Home Blog Tive meu cartão clonado, e agora?

Tive meu cartão clonado, e agora?

cartao clonado 2

Pode ser muito frustrante ter o seu cartão clonado e ser cobrado por uma dívida que você não fez. Por isso, a legislação protege o(a) titular do cartão, possibilitando que ele realize o reembolso daquela compra.

Um cartão clonado funciona da mesma forma que um cartão normal. Porém, mediante a uma vulnerabilidade ou comprometimento dos seus dados, o fraudador acessa as informações vitais do seu cartão e as utiliza para fazer compras e dívidas.

O cartão clonado é uma forma de fraude em que o seu cartão é roubado e utilizado para compras indevidas ou práticas ilícitas, das quais você não solicitou e só percebe quando chega a fatura.

Como funciona a clonagem de cartão?

Entender como funciona a clonagem de cartão, requer a consciência de que ele parte de diversos fatores, entre eles:

  • A falta de segurança de alguns sites de compra na internet;
  • O desconhecimento de algumas pessoas sobre as plataformas online;
  • A corrupção de algumas instituições ou pessoas e indivíduos criminosos.

Por isso, criminosos conseguem roubar seus dados e clonar o seu cartão.

Algumas medidas podem evitar esse tipo de falcatrua, veja mais adiante no artigo.

O que fazer com o cartão clonado?

Uma dúvida crucial no momento que descobriu a fraude é: o que fazer com o cartão clonado ou o que fazer se meu cartão foi clonado.

Bom, se isso aconteceu com você, siga estes passos:

  1. Ligue para a instituição do seu cartão, avise que você não realizou essas compras e peça o estorno da compra no cartão.
  2. Antes de ligar, lembre-se: anote o número de protocolo da ligação e saiba quais compras foram, de fato, suas e quais não.
  3. O próximo passo é pedir o cancelamento do cartão (caso não estorne, siga os passos a seguir).
  4. Estornando ou não, você deve registrar um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima da sua casa (alguns estados oferecem a opção de registrar um boletim online, então, fica a dica).
  5. Se o provedor do seu cartão não estornou a sua compra e não resolveu, procure os órgãos responsáveis: o PROCON (para denunciar a provedora e a compra indevida), o Serasa (para evitar que seu nome fique sujo) e a justiça em última instância.
  6. Entre com uma ação no juizado de pequenas causas Se necessário. busque auxilio de um advogado(a).

Como descobrir se meu cartão foi clonado?

Lamentavelmente, não tem outro jeito de descobrir se o cartão foi clonado até o momento do seu uso indevido.

Geralmente, os bancos e instituições detectam que houve compras estranhas ou indevidas e bloqueiam o cartão.

Entretanto, para a vítima em questão, isso só fica visível quando você acessa sua fatura e detecta o que foi fraudado.

O primeiro sinal são compras estranhas ou que você não se recorda de ter feito. No geral, os valores variam, então confira minunciosamente sua fatura para não deixar nada despercebido.

É importante se ater as datas e locais de onde foi realizada a compra aquela compra indevida, pois isso poderá ser usado na justiça ao seu favor. Como exemplo disso, temos casos onde o dono do cartão reside em um local e a compra foi realizada a muitos quilômetros dali.

Como evitar que meu cartão seja clonado?

Bem, infelizmente, não existe uma maneira concreta de evitar a clonagem de cartão.

Porém, você pode tomar algumas precauções que vão prevenir que você seja um alvo fácil desse tipo de fraude e eventualmente te ajudarão a não ter o cartão clonado.

Entre as precauções mais essenciais, estão:

  • Tenha cuidado ao comprar algo no exterior ou do exterior. Aqui no Brasil, temos uma tecnologia nos nossos cartões que dificulta a ação de certos esquemas de clonagem de microchips. Porém, em alguns países do exterior, essa tecnologia não é comum.
  • Tenha cautela ao fazer compras online: busque sites que tenham proteção “SSL” (Secure Sockets Layer), uma tecnologia de criptografia de dados que torna mais difícil o comprometimento de dados por hackers, uma vez que, mesmo o site seja invadido, seus dados são inutilizados por conta da criptografia.

Assim, você evita ter o seu cartão clonado pela internet.

Para identificar esse tipo de site seguro, verifique se o começo do endereço do site tem “https”. Lembre-se, tem que ter um “S”. Além disso, verifique se ao der um clique ao lado do site tem um ícone de cadeado.

Portanto, tenha em mente que qualquer cobrança relativa tarifas e taxas provenientes da clonagem, assim como seu nome sujo, podem e devem ser revertidos.

Entender o que deve ser feito nessas situações faz parte do processo de educação financeira para evitar todos os prejuízos e gastos desnecessários.

Agora que você já sabe o que fazer, busque o ressarcimento ou estorno dessa dívida e procure a Serasa para limpar o seu nome.

Por fim, em alguns casos você pode recorrer por danos morais sofridos por conta do cartão clonado e se levar isso para a justiça, poderá receber uma compensação. Para mais conteúdos sobre finanças, inscreva-se no nosso Whatsapp.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *