DAX-30: tudo sobre o maior índice do mercado acionário europeu!

DAX 30

A economia alemã é conhecida como a mais importante em toda a Europa, sendo o país a quarta maior potência econômica mundial. Com uma economia tão influente, a Alemanha conta com o DAX-30, índice de ações mais relevante da União Europeia.

O Dax-30 engloba as 30 maiores empresas alemãs, listadas na Bolsa de Valores de Frankfurt.

O que é o DAX-30?

O DAX-30, também conhecido como Deutscher Aktienindex, é o principal índice do mercado acionário da Alemanha, ele é composto pelas 30 maiores empresas alemãs negociadas na Bolsa de Valores de Frankfurt. 

Devido a isso, o Deutscher Aktienindex é considerado o índice de maior importância do continente Europeu. 

O indicador costuma ser usado como benchmark do mercado acionário alemão, ou seja, serve como indicador das melhores práticas utilizadas pelas empresas e como elas aplicam-se em diversos empreendimentos. 

Na prática, o DAX-30 tem a função de demonstrar as oscilações e o comportamento das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de Frankfurt, a Frankfurter Wertpapierbörse. Assim, é possível comparar a atuação do DAX-30 com a do índice Bovespa.

Além disso, por ser composto por 30 empresas de grande importância em seu país, nesse sentido, o DAX-30 também assemelha-se ao índice Dow Jones.

Como se calcula o DAX-30?

O DAX-30 é influenciado por diversos fatores macroeconômicos, como o crescimento econômico do país, nível de desemprego e taxa de juros. Entretanto, o indicador também é motivado por questões internas, por exemplo, o comportamento das empresas, dos investidores e dos consumidores.

Contudo, a variação mais significativa para o índice é o lucros das empresas que o compõe. Isso quer dizer que quanto maior foi o lucro, maior a valorização do DAX-30 no mercado.

Os valores usados para calcular o indicador são recolhidos pelo Xetra, ou Exchange Electronic Trading, sistema eletrônico de trading usado para comprar e vender as ações mais importantes da Alemanha e as internacionais, bem como ETFs e commodities. 

É no Xetra que a pontuação do índice é revista periodicamente.

Quais ações compõem o DAX-30?

O DAX-30 é constituído pelas 30 empresas mais importantes da Alemanha, ou seja, as que apresentam os maiores lucros. Para uma empresa fazer parte do índice, é preciso estar presente na Bolsa de Frankfurt, em que no mínimo 10% dos ativos da companhia listada devem estar entre os acionistas.

Além disso, é importante lembrar que essas empresas podem ser retiradas da lista e substituídas por outras conforme critérios determinados pelo Conselho Alemão da Bolsa de Valores (Deutsche Börse).

Algumas das empresas que já participaram da composição do DAX-30 são:

  • Adidas;
  • Volkswagen;
  • SAP;
  • Bayer;
  • Allianz;
  • Linde;
  • Siemens;
  • Continental;
  • Infineon;
  • Fresenius SE;
  • Deutsche Telekom;
  • BASF;
  • Deutsche Post;
  • Merck;
  • Covestro I.

Como investir no DAX-30?

Uma maneira para investir na bolsa de Frankfurt, por meio das ações alemãs que compõem o DAX-30, é pela abertura de conta em uma bolsa estrangeira. Isso porque ainda não é possível investir no índice diretamente em corretoras brasileiras. 

Assim, uma opção para o investidor é utilizar o serviço de uma corretora licenciada internacional que opere com ações das empresas alemãs listadas no DAX-30.

Alguns passos para realizar esse investimento são:

  • Selecionar um banco ou corretora estrangeira;
  • Abrir uma conta no banco ou corretora externa;
  • Transferir uma quantia para a instituição;
  • Escolher o ETF para investir.

Selecionar uma corretora estrangeira

Para escolher um banco ou corretora no exterior, é preciso analisar o seu perfil de investidor. Isso porque não existe uma corretora ideal para todos os tipos de investidores. Desse modo, é preciso analisar alguns fatores antes de escolher uma corretora no exterior, como:

  • Segurança;
  • Experiência do usuário;
  • Custo.

Pelo investimento ser direcionado a ações de empresas fora do país, se precisa investigar as certificações da instituição, bem como o nível de segurança que ela oferece aos investidores internacionais.

Desse modo, o investidor pode entender melhor as suas particularidades e analisar qual o melhor lugar para alocar seus investimentos.

Abrir uma conta em um banco ou corretora externa

Após escolher a corretora, é preciso enviar a documentação e completar o processo de abertura de conta na corretora.

Transferir dinheiro para a instituição

Nesse passo, o investidor transfere uma quantia para a instituição para ser convertida na moeda estrangeira, por exemplo, o dólar. Entretanto, é importante destacar que existem taxas tanto para a realização dessa conversão, quanto para a transferência em si.

Selecionar em qual ETF investir

Por fim, é preciso escolher um fundo de índice, ou ETF, com referência no DAX-30 para investir. Os ETFs (Exchange Traded Funds) são fundos de investimento negociados na Bolsa, eles representam um conjunto de ativos que buscam retornos correspondentes a um índice de referência.

No caso dos fundos de índice que se espelham na performance do DAX-30, apenas um o replica diretamente: o Global X DAX Germany ETF (DAX).

Assim, cabe ao investidor estudar e escolher as melhores opções de investimento, de acordo com as suas estratégias e plano financeiro, que abrangem o uso do índice DAX-30 na bolsa de valores.

Vantagens e desvantagens de investir no DAX-30

Entre as vantagens de investir no índice europeu, está o fato da economia alemã desempenhar um grande papel em todo o continente. 

Isso reverbera em uma das melhores infraestruturas em toda a Europa, uma forte base industrial forte, um mercado eficiente em exportações além de um potente avanço em tecnologia e inovação.

Ademais, outros pontos que contam como vantagens de investir no exterior são:

  • Mais facilidade de diversificação;
  • Redução de risco país e risco atrelado ao setor econômico;
  • Possibilidade de encontrar títulos de renda fixa em países com altas taxas de juros;
  • Amenizar impactos de crises econômicas e políticas do Brasil.

No entanto, também existem desvantagens relacionadas a esse tipo de investimento, como por exemplo:

  • Custo com câmbio (conversão de real para a moeda do país que receberá investimento);
  • Imposto sobre operações financeiras;
  • Escassez de informações sobre o mercado internacional – para o investidor brasileiro, pode ser mais difícil analisar a situação econômica de outro país e as suas empresas.

Dessa maneira, é importante analisar esses fatores com finalidade de decidir se investir em ações que constituem o DAX-30 é uma opção que compactua com o perfil e estratégia do investidor.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos