Home Blog Dólar paralelo: entenda o que é e quais os riscos da comercialização

Dólar paralelo: entenda o que é e quais os riscos da comercialização

dólar paralelo 1

Se você acompanha notícias relacionadas a economia provavelmente já ouviu falar em alta e baixa do dólar. Essa é a moeda mais importante do mundo e pode causar impacto no setor econômico de diversos países. Dólar turismo, dólar comercial e dólar paralelo são alguns tipos desse ativo financeiro.

Porém, quando se fala em negociações com dólar paralelo, é preciso ficar atento, pois esse tipo de comercialização funciona de maneira clandestina.

O que é dólar paralelo?

O dólar paralelo é um indicador econômico que corresponde a um tipo de negociação realizada paralelamente ao mercado de câmbio. Ou seja, que não tem autorização oficial para ter sua compra e venda feita de forma lícita.

Então, por ser ilegal, o Banco Central do Brasil (BACEN) não supervisiona esse tipo de operação. Quem faz essa negociação são os doleiros através de um mercado negro da moeda norte-americana.

Geralmente, ele é bastante utilizado em operações ilegais. Deste modo, é comum as pessoas terem dúvidas a respeito de como ele surgiu e, porque o dólar paralelo ainda existe.

Por que o dólar paralelo foi criado?

Esse tipo de negociação começou no Brasil em meados dos anos 1990, quando o país estava passando por uma instabilidade econômica. Então, seu surgimento foi uma forma de reagir a algumas ações governamentais, como o bloqueio da poupança. Além disso, as pessoas esperavam se proteger contra um colapso da economia nacional na época.

Porém, com o passar do tempo o dólar paralelo se tornou proibido. Isso ocorreu porque o BACEN decidiu determinar a comercialização ilegal para controlar o volume de divisas que o Brasil possui.

Quem acumular moedas estrangeiras obtidas em operações ilegais estará sujeito a punições previstas em lei.

Quais são os tipos de dólar disponíveis no mercado?

Além do dólar paralelo existem outras variações da moeda norte-americana que podem ser comercializadas.

Confira quais são:

  • Dólar Futuro: O dólar futuro não é necessariamente uma moeda, mas é um tipo de contrato de compra e venda que pode ser negociado através da Bolsa de Valores. Então, o principal objetivo é conseguir lucrar através das altas e quedas da cotação do dólar. Por isso, que todos os dias centenas de noticiários reservam um espaço em programação para falar sobre cotações diárias de moedas estrangeiras.

Como é possível negociar as datas de compra e venda desses contratos para o futuro, muitas pessoas conseguem se proteger das oscilações da moeda.

  • Dólar PTAX: é usado como uma média da taxa de câmbio para operações de compra e venda do dólar comercial que podem ser realizadas ao longo do dia. Pois, seu valor só é calculado após o fechamento do mercado. Por esse motivo que existe a cotação diária do dólar, que se refere ao valor estabelecido no final do dia anterior.
  • Dólar comercial: este é usado para transações de compra e venda que são realizadas no comércio exterior. Quem importa produtos, usa essa cotação para planejar e calcular suas aquisições.

Diferentemente do dólar paralelo, a negociação do dólar comercial é legalizada. No entanto, o valor da sua taxa costuma variar muitas vezes em um mesmo dia. Isso acontece por causa da oferta e demanda das transações.

Além disso, pessoas físicas que moram no exterior, costumam usá-lo para fazer empréstimos em bancos registrados pelo Banco Central.

  • Dólar turismo: também conhecido como câmbio flutuante, esse é o mais importante para quem está pretendendo fazer uma viagem ou comprar algo importado.

Sua cotação é usada por turistas em passagens aéreas e compras utilizando cartões de crédito e pré-pagos. Além disso, é a taxa utilizada por corretoras para vender dólar aos viajantes.

O seu valor é mais alto que o dólar comercial por ter seu lucro através do agente de câmbio, custos de importação e IOF acrescido.

  • Dólar à vista: é mais utilizado quando uma empresa fecha contrato no mercado financeiro e logo em seguida registra na Bolsa de Valores.

Existem riscos no mercado de dólar paralelo?

Como operar dólar paralelo é considerado ilegal. Então, é arriscado realizar sua venda e compra.

  • Sonegação de impostos;
  • Lavagem de dinheiro.

Geralmente, estes são os crimes mais comuns realizados por quem insiste em usar esse tipo de dólar.

Então, mesmo que você seja apenas um comprador desejando um custo menor desta moeda, é preciso se atentar para os riscos. Pois, negociar o dólar paralelo é crime previsto em lei.

Como funciona a cotação do dólar?

Todos os dias a cotação do dólar gira em torno da taxa de câmbio. Pois, essa taxa é a relação entre duas economias.

Assim, ela se torna flexível devido a fatores econômicos e políticos tendem a influenciar relações comerciais entre dois países: Brasil e Estados Unidos.

Então, pelo EUA ser a maior potência mundial, não só o Brasil, mas muitos países costumam utilizar o dólar como moeda referência para transações comerciais.

Por causa da oferta e demanda, o dólar interfere diretamente a economia brasileira. Por isso, diariamente o Banco Central divulga sua cotação.

Vale ressaltar que essa cotação é referende aos tipos da moeda que são legalizadas. Ou seja, o dólar paralelo pode ter outro valor.

Como comprar dólar legalmente no Brasil?

Muitos bancos e corretoras de valores fazem a venda legalizada do dólar. No entanto, é importante ficar atento as taxas, pois elas costumam ser altas.

Fazer uma pesquisa de mercado pode ser o ideal na hora de obter dólares tanto para viagens quanto para realizar investimentos.

Aeroportos também realizam a venda do dólar, porém, nesse ambiente costuma custar bem mais caro que a venda em corretoras e bancos.

Como a comercialização do dólar paralelo é ilegal, bancos e corretoras são proibidos de efetuar a venda. Além disso, quem for pego vendendo ou comprando estará agindo contra a lei.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

connect

we'd love to have your feedback on your experience so far

bicycle