DARF: confira como funciona esse guia

DARF 1

Caso você seja investidor, é muito possível que já tenha tido a necessidade de emitir um DARF. No entanto, erros são muito comuns em relação ao tempo legal de declaração para esse tributo.

Estar em dia com as obrigações fiscais, portanto, é fundamental para evitar problemas futuros com a Receita Federal. Por isso, é bom entender o DARF, que funciona como um guia de recolhimento de impostos, taxas e contribuições de operações financeiras.

O DARF, sigla para Documento de Arrecadação de Receitas Federais, é um guia que muitas pessoas físicas usam, por exemplo, para pagar o Imposto de Renda (IRPF) sobre investimentos que não têm o imposto retido na fonte.

O que é o DARF?

O Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) é um tipo de cobrança que o Ministério da Fazenda e a Secretaria da Receita Federal emitem para recolher os impostos que esse segundo órgão gere e que faz parte do cálculo das operações financeiras.

Portanto, o pagamento deles é obrigatório tanto para pessoa física quanto para empresas. São eles, por exemplo:

  • Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Imposto Sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros (IOF);
  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS).

É possível que você já tenha tido cobrança de algum desses tipos de impostos. No entanto, poucas pessoas sabem como preencher o DARF de modo correto o documento de arrecadação.

Além disso, o DARF é um documento de arrecadação que se divide em duas categorias: DARF simples e DARF comum. Entenda como funciona cada um.

  • DARF Simples: criado em 1997, é um documento que teve substituição em 2011 pelo DAS. Ele tinha o objetivo de recolher tributos de empresas, sendo uma guia única que engloba documentos tributários como PIS/PASEP, RPJ e CONFINS;
  • DARF Comum: diferente do DARF Simples, este ainda existe, sendo usado para pagamento de receitas federais tanto de pessoas jurídicas quanto pessoas físicas.

Como funciona o DARF no mercado de investimentos?

É comum que o investidor obtenha renda através de seu portfólio de investimentos. No entanto, para se manter em dia com o recolhimento de impostos e obrigações inerentes, é preciso que ele entenda sobre mercado financeiro e as suas obrigações tributárias.

Ao investir dinheiro em aplicações da bolsa de valores, no mercado imobiliário ou outros tipos de ações, o objetivo do investidor é que seu dinheiro renda.

Entretanto, o que muitos não sabem é que existem tributos que devem ser pagos sobre os rendimentos. Sendo assim, é obrigação que parte dos ganhos obtidos sejam declarados como Imposto de Renda para o Governo Federal. Porém, essa regra não se aplica a todos os tipos de investimentos.

Nas operações de renda fixa, por exemplo, o Imposto de Renda se recolhe direto da fonte. Portanto, quando o saldo retorna para a conta, ele já está livre de impostos.

Já para ativos de renda variável, como é o caso das ações, o próprio investidor deve emitir o DARF quando obtiver lucros acima da isenção. Desse modo, se regulariza o ganho.

Além disso, é importante dizer que nas operações com ações, apenas 1% do valor se retém na fonte em operações com lucro do day trade e 0,005% das vendas que operam com posição.

Essa operação é conhecida como “dedo-duro”, uma antecipação do imposto na fonte. Cobrança que serve para indicar à Receita Federal a realização de uma operação com lucro, o que requer a devida declaração para a Receita Federal.

Como calcular o DARF?

darf

O próprio investidor pode realizar o cálculo do DARF. Contudo, é recomendável que um profissional da área – ou seja, contador – fique à frente deste processo para evitar erros na verificação do imposto a pagar.

Para operações de day trade, que são aplicações e resgates durante o mesmo dia, o valor da alíquota é de 20% sobre os ganhos.

Já para uma operação normal, em que a compra e venda de ações acontecem em dias diferentes, a alíquota é de 15% sobre os ganhos.

Por fim, caso o investidor tenha um valor total das operações abaixo de 20 mil reais, o lucro obtido fica livre de dedução do Imposto de Renda.

Como emitir o DARF?

Em primeiro lugar, vale dizer que é possível fazer a emissão através do site da Receita Federal e do programa Sicalc Web.

Para isso, basta entrar no site da Receita, acessar o campo “serviços”, depois preencher os formulários e não esquecer do código: 6015 – IRPF – GANHOS LIQ OPER BOLSA (referente à pessoa física). No entanto, antes, é preciso saber como preencher o DARF.

Como preencher o DARF?

Em primeiro lugar, para realizar o preenchimento do DARF, é importante ter em mãos os seguintes dados:

  • Para as pessoas jurídicas, a Razão Social e CNPJ;
  • Para as pessoas físicas, nome e CPF;
  • Data de apuração do imposto;
  • Código do pagamento (é possível consultá-lo no site da Receita Federal);
  • Número de referência;
  • Valor a ser pago;
  • Data de vencimento;
  • Multa e juros, caso seja necessário.

Após preencher os dados, pode-se emitir o DARF. Há 2 opções para fazer isso: a primeira é através do Programa para cálculo e Impressão de DARF (sicalcWeb), já a segunda opção é pelo programa Sicalc, que pode ser baixado em computadores.

Ambos os formatos estão disponíveis pela Receita Federal. Em seguida, após terminar o preenchimento, basta emitir o boleto e efetivar o pagamento.

Como resolver DARF atrasado?

Além de saber como emitir e preencher o DARF, é importante que o investidor fique atento aos prazos de pagamento. Isso porque em caso de atraso, se cobra juros de 0,33% e multa ao dia, com um limite de 20%.

Para garantir que a situação esteja regular, basta emitir uma nova guia através do Sicalc ou SicalcWeb. Neles, se calculam os juros  de forma automática.

Retificação DARF

Por fim, se ao preencher o DARF algum dado tiver erro, é possível pedir a retificação do documento através do Portal e-CAC.

No entanto, caso o contribuinte não consiga fazer a retificação do DARF, se abre um Dossiê de Atendimento no Portal. No geral, quem não possui certificação digital participa desse processo.

O que é o DARF?

Em primeiro lugar, o Documento de Arrecadação de Receitas Federais é uma forma de cobrança que o Ministério da Fazenda e a Secretaria da Receita Federal emitem para recolher os imposto. Ele faz parte do cálculo das operações financeiras.

Como gerar o DARF?

Quem precisa pagar o DARF?

Tanto pessoas físicas como pessoas jurídicas devem pagar o DARF para operações financeiras. Como, por exemplo, o Imposto de Renda de Pessoa Física e o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, respectivamente.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos