Home Blog Consórcio ou financiamento? Entenda melhor as diferenças entre os dois

Consórcio ou financiamento? Entenda melhor as diferenças entre os dois

consorcio ou financiamento

O sonho de conseguir a casa própria é uma realidade constante na vida de muitos brasileiros. O consórcio ou financiamento são facilitadores desse tipo de desejo por meio do parcelamento.

O consórcio ou financiamento funcionam como formas de parcelar um bem, repassando a dívida para a instituição financeira, banco ou coletivo de pessoas. A instituição, por sua vez, adianta um valor em dinheiro que será utilizado para comprar o bem móvel ou imóvel.

Portanto, o consórcio ou financiamento são modalidades de obtenção de um bem através do crédito cedido por um coletivo ou instituição financeira.

Apesar das peculiaridades de cada modalidade, em ambas, os clientes têm acesso ao crédito e podem comprar o bem desejado.

Como funciona o consórcio e o financiamento: as diferenças entre modalidades

O financiamento e o consórcio apresentam características similares no quesito parcelar um pagamento. É comum também para ambos a apresentação de cobranças sobre o serviço prestado, seja uma taxa de administração para consórcio ou no caso do financiamento, os juros.

Consórcio

O consórcio é uma forma de adquirir um bem pagando para um fundo comum ou fundo de reserva. Nesse caso, se reúne um grupo de pessoas que tenham o mesmo interesse e é criado um fundo coletivo.

O fundo de consórcio é distribuído por meio de sorteio e contribuição, mensalmente. O cliente sorteado recebe a carta premiada. A carta concede o valor ou direito de receber o bem desejado.

Além do sorteio, é feita uma distribuição por maior arrecadação no mês, que continua até não ter mais fundos suficientes para subsidiar o pagamento dos membros. Nesse momento, é aguardada a capitalização mensal para realizar novos sorteios e lances.

Essa modalidade, portanto, apresenta uma compra parcelada e há chances de conseguir um bem logo no primeiro mês de pagamento. Com isso, o consumidor recebe a propriedade ou serviço e continua pagando as parcelas do consórcio. Além disso:

  • O prazo do consórcio em relação ao recebimento do bem é variável. Essa implicação é causada por conta do sorteio, é possível enfrentar demora na hora de recebê-lo ou conseguir logo no primeiro mês, a depender da contribuição ou da sorte;
  • As condições de pagamento tendem a ser acessíveis por não cobrar juros nas parcelas, mas o valor do imóvel ou bem pode ser reavaliado segundo a inflação e as empresas de consórcio costumam cobrar taxas administrativas pelos serviços prestados.

Financiamento

Como funciona o financiamento? O financiamento é uma modalidade mais burocrática e está ligado as práticas de escolher um bem e solicitar o valor de compra a uma instituição financeira ou banco.

Sendo assim, o financiamento se instituir pelas seguintes práticas:

  • Seja um financiamento de uma casa, viagem, imóvel ou até mesmo um carro, é preciso que o cliente possua condições de retornar o valor solicitado, numa perspectiva de longo prazo;
  • Para fazer um financiamento é preciso comprovar renda e passar por uma análise de crédito;
  • O financiamento apresentará juros mais baixos: quanto mais apresentar informações ao solicitá-lo, maiores serão as chances de baixar os juros. Isso implica em mostrar o histórico de renda, extratos bancários, declaração de bens, entre outros;
  • Prazo: no financiamento, o prazo pode ser de até 30 anos;
  • Condições: é necessário se ater ao Custo Efetivo Total de crédito, pois ele representará o valor total pago e assim, poderá comparar se as condições oferecidas são benéficas para o consumidor.

As vantagens e desvantagens do consórcio e do financiamento

Em comparação com as duas modalidades de crédito. Portanto, existem algumas diferenças entre consórcio e financiamento, assim como vantagens e desvantagens para cada uma.

Vantagens do consórcio

Por conseguinte, entre as vantagens do consórcio, é possível citar:

  • Existe a possibilidade de pagar menos pelo poder de compra, é possível negociar descontos pelo pagamento à vista, uma vez que o sorteado recebe o valor contratado integral. Mas, deve ser considerada uma taxa inflacionária anual e o custo efetivo total;
  • É possível escolher qualquer tipo de produto ou serviço uma vez que contemplado, desde que esteja no mesmo segmento. Por exemplo, fazer um consórcio para viajar ao exterior ou comprar um carro, não precisa ser apenas uma marca ou modelo;
  • Apresenta uma flexibilidade maior que outras modalidades de crédito no sentido de que o prazo pode ser negociado, a duração do contrato, o valor recebido no final e os ajustes quanto à inflação.

Desvantagens do consórcio

Agora, entre as desvantagens do consórcio é possível citar:

  • Altas taxas de administração;
  • Demora no recebimento do bem ou serviço escolhido, devido ao sorteio e impossibilidade de arrecadar muito para ganhar no lance (geralmente, para conseguir um lance é preciso investir 50% do valor);
  • Valor pode sofrer impacto com a taxa de inflação anual, ou seja, as prestações podem subir ao longo do plano;
  • No consórcio o bem fica alienado em caso de não pagamento das parcelas ele pode ser tomado. Ou seja, o bem pertence à administradora do consórcio e aos participantes do fundo até finalização do pagamento, mas o bem pode ser utilizado pelo consumidor.

Vantagens do financiamento

A título de comparação com o consórcio, às vantagens do financiamento, são as seguintes:

  • O recebimento quase imediato do bem ou serviço financiado;
  • Apresenta a oportunidade de sair do aluguel e ter o próprio imóvel;
  • É possível utilizar o FGTS ( Fundo de Garantia por tempo de Serviço) como entrada para o financiamento de imóveis, além da participação de projetos do governo como o MCMV (Minha Casa Minha Vida), que fornece melhores condições de financiamento.

Desvantagens do financiamento

Em contrapartida, na hora de optar entre consórcio e financiamento, vale a pena considerar também as desvantagens do financiamento.

Entre elas, é possível citar:

  • Altas taxas de juros. Apesar de ter uma parcela fixa, os valores tendem a serem mais altos que o valor do consórcio a depender das taxas de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e outros encargos;
  • No financiamento o bem fica alienado em caso de não pagamento das parcelas pode ser tomado. Ou seja, o bem pertence à instituição financeira ou banco até finalização do pagamento, mas pode ser utilizado pelo consumidor;
  • Existe uma maior burocracia na hora de aprovar o crédito (financiamento), geralmente, uma análise financeira e das condições de pagamento.

Apesar das possibilidades de consórcio ou financiamento, a forma que mais compensa no final das somatórias ainda é pagar a vista ou oferecendo uma boa entrada no fechamento do contrato.

Conhecer as vantagens e desvantagens do financiamento e do consórcio é muito importante para a sua educação financeira.

Assim, você poderá perceber que há mais vantagem em outras opções, como pagar à vista, do que optar entre uma das duas modalidades de crédito.

Mas se a escolha for entre um consórcio ou financiamento é preciso se ater as disponibilidades presentes no mercado e sempre: o custo efetivo total pago pela operação (o valor cheio ou valor final a ser pago por todo o processo). Mais conteúdos? Inscreva-se no nosso Whatsapp.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *