lucro e investir na empresa.

2. Antecipar pagamentos a receber

Algumas instituições financeiras trabalham com antecipação de pagamentos a receber. Como é uma certeza de que você receberá os pagamentos, os juros dessa operação tendem a ser baixos.

Para alguns negócios pode valer receber um pouco menos para ter os recursos rapidamente disponíveis.

3. Negocie com fornecedores e consumidores

Todo empresário e empreendedor deve ter o poder da persuasão e negociação.

Portanto, é importante negociar os prazos de pagamento com os fornecedores, tentando deixar a situação mais confortável possível para a sua empresa.

O mesmo deve ser feto com seus clientes, tentando sempre agilizar o recebimento.

Tentar reduzir a urgência de um alto capital de giro é interessante para que o negócio seja cada vez mais lucrativo e utilize os recursos excedentes para reinvestimentos. Mais conteúdos de educação financeira? Inscreva-se no nosso WhatsApp!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *