Compra por impulso: 6 dicas para evitar!

compra por impulso

A compra por impulso costuma ser uma ação com potencial para causar prejuízos financeiros. Com períodos promocionais nas lojas e despesas de início de ano, o problema intensifica-se. Isso traz desafios para o orçamento de qualquer pessoa.

A compra por impulso ocorre diante de diversas condições de atrativo oferecidas pelo comércio como descontos, promoções e ‘queima’ de estoque.

Porém, por meio de estratégias que promovem a educação financeira, é possível realizar compras inteligentes e evitar desperdício.  

Como ocorre a compra por impulso?

Supondo que alguém vá numa loja com objetivo de comprar um par de sapatos. Ao chegar no estabelecimento, essa pessoa observa diversos sapatos com preços e modelos variados, mantém a sua decisão de compra e segue para pagar o produto.

Na fila para o pagamento, nota a presença de meias dispostas em um lugar bem próximo ao caixa. Ela pensa que para acompanhar os novos sapatos, seria bom comprar também as meias.

É assim que ocorre uma compra por impulso. As meias são um exemplo de como um produto é posicionado de modo a atrair o cliente no último segundo, quando ele acredita já ter encerrado suas compras.

Com a utilização e aplicação de estratégias estudadas no âmbito do Marketing, os comércios físicos e virtuais estimulam o cliente a consumir mais do que o que ele planejou.

As marcas investem em estudos que investigam e analisam os fatores que influenciam na decisão de compra do consumidor.

Já quando as compras sem planejamento tornam-se algo impossível de evitar, isso pode ser um sinal de que o consumo impulsivo tornou-se uma compulsão.

Qual a diferença entre consumo impulsivo e consumo compulsivo?

A compra impulsiva ocorre quando o consumidor não tinha intenção de adquirir o produto, mas compra motivado por condições atrativas como descontos ou promoções. Enquanto a compra compulsiva não necessita de motivação para acontecer.

O consumo compulsivo trata-se de uma doença, denominada oneomania, que causa euforia e necessidade de comprar.

Dicas de como evitar a compra por impulso

1. Faça listas de compras

Em primeiro lugar, antes de ir ao comércio, liste o que precisa ser comprado. Com uma lista em mãos, é possível ir direto na seção onde estão os produtos listados.

Assim, fica mais fácil manter a objetividade e adquirir os produtos sem se distrair com opções semelhantes ou completamente opostas.

Esse é um hábito que ajuda a adquirir somente o necessário, bem como a poupar tempo na busca. Com esse foco, evita-se comprar por impulso.

2. Pesquise os preços com antecedência 

Procure buscar os preços dos produtos antes de realizar a compra. Isso porque são diversos os fatores que fazem um valor variar, um exemplo são as promoções. 

Ter um produto em mente e avaliar se uma loja oferece descontos consideráveis em comparação aos preços exibido pelas concorrentes pode ser um modo de pagar um valor mais baixo.

Contudo, se a compra é imediata, com conhecimento sobre os valores no mercado, é possível negociar com o vendedor. Isso porque com uma boa argumentação e comparação entre os preços das lojas, o pedido de desconto torna-se mais legítimo. 

3. Pense mais um pouco sobre a compra por impulso

Um consumidor impulsivo compra sem pensar duas vezes. Por isso, essa é uma atitude que pode trazer prejuízos tanto no curto, quanto no longo prazo. 

Avaliar a necessidade de um produto ajuda a determinar se ele é, de fato, urgente ou dispensável no momento.

Uma dica é anotar o nome do produto, o seu preço atual e aguardar um determinado tempo (essa definição pode ser feita pelo próprio consumidor).

Se após algum tempo a necessidade do produto permanecer a mesma, a compra não será impulsiva. Esse é um passo para fazer uma aquisição mais consciente e inteligente.

4. Opte por pagar em dinheiro

Evitar pagar com cartão de crédito pode ajudar no controle de gastos. É comum não notar imediatamente o quanto está sendo gasto na compra e sentir o impacto só com a chegada da fatura.

Se é possível sair de casa com uma quantia limitada de dinheiro, as chances de comprar algo por impulso são diminuídas. Assim, não haverá endividamento, pois a compra não será parcelada. 

Também é recomendável evitar o uso do cartão de crédito em compras online. Do mesmo modo, dar preferência a comércios online que oferecem pagamento em boleto pode ser uma boa opção para não endividar-se.

Essa estratégia ajuda a evitar arrependimentos. Por exemplo, depois de um tempo da compra, perceber que o produto era desnecessário. 

5. Tenha cuidado com as promoções

Acreditar que é a última chance para comprar um produto por um preço mais atrativo é um comportamento comum dos consumidores impulsivos.

Por meio de táticas de marketing, as lojas anunciam que é a última oportunidade para obter um desconto imperdível. No entanto, promoções ocorrem a todo momento. Por isso, é preciso ficar atento a variação nos preços.

Para saber isso, o ideal é ter em mente exatamente o que precisa ser comprado. Além de pesquisar em qual situação, em geral, é possível encontrar o produto por uma melhor faixa de preço.

Portanto, com planejamento financeiro e estudo de preços, o consumidor desenvolve autonomia para reconhecer qual o momento mais ideal para realizar uma compra.

6. Estabeleça prioridades

Por fim, é importante definir uma lista de prioridades quando se trata de compras. Isso ajuda a manter o controle de orçamento, assim como um melhor direcionamento de gastos.

Por exemplo, se a prioridade é comprar uma bicicleta, não é recomendável comprar antes equipamentos de segurança como capacete e joelheiras. 

Sim, a segurança é necessária, mas é preciso lembrar de qual é a prioridade. Além disso, podem existir eventuais despesas inesperadas na vida do consumidor e ele precise mexer no orçamento inicial.

Com o gasto antecipado nos equipamentos de segurança, o orçamento pode ser modificado e a compra da bicicleta, por sua vez, adiada.

Assim, com o planejamento financeiro adequado ao seu perfil, o consumidor consegue prever quando será possível fazer a compra desejada, bem como entender seus limites orçamentários.

Portanto, saber como evitar a compra por impulso é o caminho ideal para garantir investimentos planejados, identificar compras desnecessárias e impedir a desorganização financeira.

Como ocorre a compra por impulso?

A compra impulsiva ocorre quando o consumidor não tinha intenção de adquirir o produto, mas compra motivado por condições atrativas como descontos ou promoções.

Compra por impulso é uma doença?

A compra por impulso não é uma doença, mas sim um hábito que pode ser controlado por meio da educação financeira. Enquanto a compra compulsiva trata-se de uma doença denominada oneomania, que causa euforia e necessidade de comprar.

Como não comprar por impulso?

Algumas estratégias para não comprar por impulso são: fazer listas de compras, pesquisar os preços com antecedência, optar por pagar em dinheiro ao invés de usar o cartão de crédito e estabelecer prioridades de compra.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos