Day trade: como ganhar dinheiro com a venda e compra de ações?

day trade

Com a forte ebulição do mercado e da bolsa de valores, está sendo cada vez mais aderida a compra e venda de ações. Por vezes, as transações acontecem dentro de alguns minutos, esse processo ágil é conhecido como day trade.

O que é day trade?

Esse é um processo de vender e comprar ações em curtos períodos de tempo. A modalidade visa operações em renda variável (bolsa de valores) com a intenção de lucrar sobre a queda ou alta de uma ação.

O day trade em ações, portanto, utiliza da variação no preço dos papéis para vender ou comprar ações e com isso, obter uma alavancagem day trade, ou seja, um valor remanescente do que foi inserido no investimento.

Por exemplo, se o papel “EMP4” está custando R$9 reais (sendo o lote de 100 unidades = R$900) ao ser valorizado para R$10, então, o lote passou a valor R$1.000. Nesse caso, o lucro foi de R$100 a mais do que foi investido inicialmente.

Como funciona o day trade?

O seu funcionamento acontece por meio de uma compra ou venda ágil de ações, geralmente, através das corretoras. Devido ao seu grau de complexidade, é um processo realizado habitualmente pela figura do trader, um profissional especializado na prática.

Como operar através de day trade?

Para operar day trade é necessário ter uma conta em alguma operadora de bolsa (ou corretora), acessar o home broker (plataforma de investimentos que da acesso aos papéis – as ações) e ter conhecimento sobre a empresa em que se pretende comprar.

Além disso, existem alguns fatores que incidem na prática do day trading, entre eles, impostos e taxas. Contudo, para realizar, é aconselhável que se busque uma corretora, principalmente, por algumas apresentarem flexibilidade.

O day trade corretora cobra sua taxa de corretagem e além disso, outros fatores influenciam os ganhos no day trade, são eles:

  • Emolumentos: é uma taxa que a Bovespa e a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) angaria sobre cada operação de compra e venda de ações, ficara discriminado na nota de corretagem ou despesas gerais;
  • TED: é a sigla para Transferência Eletrônica Disponível, processo no qual se transfere dinheiro entre bancos, instituições ou corretoras. Por ser um processo ágil e, geralmente, entre instituições distintas, é cobrado um valor;
  • Corretagem: é uma taxa cobrada pela corretora de valores pelo fato de ter realizado uma operação, seja ela de compra ou venda de ações e ativos. Geralmente, apresenta maiores taxas ao investir com assessores e gerentes;
  • Imposto de renda: o day trade e o imposto de renda apresentam uma relação íntima já que toda operação tem uma tributação de 20% sobre o lucro obtido.

Portanto, ao falar da tributação day trade, é necessário, levar em conta esses fatores incidentes para saber se o day trade vale a pena.

Quais os cuidados ao fazer day trade?

O day trade na prática é uma forma de investimento com risco e que apresenta duas formas, o day trade por alta e day trade por baixa.

Consecutivamente, o ganho na alta é respectivo à desvalorização sofrida por uma determinada ação, ou seja, vender uma ação a R$26 reais e mais tarde no mesmo dia comprar ela novamente por R$20.

Já o ganho na baixa é quando se compra uma ação que está em baixa e vendê-la por um preço em alta. Por exemplo, comprar a ação por R$40 reais e vender por R$ 45.

Dicas essenciais sobre day trade:

  • Trabalhe sobre a ótica do prejuízo estimado (stop loss) e margem de risco: por ser uma atividade que envolve perdas, o trader precisa utilizar mecanismos para limitar o prejuízo. Por isso, ao estimar, se evita maiores prejuízos;
  • Permita o processo de alavancagem: é o processo de ganho sobre o lucro. Assim, é possível comprar uma ação por R$10, vendê-la por R$13, retirar esses R$3 ou reinvestir, o que gera subsequentemente, mais ganhos;
  • Apresente agilidade na questão dos ganhos: não será necessário esperar prazos para ter uma boa rentabilidade, basta escolher o ativo certo e devido ao pequeno prazo transacional entre ações, o ganho tende a vir mais rápido;
  • Não deixe a ganancia ganhar: assim como o “stop loss”, ter um stop gain, é a forma de tecer um momento de parar enquanto ainda está no ganho, controlando assim, a ganância e reduzindo a chance de erros (por vezes, proveniente da emoção);
  • Ganância sobre perda: é o momento de se controlar logo após uma perda, por vezes a sensação é que poderá recuperar o que foi perdido e na vida real, nem sempre é condizente. Saber quando parar após uma perda pode representar o estancamento de maiores loss;
  • Disciplina: na hora de operar em day trade, é preciso um ambiente sem distrações, mas, mais que isso, manter uma coerência com os seus objetivos, horários e momentos de “não operar”;
  • Segurança: está totalmente atrelado a gestão de risco, ter noção de quanto seu bolso aguenta em perdas e ter uma boa reserva de emergência, o day trade no ideal, deve ser o extra de algo que não te faz falta;
  • Não operar com o dinheiro que você irá utilizar para pagar contas,  por ser algo variável, ele não tem como te garantir estabilidade e isso pode te prejudicar em outros fatores como o endividamento gerado por não ter esse dinheiro;
  • Emocional equilibrado: essa talvez seja uma das questões mais difíceis para quem faz trade, por isso, é comum um acompanhamento psicológico, ter uma saúde mental em dia, isso vai te poupar não somente dinheiro, mas trazer melhorias em sua vida;
  • Fonte de renda: day trade não é fonte de renda para a grande maioria dos operadores, vida real, caso contrário veríamos bilionários. Por isso, é recomendável que você tenha uma fonte de renda que te sustente e o trade ser uma renda extra.

Extra

Além dessas dicas, entender sobre análise técnica e análise fundamentalista podem te proporcionar ganhos não só nas operações de day trade, mas para montar sua trajetória de investimento e carteira.

Por fim, o day trade é considerado um investimento com riscos e para minimizá-los é preciso buscar qualificações, para alguns é justo estudar economia e estatística, mas, na hora de operar é crucial manter um grau de segurança, não aplicar todos recursos e manter uma disciplina.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Últimos artigos