Home Blog CEAB3: vale a pena investir na C&A?

CEAB3: vale a pena investir na C&A?

ceab3

A C&A (CEAB3) direciona suas atividades para o varejo brasileiro de moda e serviços financeiros, sendo uma das marcas mais conhecidas do Brasil.

As ações da C&A (CEAB3) integram parte da bolsa de valores brasileira. Portanto, elas podem ser uma opção para investidores que consideram esse mercado uma boa oportunidade.

O que é a C&A (CEAB3)?

A CEA Modas (CEAB3) é uma empresa do varejo que atua com moda e serviços financeiros. A empresa vende produtos como, por exemplo, roupas, acessórios, celulares e eletrônicos.

Fundada em 1981, a empresa realizou sua Oferta Pública Inicial (IPO) em 2019. A empresa vende suas ações na B3 pelo ticker CEAB3. Na bolsa de valores, a empresa possui 106.394.635 ações gerenciadas, sendo 24,33% destas em free float.

Além dela, outras companhias fazem parte do setor de vestuário, sendo elas, por exemplo, a Lojas Renner (LREN3) e a Arezzo (ARZZ3).

  1. Lojas Renner: a empresa centraliza suas atividades na fabricação e comercialização de roupas, além de itens de utilidades domésticas;
  2. Arezzo: a empresa integra o setor varejista brasileiro, oferecendo produtos como calçados, bolsas e acessórios.

Devido a importância da C&A (CEAB3) para o mercado de investimentos, é interessante compreender a história da companhia e seu modelo de negócio.

O que faz a C&A (CEAB3)?

A principal atividade da C&A (CEAB3) é venda de roupas, cosméticos e produtos eletrônicos. Entre os produtos da empresa, estão, por exemplo:

  • Vestuário, calçados e demais acessórios para o público masculino, feminino e infantil;
  • Cosméticos para corpo e banho, produtos para o cabelo, maquiagem, perfumes, entre outros;
  • Eletrônicos como notebooks, smartphones, tablets e uma linha gamer;
  • Produtos para decoração interna e para o mundo Pet.

Além disso, a empresa participa do setor financeiro atua junto ao Banco BradesCard. Sendo assim, através dele, a empresa oferece aos consumidores uma série de produtos e serviços, como:

  • Emissão e administração do Cartão C&A;
  • Empréstimo pessoal;
  • Seguros.

Como a C&A (CEAB3) atua?

A C&A tem atuação no Brasil e no mundo. São 1,8 mil lojas em 24 países da Europa, América Latina e Ásia.

Uma das campanhas mais lembradas da empresa foi a AbuseUse C&A, estrelada pelo bailarino Sebastian. Além disso, a companhia associou a sua imagem à modelo Gisele Bündchen, mais recentemente.

Outro ponto importante de atuação é a produção consciente. A empresa se destaca como pioneira em sustentabilidade, com o objetivo de oferecer um impacto positivo para a marca.

Por exemplo, o Centro Histórico de Porto Alegre, tem um projeto que faz parte desse tipo de iniciativa: a Loja Eco.

As ações da C&A (CEAB3): onde e como negociar?

O ticker da C&A (CEAB3) é vendido na bolsa de valores brasileira. É possível comprar ações da companhia através de uma plataforma digital, isto é, o home broker.

Em primeiro lugar, a empresa possui ações ordinárias (CEAB3 ON), as quais ofertam voto durante as assembleias empresariais.

Sendo assim, para comprar ações da C&A, é preciso abrir uma conta em uma corretora de valores, que esteja credenciada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Depois de feito isso, você deve fazer uma transferência TED, com o valor direcionado para o investimento. Em seguida, você poderá escolher ações da C&A, referidas como CEAB3.

Características das ações da C&A (CEAB3)

CEAB32

Considerada uma Small Cap, a C&A participa do índice SMLL (Índice Small Caps) com 0,43%.

A classificação setorial da C&A (CEAB3), segundo as informações disponíveis na B3, é: Consumo Cíclico / Comércio / Tecidos. Vestuário e Calçados.

Seu segmento de listagem na bolsa de valores é o Novo Mercado, que busca priorizar empresas com boa governança corporativa e alta transparência.

Por último, suas ações oferecem tag along de 100% ON, além de free float de 24,33%.

História da C&A

A história da C&A começa na Holanda, no ano de 1841. Entre 1890 e 1900, a empresa começa a se especializar em roupa pronta a vestir.

A primeira grande expansão ocorre no ano de 1893, com a abertura da loja de Amsterdã. Já em 1911 é a primeira expansão internacional, em Berlim. A C&A introduz preços fixos e uma garantia de um ano.

Entre a década de 20 e 30, a C&A institui a compra e troca em dinheiro. Além disso, disponibiliza moda pra Homens, Crianças e Senhoras “sob um mesmo teto”.

Em 1941, a C&A lança o conceito de self-service. Já em 1948, a empresa abre a primeira loja nos EUA; A C&A cria padrões pra formação dos colaboradores, centrando-se na satisfação do cliente, em 1952. Em 1963, abre a 1ª loja na Bélgica e lança a moda de praia.

Em 1967,  Twiggy cria projetos de moda pra C&A. Na década de 70, a empresa se expande para, por exemplo, a França, Suiça, Espanha, Brasil e Japão. Na década seguinte, abrem lojas em Luxemburgo e Áustria.

Em 1990 é abolido o comércio de peles em todas as lojas C&A. Em 1995, a C&A determina um Código Ético de Conduta pra todos os seus fornecedores.

Século 21

Em 2005, abrem as primeiras lojas C&A XL. Além disso, a empresa chega na Rússia. A loja online é inaugurada no final de 2014 no Brasil.

Já em 2016, é feito o lançamento do Clique & Retire. No ano seguinte, em 2017, ocorre a introdução do novo conceito de lojas CVP – Customer Value Proposition.

Em 2019, a C&A realizou sua Oferta Pública Inicial de ações. A companhia ingressou na B3 no segmento Novo Mercado, de mais alto grau de governança corporativa.

Em 2020, dois terços dos artigos de vestuário das coleções C&A são fabricados a partir de materiais sustentáveis, incluindo algodão 100% proveniente de fontes mais sustentáveis. Além disso, é aberta a 1ª loja na República Tcheca e México.

Por fim, a empresa zera as descargas de substâncias químicas perigosas (ZDHC) em redes de fornecimento também nesse ano.

Linha do tempo da C&A

  • 1841: Criação da C&A, na Holanda;
  • 1890-1900: Especialização em roupa pronta para vestir;
  • 1893: Abertura da loja de Amsterdã;
  • 1911: Abertura de loja em Berlim;
  • 1920-1930: Compra e troca em dinheiro; Moda para Homens, Crianças e Senhoras;
  • 1941: C&A lança o conceito de self-service;
  • 1948: Primeira loja nos EUA;
  • 1963: Abertura da 1ª loja na Bélgica e lançamento da moda de praia;
  • 1967: Twiggy cria projetos de moda pra C&A;
  • Década de 70: Expansão da loja para França, Suíça, Espanha, Brasil e Japão;
  • Década de 80: Abertura de lojas em Luxemburgo e na Áustria;
  • 1990: Fim do comércio de peles em todas as lojas C&A;
  • 1995: Criação do Código Ético de Conduta pra todos os seus fornecedores.

Século 21

  • 2005: Primeiras lojas C&A XL. Chegada da empresa na Rússia;
  • 2014: Lançamento da loja online;
  • 2016: Lançamento do Clique & Retire;
  • 2017: Introdução do novo conceito de lojas CVP – Customer Value Proposition;
  • 2019: C&A realiza sua Oferta Pública Inicial de ações;
  • 2020: Maior parte dos artigos de vestuários são fabricados com materiais sustentáveis, além disso, a empresa zera, por exemplo, as descargas de substâncias químicas perigosas (ZDHC) em redes de fornecimento.

Como ganhar dinheiro com as ações da C&A (CEAB3)?

ceab33

Há no mercado de ações algumas maneiras de adquirir lucros com os papéis negociados na bolsa de valores.

O investidor, por exemplo, pode ganhar dinheiro através da venda de suas ações por um valor superior ao custo anterior, prática adotada por um trader. Mas essa é apenas uma forma de investir.

Sendo assim, antes de realizar o investimento deve-se definir seu perfil investidor e seus objetivos financeiros.  Portanto, uma das formas é considerar a busca pela diversificação da carteira de ativos, realizando investimentos em renda fixa e renda variável.

Por fim, recomenda-se que o acionista analise a liquidez, segurança e rentabilidade das ações antes de efetuar a compra.

Isso porque priorizar alta liquidez ou rentabilidade depende do investidor. Afinal, é possível comprar ações para o curto, médio ou longo prazo de tempo.

Vale a pena investir na C&A (CEAB3)?

A C&A se destaca no seu setor do mercado, inclusive, levando alguns prêmios pelo seu desempenho. Entre eles, estão as suas premiações no ECO Amcham 2018, com destaque ao projeto de logística reversa (ReCiclo). A empresa tem como ponto positivo suas práticas sustentáveis.

No entanto, trata-se de uma companhia que entrou há pouco tempo no mercado de ações e ainda não apresenta um histórico concreto, o que pode ser negativo. Além disso, a empresa apresenta um alto nível de endividamento.

Portanto, é interessante fazer uma análise fundamentalista antes de decidir comprar ações da empresa.

Dessa forma, será possível garantir que as aplicações financeiras estão sendo realizadas de forma mais segura, seja com C&A (CEAB3) ou com outra companhia da bolsa de valores.

A C&A é small, medium ou large cap?

A empresa é uma Small Cap avaliada em R$4,075 milhões em 2020.

Qual é a classificação setorial da C&A?

A classificação setorial da C&A é Consumo Cíclico / Comércio / Tecidos. Vestuários e Calçados.

A C&A realiza o pagamento de dividendos?

No mercado de ações desde 2019, a empresa não tem histórico de pagamentos recorrentes de dividendos.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *