Home Blog Custeio por absorção: entenda como aplicar esse cálculo em seu negócio!

Custeio por absorção: entenda como aplicar esse cálculo em seu negócio!

custeio por absorcao

O conceito de custeio por absorção, diferentemente do custeio variável, considera todos os tipos de custos dentro de uma produção.

O método de custeio por absorção, também conhecido como RKW, representa a única forma de contabilidade permitida a empresas do Brasil.

Mas o que é custeio por absorção?

custeio-por-absorcao

Na prática, o custeio por absorção consiste no cálculo de todos os valores de produção e fabricação. Para isso, são incluídos custos estruturais e operacionais, sejam eles diretos ou indiretos, fixos ou variáveis.

Como exemplo de custos de produção de uma empresa, temos:

  • Compra de matéria-prima;
  • Pagamento de aluguel;
  • Manutenção das máquinas;
  • Pagamento de funcionários.

Além de ajudar na contabilidade das empresas, esse método funciona também para a percepção de produtividade dentro da empresa. Isso ocorre, pois quanto maior o número de uma produção, menor o custo unitário de cada produto.

Como já dito, essa análise de custos é a única aceita pela legislação brasileira. Portanto, ao produzir relatórios contábeis ou calcular impostos, deve-se utilizar o custeio por absorção.

Qual a diferença entre custos e despesas?

Antes de entender como calcular o custeio integral, é preciso conhecer a diferença entre custos e despesas de uma empresa.

Os custos são os gastos diretamente relacionados com a produção e estocagem, como:

  • Compra de mercadorias;
  • Pagamento de fornecedores;
  • Salário dos funcionários.

Já as despesas são os valores não relacionados com a atividade-fim do negócio, como:

  • Administração;
  • Serviços gerais;
  • Ofertas e descontos.

Ou seja, no caso de uma indústria, a manutenção das máquinas é um custo e a compra de produtos de higiene e limpeza uma despesa.

Então, como calcular o custeio por absorção?

Dentro do cálculo do custeio por absorção, existe o chamado rateio. Ele serve para distribuir os custos que não conseguem ser identificados diretamente com os produtos. Dentro dele, podem estar:

  1. Unidades produzidas;
  2. Horas de MOD;
  3. Horas de uso direto das máquinas;
  4. Horas diretas de serviços prestados;
  5. Número de funcionários;
  6. Valores de energia consumida.

Confira esse exemplo de cálculo de custeio por absorção em uma empresa com valores fictícios:

ProdutosConsumo de matéria-primaMão-de-obraTotal
Camisa20.00015.00035.000
Bermuda40.00020.00060.000
Calça75.00032.00098.000
Custos diretos132.00043.000175.000
Custos indiretos63.000
Total431.000

A escolha de utilização de cada base vai de acordo com os recursos mais utilizados na produção.

Qual a diferença entre custeio por absorção e custeio variável?

Para fins gerenciais, uma empresa também pode utilizar outro método de contabilidade: o custeio variável.

Também chamado de custeio direto ou custo direto, ele considera apenas os custos variáveis de um produto. Ou seja, aqueles com o crescimento diretamente proporcionais à produção e venda.

Neste método, existe um cálculo mais objetivo do que o do custeio por absorção. Isso porque não há uma distribuição arbitrária dos custos fixos.

Além disso, o custeio variável permite calcular a margem de contribuição de cada um dos produtos.

Ou seja, mostra apenas o seu custo parcial, separado dos custos fixos.

Quais as vantagens e desvantagens do custeio por absorção?

O custeio por absorção é uma prática e completo acordo com a legislação brasileira.

Por incluir todos os custos de gestão, além dos custos com mão-de-obra e ferramentas de trabalho, ele possibilita o planejamento a longo prazo.

Com esse comportamento, o empresário consegue se planejar e definir bem o custo final de cada produto.

Além disso, o custeio por absorção pode ser utilizado para a obtenção de empréstimos e investimentos para a empresa.

Entre as desvantagens, está o fato de que a soma dos custos fixos não permite conhecer a margem real dos produtos, e sim de toda a empresa.

Isso significa que, caso haja um problema na produção, o custo de um produto poderá ser afetado.

Tudo isso traz mais dificuldade em elaborar um preço de venda mais competitivo.

Por isso, vale a pena se planejar e interpretar as informações da equipe de contabilidade no processo do custeio por absorção. Assim, você não perderá o controle sobre o rendimento de cada produto. Acompanhe a nossa carta do fundador, com conteúdos diários e gratuitos!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *