Downsizing: entenda a potencial importância desse processo!

downsizing 2

Em períodos de crise e economia desaquecida, é comum a prática do downsizing, isso se dá também em situações que o faturamento de negócios ou organização não está compensando diretamente as suas despesas fixas.

O processo de downsizing funciona por meio da redução de partes do empreendedorismo, de recursos e até mesmo do número de colaboradores.

Então, o processo de downsizing é correlato a ação de reduzir despesas, gastos e processos que são considerados desnecessários, dispendiosos ou fogem do possível do que a empresa pode arcar.

Qual é o significado de downsizing e como ele opera?

O downsizing é um termo inglês que pode ser traduzido como: redução de tamanho ou proporção. Nessa perspectiva, a administração downsizing emprega uma vertente organizacional pautada no contingenciamento e simplificação de processos.

O downsizing empresarial atua justamente diante essa pauta, é uma forma de eliminar procedimentos que engessam a empresa e, por vezes, dificultam a tomada de decisão. Portanto, o downsizing nas empresas preza por:

Eficiência

Busca reestruturar e simplificar os processos internos, permitindo assim, concretizar de forma mais ágil determinadas demandas e comunicações.

Desierarquização

É pautada em horizontalizar as vivências e partes da empresa, para que assim, a equipe se sinta mais disponível para atuar e resolver problemas, atua como uma descentralização de poder.

Monitorar processos

É evidente uma pauta na redução, seja de equipe ou de processos, e isso permite que a empresa mais facilmente monitore suas decisões tomadas e entenda como melhorá-las através da análise.

Planejamento

Com o downsizing, é necessário avaliar metas, princípios e oportunidades, estudar se o processo sairá como um benefício da empresa e planejar quais serão os próximos passos após sua implementação.

Execução e análise de custos

Devido a prática da redução, se torna mais viável implementar ferramentas de análise e indicadores de qualidade. Assim, permite a empresa observar se o desenvolvimento está realmente de acordo.

Dentro dessa perspectiva, é evidente a busca entre a ligação dos processos de downsizing e outsourcing. O outsourcing é uma prática pautada na terceirização de serviços que não estão diretamente relacionados com a atividade da empresa.

Entre exemplos de outsourcing estão: contabilidade, segurança, call center, entre outros. Essa premissa não só compactua com o downsizing, como também, permite que determinadas empresas invistam em potencializar suas áreas de real atuação.

Quais são as desvantagens e vantagens do downsizing?

O processo de downsizing é comumente interpretado de forma pejorativa por apresentar nuances que estão ligadas a demissões ou descontinuidade de processos.

Entretanto, a prática de downsize pode ser uma forte aliada de pequenas empresas, para aquelas que estão enfrentando processos burocráticos ou necessitam de mudanças estruturais.

Além disso, entre o downsizing vantagens e desvantagens, são possíveis de citar:

Vantagens de fazer downsizing:

  • Reduzir custos e determinadas despesas;
  • Tomar decisões de forma mais eficiente ou com agilidade;
  • Aumentar a comunicação interna, devido ao menor contingente de processos e burocracia;
  • Avaliar processos executados pela empresa, já que sua estrutura é menor, permite que a avaliação seja completada em tempo hábil;
  • Produzir mais e com maior qualidade, diante uma comunicação externo menos procedural;
  • Ter menos burocracia em processos;
  • Menor hierarquização da empresa como um todo.

Desvantagens de fazer downsizing:

  • Quando mal aplicado poderá por em risco a vida econômica e nome da empresa;
  • Pode gerar insatisfação e insegurança por parte dos colaboradores, devido a redução dos quadrantes e equipe, o que pode impactar na qualidade do serviço ofertado;
  • Se direcionado a redução de equipe, acomete despesas como rescisões, FGTS e demais custos envolvidos.

Portanto, antes da prática do downsizing é preciso que se estude cada etapa que compõe a empresa, seus colaboradores e processos, somente assim, será possível reorganizar e tomar decisões em busca de melhores condições.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos