Home Blog Dinheiro parado: por que isso é ruim para você?

Dinheiro parado: por que isso é ruim para você?

dinheiro parado 1

Muitas pessoas têm o hábito de gastar menos do que recebem e, com isso, constroem reservas financeiras. Entretanto, se o indivíduo deixa o dinheiro parado, essa reserva tende a se desvalorizar com o passar do tempo.

Diversos brasileiros deixam o dinheiro parado, simplesmente, por não saber o que fazer com esse capital. Ou, ainda, acham que aplicações financeiras são muito difíceis.

Dessa forma, além de ter o dinheiro parado em desvalorização, se perde a chance de ganhar rendimentos que esse dinheiro poderia gerar dentro de uma aplicação.

Por que não deixar o dinheiro parado?


Em primeiro lugar, é importante listar os principais motivos que tornam o saldo na conta parado um péssimo negócio.

1.   A inflação desvaloriza o dinheiro parado

A inflação é o aumento nos preços da economia. Para entender como esse fenômeno afeta a economia brasileira, existem diversos índices de referência para isso.

Portanto, se os preços do mercado subirem e seu dinheiro estiver parado, ele sofrerá com uma consequente desvalorização.

Sendo assim, o ideal é que as suas reservas sejam investidas em aplicações financeiras que pelo menos acompanhem a inflação.

2. Dinheiro na conta é mais fácil de ser gasto

Quando você tem dinheiro parado na conta corrente, é possível que você encontre um motivo para gastá-lo com relativa facilidade.

Isso acontece porque, para utilizar o dinheiro que está na sua conta, basta apenas sacar ou usar um cartão de débito.

Se esse dinheiro for aplicado, mesmo que em um investimento de alta liquidez, o uso desse recurso vai ser menos incentivado em algum nível.

Portanto, se você costuma gastar com facilidade o dinheiro em mãos, é importante não deixar o dinheiro parado e evitar cair nesse costume.

3. Dinheiro parado não gera rendimentos

Além de estar se desvalorização frente à inflação, o dinheiro parado não gera rendimentos. Isto é, dinheiro parado significa dinheiro perdido.

Independente do seu objetivo, há formas de investir que sejam adequadas e rendam mais que a inflação. Isso vale tanto para quem quer criar uma reserva de emergência de fácil acesso ou iniciar investimentos para o longo prazo, com maiores retornos.

Portanto, a depender do seu objetivo, é necessário estudar as melhores opções e tornar o seu dinheiro mais eficiente e produtivo, sem perder sua liquidez caso queira resgatá-lo.

O que fazer com o dinheiro parado na conta?

dinheiro parado 2

Na maioria das vezes, quando o dinheiro se acumula na conta, o objetivo do correntista é poupar uma quantia para que ela esteja disponível em algum momento necessário.

Embora muitos considerem a caderneta da poupança como uma opção, ela pode ter um rendimento real negativo, se for descontada a inflação.

Vale dizer que a poupança rende, mas pouco quando se compara com outras aplicações. Para alguns especialistas, ela nem é um investimento.

Além disso, esse tipo de aplicação ainda conta com o aniversário da poupança, um fator que diminui a liquidez do investimento.

Diferente dessa opção, existem várias aplicações financeiras de alta liquidez, ou seja, que se transformam em dinheiro com facilidade e que rendem igual ou mais que a inflação. Conheça algumas delas.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic paga a variação da taxa de juros básica, sendo um título emitido pelo Tesouro Nacional.

Sendo assim, a inflação não conseguirá reduzir o poder de compra do seu dinheiro. Em suma, essa taxa se configura como o valor mínimo de retorno no mercado financeiro. Sendo assim, a rentabilidade deste investimento é consistente e segura.

Além disso, o tesouro Selic tem liquidez alta, tornando mais fácil o acesso a este recurso. Os títulos são capazes de trazer um ganho 7 vezes maior que a poupança, como aconteceu em abril de 2018, por exemplo.

No entanto, é importante ter atenção para o resgate desse capital. Para esse tipo de aplicação se faz necessário pagar o Imposto de Renda.

Fundos DI

Os fundos DI são investimentos de renda fixa que podem ter liquidez diária. Eles são seguros, já que tem como objetivo acompanhar o CDI.

Além disso, eles estão incluídos na categoria de fundos de renda fixa, como são classificadas as carteiras que tenham pelo menos 80% do patrimônio aplicado em ativos vinculados à variação da taxa de juros ou de índices de preço, por exemplo.

Quem controla esse fundo é um gestor profissional que, por sua vez, procura aplicar 95% do valor investido em títulos públicos ou privados de baixo risco.

Essa pode ser uma ótima opção para quem está começando a construir uma reserva com pouco dinheiro. Afinal, a entrada para os fundos DI é de baixo custo quando se compara com as outras opções semelhantes.

LCA e LCI

Outras duas opções bastante conhecidas também são as Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Quem emitem esses títulos são os bancos, mas destinam-se ao financiamento de atividades nos setores imobiliário e do agronegócio.

A principal vantagem dessas aplicações é que ambas não possuem descontos do Imposto de Renda, além de estarem cobertas pelo Fundo Garantidor.

No entanto, é importante pesquisar bem para encontrar instituições que paguem taxa superior a 90% do CDI. Outra observação, quanto a liquidez, é que o prazo mínimo para resgatar as letras de crédito é de três meses.

CDB

Bastante conhecido, o CDB (Certificado de Depósito Bancário), é um bom e seguro investimento de renda fixa. Basicamente, o CDB funciona como um empréstimo do seu dinheiro para a instituição bancária.

A captação, portanto, serve para financiar as atividades do banco emissor, como projetos, crescimento e pagamento de dívidas.

Para esse tipo de aplicação, também é necessário estar atento ao IR (Imposto de Renda). Entretanto, ele apresenta a vantagem de ser coberto pelo FGC.

O FGC (Fundo Garantidor de Crédito) acoberta até R$250.000,00 em investimentos em CDB, tornando o prejuízo ainda mais improvável.

Por fim, vale destacar que existem muitas oportunidades de otimizar o seu dinheiro parado. Para isso, basta se planejar financeiramente e entender quais são as opções que mais fazem sentido de acordo com seus objetivos financeiros.

O que fazer com dinheiro parado?

É possível investir em ativos que tenha alta liquidez, como é o caso do CDB, fundos DI, Tesouro Selic, LCI e LCA.

Por que não deixar dinheiro parado?

Além de não render nenhum valor que poderia render, a inflação desvaloriza esse dinheiro guardado.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *