Dólar Futuro: o que é, como funciona e como investir?

dólar futuro

Apesar de seu confuso nome, o dólar futuro é uma estratégia bastante rentável para investir nessa moeda estrangeira.

Os ganhos do dólar futuro ocorrem a partir da cotação da moeda em determinado período.

Sendo assim, cada vez mais, o dólar futuro tem feito parte da carteira de aplicações dos investidores e de alguns fundos de investimentos.

O que é dólar futuro?

dólar futuro

Existem diferentes formas para ganhar dinheiro com o dólar. No caso dólar futuro, temos a negociação de uma commoditie financeira na Bolsa de Valores.

Essa transação consiste em um contrato de compra ou venda da moeda norte-americana por um valor e período definidos no momento da compra.

Portanto, após o seu vencimento, existe a possibilidade de recolher seus resultados, sejam eles positivos ou negativos.

Para que serve o dólar futuro?

O objetivo dessa negociação financeira é a obtenção de lucros a partir das variações do dólar em relação ao real.

Seus lotes comercializados são padronizados de forma em que a cotação em reais seja equivalente a US$1 mil.

Ou seja, a compra, nesse caso, é feita a partir de condições diferentes daquelas oferecidas em casas de câmbio.

Isso porque o mercado financeiro entende o dólar futuro não como uma moeda física, mas sim como algo que pode se valorizar ou desvalorizar após certo período.

Como funcionam os contratos de dólar futuro?

O dólar futuro é um ativo negociado na Bolsa de Valores, em um ambiente próprio chamado Mercado Futuro.

Nele, a compra de um contrato (disponibilizado pela B3) pode ser negociada após um período, de acordo com seu vencimento determinado no ato da compra.

A intenção disso é contar com as oscilações da moeda estrangeira para que o rendimento obtido seja satisfatório.

O vencimento dos contratos pode ser em qualquer momento do ano, possibilitando ganhos com a valorização (compra) e desvalorização (venda) em diferentes períodos.

Tipos de contratos

Os contratos de dólar futuro são divididos em duas categorias:

  1. Contratos cheios de dólar (DOL);
  2. Minicontratos de dólar (WDO).

Os contratos cheios são voltados para o público investidor com maior quantia de dinheiro disponível para a aplicação.

Já os minicontratos, indicados para pessoas com montantes menores.

Um contrato cheio corresponde a uma movimentação de US$50 mil por contrato, com um lote mínimo de 5 unidades, ou seja, US$250 mil.

Já os minicontratos valem, cada, US$10 mil, sem limite mínimo exigido.

Alavancagem

Uma característica interessante, mas bastante arriscada, do mercado futuro, é a alavancagem.

Essa alternativa possibilita que os investidores adquiram os contratos de dólar futuro mesmo sem possuir todo o seu valor, apenas uma margem de garantia, presente em aplicações como o Tesouro Direto e CDB.

No entanto, é importante ter cuidado, já que as variações podem superar expectativas tanto positivas quanto negativas.

No caso negativo, o prejuízo obtido pode ser enorme, já que o investidor não possui capital para compensar o valor do contrato.

Como funciona a cotação do dólar futuro?

Os ativos da Bolsa estão sempre sujeitos a inúmeras oscilações.

Isso ocorre, pois diversos fatores políticos e econômicos influenciam as cotações, principalmente os relacionados aos Estados Unidos, responsável pela emissão do Dólar.

Portanto, caso você deseje adquirir um contrato cheio, de US$50 mil, por exemplo, é preciso estimar o valor desse montante em reais em uma data futura.

Vencimento dos contratos

O vencimento dos contratos de dólar futuro ocorre no primeiro dia útil de todos os meses do ano.

A data é identificada por dois dígitos que correspondem ao ano e mês, segundo a tabela abaixo:

Mês Código
Janeiro F
Fevereiro G
Março H
Abril J
Maio K
Junho M
Julho N
Agosto Q
Setembro U
Outubro V
Novembro X
Dezembro Z

Tabela de identificação do mês de vencimento dos contratos futuros – Fonte: B3

Portanto, no caso do papel DOLU20, temos um contrato cheio com data de vencimento em setembro de 2020.

Quais os custos para investir em dólar futuro?

Antes de começar a investir em dólar futuro, é importante considerar todos os custos envolvidos nesta operação.

Conheça quais são cada um deles:

Taxa de corretagem

A Taxa de Corretagem é cobrada pela corretora de investimentos utilizada pelo investidor, podendo variar de acordo com a instituição.

Além disso, ela costuma ser diferente para operações de compra e venda e Day Trade.

Taxa de liquidação

A Clearing de Derivativos, que realiza o registro, compensação, liquidação e gerenciamento de risco de operações com derivativos e commodities, cobra a chamada Taxa de Liquidação para operações com dólar futuro.

Esse serviço é oferecido pela B3, antiga BM&F Bovespa.

Taxa de permanência

A B3 também cobra pela geração e atualização de relatórios de suas posições em dólar futuro.

O custo não costuma passar de R$1 real por dia, podendo diminuir ainda mais se houver um alto nível de movimentação de contratos.

Taxas B3

Por fim, existe também o recolhimento de emolumentos e da Taxa de Registro, que aparece na venda antecipada do contrato.

As duas incidem no momento da liquidação das ordens.

Como investir em dólar futuro?

Os contratos e minicontratos de dólar futuro são negociados através do home broker ou mesa de operações de sua corretora de valores.

Por isso, caso você não possua a conta em alguma instituição, esse é um passo necessário.

Vale lembrar que a margem de negociação exigida pode ser paga tanto em dinheiro quanto em investimentos, como ações, CDBs e títulos do Tesouro.

Em geral, ela costuma ser de R$65 para minicontratos e de R$325 para contratos cheios. Ou seja, devido aos altos valores transacionados, o risco dessa operação é bastante alto.

Uma das estratégias bastante utilizadas para o investimento em dólar futuro é também o Day Trade, operação de curtíssimo prazo onde o objetivo é o ganho com a alta ou queda das cotações diariamente.

Outra possibilidade é investir com prazo maior e mudar posições de acordo com as oscilações do mercado.

No entanto, essa atividade exige bastante conhecimento sobre a análise técnica.

Vale a pena investir em dólar futuro?

O investimento em dólar no mercado futuro a médio e longo prazo oferece bastante lucratividade com um pouco mais de segurança.

Além disso, esse ativo é uma boa opção para a diversificação da carteira, já que é uma moeda forte que pode equilibrar seus rendimentos caso o mercado nacional passe por crises.

No entanto, antes de investir e durante a aplicação, não deixe de acompanhar as notícias relacionadas ao mercado nacional e internacional.

Assim, você estará de olho nos fatores que influenciam suas cotações e garantirá bons resultados com o dólar futuro.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Últimos artigos