Home Blog Cobrança de bagagem: como funciona?

Cobrança de bagagem: como funciona?

cobranca de bagagem 2

A educação financeira permite tomar decisões que impactam diretamente nas suas finanças. Através dela você pode conhecer, por exemplo, a cobrança de bagagem, o que é válido, como economizar nessa hora e demais dicas. A  cobrança de bagagem é algo que tem mudado a rotina de quem viaja de avião, visto que a mala é uma necessidade básica dos viajantes.

A Anac é responsável por regularizar a cobrança de bagagem. Após as novas regras estabelecidas, houveram mudanças quanto ao preço, quantidade de volumes e peso nas malas.

A cobrança de bagagem foi iniciada com a promessa de que iria ajudar a diminuir o preço das passagens. Entretanto, os valores para o consumidor só fazem aumentar.

Como funciona o despacho de bagagem?

cobranca-de-bagagem-2

De acordo com as regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as empresas podem oferecer o serviço de mala despachada não vinculado às passagens.

Dessa forma, o cliente que possui malas além da bagagem de mão, paga taxas que variam em cada empresa aérea.

Anteriormente, o cliente possuía a gratuidade no despacho de bagagem de até 23kg. Agora, para cada bagagem despachada é cobrada a tarifa.

Além disso, caso o limite de peso seja ultrapassado, ainda será pago o excesso de bagagem.

Quais são as regras da bagagem?

As regras da bagagem da Anac regularizam peso, tamanho e conteúdo das malas de mão e despachadas.

Cada tipo de bagagem possui suas determinações fixas. Mesmo assim, elas podem variar de acordo com cada cia. aérea.

Regras de bagagem de mão

Após a cobrança pelo despacho de bagagens, o peso limite da bagagem de mão foi de 5kg para 10kg. Essa regra é determinada tanto para voos nacionais quanto internacionais.

Já o tamanho limite dessas malas varia de acordo com cada companhia aérea.

Existem alguns itens proibidos na bagagem de mão:

  • Armas;
  • Objetos cortantes;
  • Produtos inflamáveis e explosivos.

Já os itens recomendados para a bagagem de mão, são:

  • Tablets, Notebooks e Celulares;
  • Medicamentos;
  • Objetos de uso pessoal.

No caso de perda, dano ou roubo da bagagem de mão, as companhias não possuem nenhuma responsabilidade.

Regras de bagagem despachada

Como as companhias aéreas não são mais obrigadas a incluir a franquia de despache de bagagens, os valores e condições variam.

Geralmente nos planos mais simples, o preço pode variar bastante. Os fatores que aumentam o preço da passagem são:

  • Cobrança de bagagem despachada;
  • Antecipação de voo;
  • Escolha de assento.

Por isso, para saber quanto custa despachar bagagem, pesquise sobre a cobrança em sua companhia aérea favorita. Assim, é possível escolher um plano que se adeque às suas necessidades.

No caso de extravio de malas despachadas, o passageiro deve comunicar a empresa aérea em até 7 dias úteis.

Até a localização da bagagem, em alguns casos, é preciso que seja disponibilizado ao cliente uma quantia para os gastos imediatos.

O que pode ser levado na bagagem despachada?

As regras da Anac também regularizam o que pode ser levado na bagagem despachada. Essa determinação serve para evitar riscos tanto para o voo quanto para o destino da viagem.

Alguns dos itens permitidos na bagagem despachada são:

  • Artigos de higiene ou saúde com o limite de 2kg ou 2 litros. Além disso, cada pacote não pode exceder o limite de 0,5kg ou 0,5 litros;
  • Líquidos como bebida alcoólicas e perfumes com o limite de 2kg e 2 litros;
  • Marcapassos implantados.

Já alguns dos itens proibidos na bagagem despachada são:

  • Alarmes;
  • Explosivos, munições, materiais pirotécnicos, armas e fogos de artifício;
  • Gases inflamáveis, não inflamáveis e venenosos;
  • Líquidos inflamáveis, como combustíveis.

Quais as consequências da cobrança de bagagem para o cliente?

Ao anunciar que iriam cobrar pelo despacho de bagagem, as companhias aéreas garantiram que isso faria o preço das passagens diminuir. Entretanto, a realidade não seguiu esse caminho.

A passagem continua subindo de valor, enquanto ocorre a cobrança pelo serviço de despacho. Ou seja, o custo para viajar ficaram ainda maiores.

Por isso, é preciso tomar alguns cuidados para não pagar mais caro na viagem.

Como gastar menos para viajar?

Comprar passagens com antecedência é uma boa estratégia para economizar. Com um mês de antecedência, geralmente, o preço da passagem costuma ser mais baixo.

Existem diversos sites que ajudam a comprar passagem barata. Neles, é possível comparar preços de viagens e economizar no transporte aéreo. Na verdade, no Brasil, é possível até viajar de graça de avião.

Além disso, escolher horários menos convencionais como tarde da noite ou a madrugada pode ficar mais em conta.

Se você for fazem uma viagem pequena, considere levar apenas o estritamente necessário. Dentro do limite de 10kgs da bagagem de mão é possível levar apenas o essencial para se manter por, pelo menos, dois dias. Até mesmo se planejar melhor e juntar mais dinheiro para viajar.

Na bagagem despachada, evite colocar itens além do que você vai precisar. Com as altas tarifas de despacho de bagagem, é interessante evitar a cobrança do excesso de peso que chega a R$30/kg.

Assim, mesmo com a cobrança de bagagem, você conseguirá pagar um pouco menos para viajar. Para mais dicas como essa, receba nossa newsletter no seu WhatsApp com ainda mais conteúdos selecionados!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *