Controle patrimonial da empresa: entenda como realizá-lo!

controle patrimonial

A gestão dos ativos imobilizados e patrimônio de uma empresa busca evitar desperdícios, demonstrar desgastes e possíveis mudanças que devem ocorrer na empresa para otimizar os seus processos, essas premissas são levantadas através do controle patrimonial.

O controle patrimonial funciona por meio do cadastro dos bens patrimoniais e inventário de ativos por meio do controle das notas fiscais e situação atual em que o bem se encontra. O controle auxilia em saber a hora certa para substituir os bens e diminuir custos, além de auxiliar com a auditória fiscal na educação financeira.

O que é?

O controle patrimonial é uma forma de organizar e equiparar o inventário, ativos e bens de uma empresa, entre os registrados e os que estão em uso.

Dessa forma, a empresa terá um balanço real dos bens patrimoniais e poderá classificá-los segundo as métricas contábeis.

Como fazer?

É possível fazer um controle patrimonial gratuito através de uma planilha de controle patrimonial, mas, a depender do tamanho da empresa, para manter uma automação e agilidade, é comum a contratação de um software de controle patrimonial.

Ou seja, um mecanismo capaz de registrar as notas fiscais e os dados encontrados por valuation (avaliação destinada a estimar quanto determinada empresa vale).

Contudo, para manter um sistema de controle patrimonial não são necessárias ferramentas tão rebuscadas ou o pagamento a terceiros para realizar essa operação, é possível manter um controle interno patrimonial e para isso, basta seguir as etapas listadas:

Manter um inventário patrimonial

É um levantamento de todos os bens que a empresa possui, desde os bens imóveis até os móveis. Por exemplo, carros, maquinário, estoques, entre outros.

Avaliar ativos

É o cálculo do valor justo dos ativos e bens de uma empresa, segundo o Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Geralmente, é baseado no valor mercadológico e no custo de compra menos a depreciação daqueles ativos.

Revisar a vida útil dos bens e itens

No controle patrimonial requer a análise dos ativos de uma empresa, saber os benefícios gerados, depreciação, amortização e obsolescência, tudo isso, deve ser revisado com frequência para diminuir prejuízos.

Saber a taxa de depreciação dos ativos

Sabendo da vida útil do ativo, é possível calcular uma previsão de qual será o desgaste, quando deverá ser vendido ou trocado e qual é a sua taxa de depreciação anual, dessa forma, empresas se preparam para gastos futuros.

Teste do Impairment

O Impairment (ou Imparidade) de ativos é a diminuição da qualidade, quantidade de força ou do valor de um ativo. Ou seja, o impairment deve ser incluído nas despesas, quando o valor contábil de um ativo excede o valor recuperável.

Quais são as vantagens?

O controle patrimonial é possível através da organização contábil dos ativos de uma empresa, que permite que o gestor ou contador controle bens patrimoniais através da mensuração da vida útil, depreciação e benefícios, gerados com aqueles ativos.

Além disso, através do controle patrimonial é possível organizar o ciclo produtivo de uma empresa e pautar os dados angariados para melhor conduzir e distribuir o fluxo de caixa.

Já que, o gestor irá se precaver em relação aos gastos e irá considerá-los em seu planejamento.

Nessa perspectiva, entre outras vantagens do controle patrimonial estão:

  • Evitar desperdícios e até mesmo furto;
  • Otimizar processos que lidam com declaração do Imposto de Renda, por já existir um catálogo e registro de bens adquiridos e notas fiscais;
  • Atender a legislação vigente e as práticas de conduta do CPC (Comitê de Pronunciamentos Contábeis);
  • Manter um controle dos bens materiais, ativos imobilizados, necessidade de manutenções e afins;
  • Saber a hora de vender ou substituir bens e ativos;
  • Demonstrar um valuation com maior precisão e conquistar investidores;
  • Crescer a empresa de forma mais responsável, mediante o controle de gastos e aumento da lucratividade.

Por fim, o controle patrimonial é uma forma de organizar e registrar os ativos de uma empresa, assim, permitindo que a empresa saiba quais ativos devem ser mantidos, quando adquirir novos e quais são os valores reais dos bens detidos por uma empresa.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos