O crediário é uma boa opção? Saiba tudo sobre a modalidade de crédito!

crediario

O crediário, por muito tempo, foi utilizado como principal meio de compra com parcelamento nas lojas. Ele também é conhecido como carnê.

Com o aumento do uso do cartão de crédito, o crediário perdeu força e deixou de ser usado por várias pessoas, mas, ainda é uma opção para quem não quer comprometer o limite do cartão.

Em resumo, o crediário é um financiamento de bens e serviços. É importante saber mais sobre a modalidade para saber se é uma opção de crédito para você, de acordo com os seus objetivos financeiros. Afinal, como saber se ele é uma boa alternativa?

O que é e como funciona o crediário?

No crediário, o produto é dividido em parcelas com valor e datas fixas para pagamento. Sendo assim, o consumidor recebe uma caderneta com a quantidade de folhas referentes ao parcelamento.

Por exemplo: se você comprar uma TV em 36 vezes, você receberá 36 “folhinhas” na sua caderneta, que deve ser pago todos os meses até a quitação da dívida.

Assim, as parcelas são fixas, acrescidas de juros e correção monetária, e é possível pagar em até 48 vezes. Lembrando que os juros do crediário pode chegar até 6% ao mês, segundo Banco Central.

Como no cartão de crédito, o consumidor passa por uma análise de crédito, que pode ser feita por uma instituição financeira ou pela própria loja que você deseja realizar a compra, para ter a liberação do serviço.

Lojas que oferecem crediário

Ainda que o número de comércios trabalhando com esse serviço tenha diminuído com o uso crescente do cartão de crédito, algumas lojas ainda oferecem o crediário ao consumidor. Algumas delas são:

  • Casas Bahia;
  • Magazine Luiza;
  • Lojas Colombo;
  • Pernambucanas;
  • Lojas Americanas;
  • Ricardo Eletro;
  • Renner;
  • Lojas Torra;
  • Entre outras.

Contratando um crediário

Para fazer a contratação desse serviço, você teve ter os seguintes documentos em mãos:

  • Um documento oficial com foto (RG, passaporte ou carteira de motorista);
  • CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de renda (carteira de trabalho, extrato bancário ou holerite);
  • Dois telefones para contato.

O processo de abertura do crediário pode ser feito presencial, na loja, e também de maneira virtual, chamado de crediário online ou carnê digital. Basta enviar os documentos solicitados e esperar a análise da loja.

Tipos de crediário

Dentro desse contexto, existem três tipos de crediário: o garantido, o próprio e o financiado. A diferença entre eles está na garantia de pagamento.

Garantido

Nessa modalidade, a loja contrata uma administradora que fica responsável pela liberação de crédito para o consumidor. Assim, ela é responsável pelos pagamentos e também pela cobrança em caso de inadimplência.

Próprio

Sendo o mais popular, no crediário próprio a loja é responsável por conceder o crédito aos clientes, assumindo 100% dos riscos. O consumidor realiza o pagamento das parcelas no próprio comércio.

Financiado

Nesse tipo, a loja obtém o capital de uma instituição financeira para, assim, liberar o crédito para o cliente. Dessa forma, o pagamento é feito diretamente à instituição.

Como pagar as parcelas?

Como citamos anteriormente, as parcelas podem ser pagas diretamente na loja, se for o caso do crediário próprio. Dependendo do carnê, também pode-se pagar em um agência bancária ou caixa eletrônico, com o código de barra disponível na folha, e até mesmo pelo internet banking.

Por isso, é bom olhar as instruções de pagamento com atenção, já que depende de cada tipo de crediário. Mas, essa é a forma mais utilizada.

Posso conseguir um crediário com o nome sujo?

Quem tem o nome negativado nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, pode ter mais dificuldades de conseguir a liberação do crediário. Mas, não é impossível. Vai depender de cada comércio as regras e exigências para conceder o serviço ao consumidor.

Para a abertura do crediário, você deve indicar o produto que quer comprar, já que a análise é feita de acordo com o valor da compra. Sendo assim, quanto mais alto o preço, mais difícil será a obtenção do crédito, por causa do nome sujo.

Uma forma de facilitar a liberação é apresentar um carnê quitado, seja ele da própria loja ou da concorrência, ao setor de análise.

crediario 2

Crediário x Cartão de crédito

Benefícios

O crediário oferece algumas vantagens competitivas em relação ao cartão de crédito. Dessa forma, as principais são:

Menores taxas de juros: enquanto os juros do cartão de crédito giram em torno de 12% ao mês, o crediário fica em uma média de 6%. Além disso, caso o consumidor tenha um histórico de bom pagador na loja, é possível negociar descontos, já que a relação é mais próxima.

Mais prestações: Em geral, os cartões de crédito parcelam em até 12 vezes. Já o crediário permite o parcelamento em até 48 vezes, o que garante um valor mais baixo para pagar durante os meses.

Não comprometer o limite do cartão: Para quem tem o limite baixo no cartão, essas é uma forma de comprar sem precisar usá-lo.

Desvantagens

Menor controle das contas: o cartão de crédito reúne, de forma prática, todas as suas dívidas em uma única fatura, o que ajuda a visualizar os gastos futuros. Já o crediário tem apenas as parcelas de uma loja em específico.

Caso o consumidor não tenha educação financeira, isso pode gerar uma bola de neve nas contas do mês.

Maior risco de endividamento: Parcelar algo em 48 vezes aumenta o seu risco de se endividar, já que é um prazo muito longo para pagamento e outras necessidades, e até mesmo emergências, surgirão pelo caminho.

Vale a pena fazer um crediário?

Como todas as linhas de crédito disponíveis no mercado, é necessário fazer uma avaliação do seu momento financeiro e dos seus objetivos para saber se o crediário é a melhor opção. Assim, como as outras opções, ele possui vantagens e desvantagens.

Por isso, você deve conhecer bem a modalidade e o que ela pode te oferecer, além de ter um planejamento financeiro que permita a avaliação de todas as suas contas para não comprometer a renda mensal.

Além disso, deve-se avaliar a real necessidade da compra no crediário, se é um produto essencial ou um gasto supérfluo.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos