Home Blog Certificações financeiras: conheça as principais do mercado

Certificações financeiras: conheça as principais do mercado

certificacoes financeiras

Se você gosta de finanças e investimentos, mesmo que ainda esteja aprendendo ou em busca de certificações financeiras, saiba que você tem uma carreira muito promissora nas mãos, só precisa saber como aproveitá-la.

As certificações financeiras funcionam como uma forma de reconhecer os profissionais que atuam no mercado financeiro. Geralmente, esse tipo de validação vem por meio de exames.

O que é uma certificação financeira?

Para virar um profissional do mercado financeiro, um educador ou até mesmo analista, é necessário uma certificação que viabilize e legitime a prática financeira.

O analista, por exemplo, para que possa fazer indicações de investimentos, deve possuir uma certificação financeira.

Claro, para algumas profissões do mercado financeiro, por mais que ainda não prescritas em lei, já é um senso comum a necessidade de uma formação ou algo que reconheça sua integridade e permita uma prática mais sadia da profissão.

Inclusive, não há uma limitação ou restrição nesse caso. Qualquer pessoa pode se tornar um profissional do mercado financeiro, desde que trilhe sua formação financeira corretamente.

Como funciona o mercado brasileiro de educação financeira?

O BNCC (Base Nacional Comum Curricular) acaba de receber a inclusão da Educação Financeira nas escolas como pauta obrigatória, o que é uma ótima notícia.

Nossa geração não recebeu educação financeira na sua base escolar, nem familiar, e isto é obvio e decorrente também de fatores históricos como:

Os motivos para não poupar dinheiro eram imensos, e a carência por pequenos luxos faz com que, na primeira recuperação financeira, a maioria das famílias se endividem sem nenhum planejamento.

Mesmo assim, a inclusão da Educação Financeira no BNCC já é um forte indício de que estamos caminhando para uma população mais consciente de que precisa cuidar do dinheiro.

Fatos relevantes para a educação financeira brasileira:

  • O número de brasileiros cadastrados na bolsa de valores está crescendo;
  • Alta no número de influenciadores digitais falando sobre o tema começa a crescer.

Estamos passando por uma mudança no mercado financeiro e a questão que poucos perceberam é: se nossa população adulta também não foi educada financeiramente, quem vai ensinar essa disciplina para os alunos?

Para essa tarefa, um profissional com a formação adequada é o ideal.

A figura do educador financeiro no mercado brasileiro

certificacoes financeiras 3

Pessoas podem ajudar outras pessoas a enxergarem a educação financeira como a saída para muitos dos seus problemas.

Nesse quesito, aquele que ensina pode ser visto como um empreendedor, alguém que empreende a si e ensina outras pessoas nesse processo.

Como empreendedor, sua renda não terá limite, já diria o Robert Kiyosaki em seu quadrante.

Mas estaria o Brasil pronto para absorver a demanda absurda de pessoas que precisam melhorar a sua gestão com o dinheiro? Não. Ainda faltam bons profissionais.

As dificuldades de ser um educador financeiro

Vender educação, em um mundo com tanta informação gratuita, é um desafio.

Muitos educadores financeiros, especialmente os que estão começando, precisam urgentemente aprender como lucrar com essa profissão.

Veja, não há problema em lucrar com educação. Inclusive, você estará ajudando pessoas com problemas financeiros reais, nada mais justo que ser recompensado por isso.

Porém, você precisa aprender a monetizar melhor essa profissão.

É possível ganhar dinheiro como educador financeiro?

O sucesso do seu plano como educador financeiro passa pelo entendimento de 4 vertentes superimportantes:

  1. Distribuição;
  2. Persuasão;
  3. Presença digital;
  4. Produção de conteúdo;

1º) Distribuição:

Nem tudo é o Instagram (o mesmo é válido para outras redes sociais). Existem diversos canais de atuação e estratégias de captação de clientes, inclusive offlines.

Na Empreender Dinheiro, por exemplo, mapeamos dezenas de canais de atuação para lidar com essa carreira antifrágil e uma estratégia em cada um deles, assim como fizemos nossas primeiras vendas sem nenhuma presença digital.

Um bom exemplo disso foi a nossa abordagem individual em alguns clientes, vendas consultivas e até mesmo a prática do cold calling.

Baseado nessas vivências, desenvolvemos até o nosso próprio método.

2º) Persuasão:

A habilidade de persuadir e influenciar pessoas é decisiva na hora da venda.

Evidentemente que, antes de tudo, você precisa se convencer de que o que você tem a oferecer é bom para a vida das pessoas, mesmo que elas não saibam disso ainda.

Por isso, é muito comum que elas neguem o que você oferece.

Você precisa fazer com que elas entendam a importância, urgência e benefícios do que você oferece.

Aplicar Persuasão às vendas da Empreender Dinheiro foi uma maneira concreta de atingir mais sucesso financeiro.

3º) Presença Digital:

Não é necessário começar por aqui, mas com o tempo o seu negócio vai pedir.

É o caminho mais natural. Com o uso inteligente da internet você tem diversas vitrines do seu produto e de você.

Além disso, aqui está o poder da escala: vender para muitas pessoas ao mesmo tempo com uma única prestação de serviço.

Você também precisa entender como fazer isso:

  • Quais plataformas?
  • O que você vai precisar aprender para produzir?
  • Qual formato?
  • Qual a frequência de produção de conteúdo?

4º) Produção de Conteúdo:

Lembre-se: o educador atua como um tradutor. Torna o difícil, fácil. Esse deve ser o seu objetivo.

Quando você consegue fazer alguém entender algo que não sabia antes, dependendo da relevância dessa informação, algo pode mudar na vida dela.

Além disso, sua relação com essa pessoa também muda: ela passa a ter por você um sentimento de gratidão, passando a te considerar uma autoridade naquele assunto.

Isso tudo facilita o processo de vendas. Todo o seu serviço deve ser planejado e pensado para causar mudanças.

Existe técnica para isso também, você pode aprender, mesmo sem ser professor.

Por vezes, algumas certificações financeiras te permitem criar repertório para esse passo.

Após um tempo, se estes passos forem bem executados, pode acontecer com você o que aconteceu comigo: essa carreira pode virar uma empresa.

Neste caso, outras habilidades serão exigidas:

  1. Formação de time;
  2. Gestão de pessoas;
  3. Liderança;
  4. Processos;
  5. Ferramentas.

Fora isso, você pode querer começar pelas certificações financeiras (ou até mesmo certificações bancárias), elas te ajudam a se formar como um educador e te munem com conhecimento e por vezes, autoridade.

Quais certificações financeiras devo fazer?

certificacoes financeiras 2

Existem diversas certificações. Porém, algumas já apresentam uma certa notoriedade social.

Entre as mais buscadas certificações financeiras:

  • CPA-10;
  • CPA-20;
  • CEA;
  • CGA;
  • CFP;
  • CFEd;
  • CNPI.

CPA-10

CPA-10 é a sigla da Certificação Profissional Anbima série 10. Ela é direcionada para quem deseja atuar na venda de produtos financeiros e investimentos.

Além disso, serve também para pessoas físicas e jurídicas que desejam prospectar clientes para a questão dos investimentos.

CPA-20

CPA-20 é a sigla da Certificação Profissional Anbima série 20. Ela é direcionada para quem deseja atuar na venda de produtos financeiros e investimentos.

Porém, também serve para os que almejam a montagem e manutenção de carteira de investimentos relacionados a:

  • Private Banking;
  • Corporações;
  • Investidor institucional;
  • Varejo de alta renda.

CEA

Essa é mais uma certificação da Anbima e é direcionada para profissionais que almejam assessorar investimentos, gerentes e contas de pessoas físicas/jurídicas.

O CEA é a sigla da Certificação de Especialista em Investimentos Anbima, ela permite não somente assessoria, mas também a própria indicação de produtos de investimentos.

No caso, a grande diferença entre as certificações Anbima se dá por meio da atuação profissional.

Profissionais com o CEA apresentam um leque mais abrangente, visto que esse certificado contempla as funções do CPA-10 e CPA-20.

CGA

CGA é a sigla da Certificação de Gestores Anbima. Essa formação é direcionada para quem deseja atuar como um gestor profissional, gerir fundos e recursos de terceiros.

Ela é direcionada especialmente para investidores que buscam fazer um family office, asset e demais questões de gestão que envolvem o patrimônio de outras pessoas.

CFP

CFP é a sigla do Certified Financial Planner. Essa formação é direcionada para quem deseja atuar em diversas áreas do mundo financeiro e dos investimentos.

Por exemplo, você como CFP poderá realizar:

  • Planejamento financeiro;
  • Gerenciamento de riscos;
  • Seguridade;
  • Questões fiscais;
  • Questões sucessórias.

Por vezes, não basta o profissional apenas conhecer os produtos financeiros existentes.

É preciso planejar financeiramente os investidores e clientes, de acordo com seus objetivos financeiros, realidades e necessidades.

Para quem busca atuar nesse mercado, a CFP é uma formação válida.

CFEd

CFEd é a sigla do Certified Financial Educator, foi criada em 2019 pela Empreender Dinheiro, a primeira escola de transformação financeira no Brasil. Seu principal objetivo é formar novos profissionais e educadores financeiros plenos.

Essa é uma formação voltada para quem deseja atuar como multiplicador e educador financeiro.

Além disso, seu intuito é:

  • Ensinar a ajudar pessoas a começar a investir;
  • Sensibilizar sobre a importância da educação financeira (algo que falta de base no Brasil);
  • Instruir tecnicamente para primeiros passos financeiros;
  • Ensinar organização de poupança e reserva de emergência;
  • Refletir e auxiliar pessoas a montar seus investimentos para objetivos de curto, médio e longo prazo;
  • Dar autonomia para que as pessoas planejem o seu sucesso na estrada financeira.

Está é uma certificação financeira reconhecida pelo MEC, como formação de extensão. O educador financeiro que se formar através dela poderá atuar também com:

  1. Palestras;
  2. Minicursos;
  3. Cursos Digitais e presenciais;
  4. Consultorias individuais (ou em grupo);
  5. Treinamentos (em empresas e escolas).

Seu viés é a educação, não é uma formação de gestores financeiros.

Por isso, o intuito não é tomar decisões pelo cliente, mas sim muni-lo com educação para que possa tomar melhores decisões financeiras.

CNPI

CNPI é a sigla para Certificado Nacional do Profissional de Investimentos. Este é um certificado obrigatório para quem atua como analista de valores mobiliários (ações, fundos, etc).

No caso, o certificado é requisitado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas é desenvolvido pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec) com intuito de formar analistas.

Estes analistas podem atuar com:

Além disso, este tipo de certificação é disponibilizado em dois vieses, um é o CNPI para análise fundamentalista e o outro é o CNPI-T para análise técnica.

Por fim, as certificações financeiras são etapas importantes na vida de um educador financeiro. Você pode começar com pouco e não precisa atuar fortemente no digital, mas é preciso ter um método a seguir, algo que te guie e ajude a trilhar sua carreira financeira mais facilmente.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *