Custeio por absorção: descubra como aplicar o cálculo!

custeio por absorcao

O conceito de custeio por absorção, diferentemente do custeio variável, considera todos os tipos de custos dentro de uma produção.

O método de custeio por absorção, também conhecido como RKW, representa a única forma de contabilidade permitida a empresas do Brasil.

Mas o que é custeio por absorção?

custeio-por-absorcao

Na prática, o custeio por absorção consiste no cálculo de todos os valores de produção e fabricação. Para isso, são incluídos custos estruturais e operacionais, sejam eles diretos ou indiretos, fixos ou variáveis.

Como exemplo de custos de produção de uma empresa, temos:

  • Compra de matéria-prima;
  • Pagamento de aluguel;
  • Manutenção das máquinas;
  • Pagamento de funcionários.

Além de ajudar na contabilidade das empresas, esse método funciona também para a percepção de produtividade dentro da empresa. Isso ocorre, pois quanto maior o número de uma produção, menor o custo unitário de cada produto.

Como já dito, essa análise de custos é a única aceita pela legislação brasileira. Portanto, ao produzir relatórios contábeis ou calcular impostos, deve-se utilizar o custeio por absorção.

Qual a diferença entre custos e despesas?

Antes de entender como calcular o custeio integral, é preciso conhecer a diferença entre custos e despesas de uma empresa.

Os custos são os gastos diretamente relacionados com a produção e estocagem, como:

  • Compra de mercadorias;
  • Pagamento de fornecedores;
  • Salário dos funcionários.

Já as despesas são os valores não relacionados com a atividade-fim do negócio, como:

  • Administração;
  • Serviços gerais;
  • Ofertas e descontos.

Ou seja, no caso de uma indústria, a manutenção das máquinas é um custo e a compra de produtos de higiene e limpeza uma despesa.

Então, como calcular o custeio por absorção?

Dentro do cálculo do custeio por absorção, existe o chamado rateio. Ele serve para distribuir os custos que não conseguem ser identificados diretamente com os produtos. Dentro dele, podem estar:

  1. Unidades produzidas;
  2. Horas de MOD;
  3. Horas de uso direto das máquinas;
  4. Horas diretas de serviços prestados;
  5. Número de funcionários;
  6. Valores de energia consumida.

Confira esse exemplo de cálculo de custeio por absorção em uma empresa com valores fictícios:

Produtos Consumo de matéria-prima Mão-de-obra Total
Camisa 20.000 15.000 35.000
Bermuda 40.000 20.000 60.000
Calça 75.000 32.000 98.000
Custos diretos 132.000 43.000 175.000
Custos indiretos 63.000
Total 431.000

A escolha de utilização de cada base vai de acordo com os recursos mais utilizados na produção.

Qual a diferença entre custeio por absorção e custeio variável?

Para fins gerenciais, uma empresa também pode utilizar outro método de contabilidade: o custeio variável.

Também chamado de custeio direto ou custo direto, ele considera apenas os custos variáveis de um produto. Ou seja, aqueles com o crescimento diretamente proporcionais à produção e venda.

Neste método, existe um cálculo mais objetivo do que o do custeio por absorção. Isso porque não há uma distribuição arbitrária dos custos fixos.

Além disso, o custeio variável permite calcular a margem de contribuição de cada um dos produtos.

Ou seja, mostra apenas o seu custo parcial, separado dos custos fixos.

Quais as vantagens e desvantagens do custeio por absorção?

O custeio por absorção é uma prática e completo acordo com a legislação brasileira.

Por incluir todos os custos de gestão, além dos custos com mão-de-obra e ferramentas de trabalho, ele possibilita o planejamento a longo prazo.

Com esse comportamento, o empresário consegue se planejar e definir bem o custo final de cada produto.

Além disso, o custeio por absorção pode ser utilizado para a obtenção de empréstimos e investimentos para a empresa.

Entre as desvantagens, está o fato de que a soma dos custos fixos não permite conhecer a margem real dos produtos, e sim de toda a empresa.

Isso significa que, caso haja um problema na produção, o custo de um produto poderá ser afetado.

Tudo isso traz mais dificuldade em elaborar um preço de venda mais competitivo.

Por isso, vale a pena se planejar e interpretar as informações da equipe de contabilidade no processo do custeio por absorção. Assim, você não perderá o controle sobre o rendimento de cada produto. Acompanhe a nossa carta do fundador, com conteúdos diários e gratuitos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos