Dependência financeira: saiba como sair dessa condição

dependencia financeira 1

A dependência financeira é uma das situações dentro de qualquer tipo de relacionamento que pode causar desgastes. Tanto do ponto de quem sustenta, quanto do ponto de quem depende. Essa situação costuma trazer malefícios que destroem uma bom vínculo.

Ou seja, a dependência financeira não é bom para ninguém. Muitas pessoas que estão vivendo essa realidade não sabem quais meios podem recorrer para sair desse contexto. Mesmo que pareça difícil no começo, é possível construir a independência financeira.

No sentido literal, a dependência financeira é quando uma pessoa depende dos recursos financeiros de outra para poder se amparar. Ou seja, a vida econômica de um gira em torno do poder econômico do outro.

Malefícios da dependência financeira

Depender financeiramente de alguém, seja cônjuge, pais, amigos ou dentro de qualquer outro tipo de relação pode trazer um grande desgaste psicológico para ambos os lados. Apesar de muitas pessoas poderem ter se acomodado com a situação, a dependência não é saudável.

Ser sustentado por alguém pode trazer um misto de sentimentos ruins. Por exemplo, impactar diretamente na autoestima. Para realizar sonhos, sair para algum lugar que se deseja ou até mesmo para comprar algum refeição diferente é preciso pedir ao outro.

Ou seja, a vida da pessoa que não consegue se sustentar acontece quase como uma extensão da vida de quem coloca o dinheiro dentro de casa. O que pode causar emoções de deslocamento e não pertencimento, até mesmo o não pertencimento à sociedade.

Isto acontece porque a maioria das pessoas que dependem financeiramente costumam passar a maior parte do tempo dentro de casa e não tendo conexões com o mundo exterior. Enquanto a outra pessoa que recebe o dinheiro, pode passar a maior parte do tempo fora da residência.

Dependência financeira no casamento e dependência financeira dos pais: como parar de precisar receber dinheiro de terceiros?

Receber mesada enquanto adulto pode trazer outra dependência, a dependência emocional. Brigas aparentemente sem motivos, falta de conexão, perda na qualidade das conversas são alguns dos sinais que a dependência financeira está afetando a saúde da relação.

Algumas mudanças podem auxiliar a evitar ou até mesmo conseguir sair da dependência financeira. O processo pode ser dolorido no inicial, mas o resultado é libertador.

4 formas de sair da dependência financeira

1. Consciência da situação

Homens e mulheres que dependem financeiramente de terceiros precisam desenvolver a consciência da situação. Ou seja, é preciso reconhecer a relação da submissão econômica.

2. Fortalecimento da autoestima e auto responsabilidade

Mesmo com sofrimento e até sensação da perda de liberdade, muitas pessoas que são dependentes financeiramente sequer chegam a buscar meio de sair dessa realidade.

Isto acontece pela perda de autoestima e a crença de que não é capaz de se auto responsabilizar. Trabalhar aspectos psicológicos também é importante para caminhar rumo a independência financeira.

3. Planejamento e estudo

É comum que pessoas que dependem financeiramente não tenham tido nenhuma relação com o mercado de trabalho. Essa situação pode tornar o processo de libertação financeira mais complicado.

Por isso, é preciso que haja planejamento e estudo para que a pessoa dependente possa começar a empreender ou entrar no mercado de trabalho. Saber quais são as qualidades laborais e procurar desenvolver novas é uma etapa essencial.

4. Trabalho e capacitação

Depois de entrar no universo do empreendedorismo ou conseguir encontrar um emprego para se sustentar, muitas pessoas podem se acomodar a atual situação. Muitas vezes, ficam estagnadas no mesmo patamar.

No entanto, para sair totalmente da dependência financeira, o crescimento é uma parte essencial para que a pessoa crie consciência do seu poder e importância. Buscar melhorar por si mesmo é uma parte crucial para a mudança efetiva! Para mais dicas como esta, assine nossa newsletter no WhatsApp e receba ainda mais conteúdos gratuitos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

10 respostas

  1. Muito bom oi texto ,devido ao vício do jogo estou dependente de um familiar a cerca de vinte anos e mesmo tendo trabalhado 12anos nesse período não deu certo agora com 60 nada a fazer senso tentar aposentar por idade.,

  2. Eu dependo financeiramente do meu marido depois que casamos ele não deixou eu trabalhar e eu me sinto muito mal com isso não tenho liberdade pra nada

  3. Minha dependencia começou quando saí do trabalho para mudar de país (vivíamos em Portugal nessa altura),pois meu marido conseguiu uma melhor oportunidade de trabalho na España. Eu fiquei súper empolgada mas lá meu planos não correram bem e não consegui trabalho.Quando comecei a reclamar e quería voltar para Portugal por causa do horario das escola,, meu marido dizia que eu era mal agradecida porque muita mulher quería ficar en casa com os filhos e não podía, que essas mulheres que deixam os filhos na escola não tem dó dos filhos ,que o salario dele dava p nós dois,que quando voltasse p Brasil ele teria tempo p me ajudar ,pois ele trabalhava fora, e ficava fora 15 días.Ele foi me arrastando nessa situação(eu fiquei sem forças para argumentar ,pois tudo eu era mal agradecida ,minha filha ti nha tres años já).Enfim, fui perdendo o poder de descisão e me acomodei en casa e estábamos em crise matrimonial. Eu totalmente dependiente ouvindo coisas horribles.Ele descidiu que ia voltar para o Brasil, eu quería voltar para Portugal. Acontece que veio a Pandemia e as escolas em Portugal fechadas e não teria como eu ficar lá na casa dos meus parentes sem trabalho e minha filha sem escola, pois la a escola é tempo integral, na cidade onde morava na España era só das 9 as 14 .Enfim, decidí voltar para o Brasil,estudei para o enem enquanto estaba em casa na España ( ja que teria que vir embora foquei em entrar na faculdade).Acontece que mesmo tirando uma nota que me permite entrar na universidade o pai da minha filha não quer ficar com ela para eu estudar, o curso que quero,só tem a noite,entao optei pelo ead qualquer ,más muito infeliz porque ele que paga, ele vendeu nossa casa e entrou numa sociedade,eu só tinha ajudado pagar o terreno quando eu trabalhava e ajudava nas despesas, então ele joga na cara que eu nao fiquei em Portugal porque não quis,que soy mal agradecida, por reclamar de viver na dependencia,.Eu estudei p ibge muito,e o concurso foi cancelado,me frustrei bastante porque era una oportunidade de voltar a trabalhar,me sinto muito triste e envergonhada porque as pessoas acham que gosto dessa vida,eu nunca planejei ser sustentada por homem,não julgo quem busca isso,más para mim é difícil e me sinto julgada ,eu me questiono todos os días porque não tive pulso firme e não aceitar,Deus sabe o quanto me enrolava,todo año que eu começava un projeto na Espanha ele dizia nao vale a pena vamos embora esse año,era muito frustrante,(arrumei emprego para limpiar hotel, más precisaba dele fin de semana em casa)eu homologuei meu histórico para estudar lá ,eu dei entrada no centro de emprego,más fiquei sempre de mãos atadas,porque meu marido trabalhava fora porque ganhava mais,mesmo eu implorando para ele trabalhar perto e ficar com a filha para eu “fazer minha coisas”,ele sempre falando ,ta quase ,esse año vamos embora,no Brasil,lá você estuda ,trabalha, etc. Estou aqui no Brasil, meio dessa Pandemia, gracias a Deus ele não deixa faltar nada, más daqui a pouco ele constitui otro relacionamiento, e as coisas mudarão, estou eu com uma filha de 6 años sem casa própria,sem emprego .Continuo estudando para o ibge, no momento meu psicológico não permite ver oportunidade, eu não vou voltar com ele só por medo dele não me bancar, ele aprontou e me fez sofrer demais, eu quero independência total e não sei que fazer, mesmo que as pessoas não acreditem,.a gente ganhava quase o mesmo salario quando começamos o relacionamiento e juntamos um pouco juntos,más lá na España ele ganhava muito mais, sei que tenho um pouco de dinheiro meu envolvido,más como ele joga na cara ,quem trabalhou na España foi ele,é muito humilhante, más não vou voltar p ele, tudo ele faz chantagem, “vou te comprar um sofá se eu voltar p casa, “aí eu digo,nao preciso de sofá ?Ou outro día ele diz que não vai ficar com a filha p eu estudar porque não estamos juntos, só se ele voltar p casa. Ele sabe que o pessoal ta sem trabalho en Portugal, as criancas sem escola,e me provoca p eu voltar p Portugal, eu quero voltar ,más a Pandemia tem que estar controlada por la,as escolas funcionado normalmente, nos duas tamos a nacionalidade portuguesa, se Deus quizer voy conseguir voltar .

    1. Sinto muito por tudo isso que você passou e está passando, Souza! Espero que tudo se resolva, estou torcendo por você!

  4. Parabéns pelo texto.
    Eu estou desempregada há quatro anos, meu esposo nunca reclamou ou cobrou de mim, cuido dele,da casa e das crianças.
    Mas ultimamente me sinto tão inútil, apesar de trabalhar tanto como dona de casa. Estamos na pandemia e já não sei mais o que fazer para me tornar financeiramente independente. Sinto-me insegura e com a um baixa autoestima. Quero muito trabalhar, estou péssima. Sentir-se inútil é muito triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos