Economia criativa: entenda por que ela tem sido tão importante

economia criativa

A economia criativa vem se tornando cada vez mais popular, já que, para o crescimento e desenvolvimento de novos negócios, a inovação está sendo cada vez mais demandada.

Por isso, entender o que significa a economia criativa e suas contribuições, é muito importante para se situar no mercado do empreendedorismo, que se torna cada vez mais competitivo.

O que é a economia criativa?

A economia criativa é o conjunto dos setores da economia que utilizam a criatividade e o capital intelectual como matérias-primas ou insumos primários da produção.

Ou seja, estão dentro do campo de estudo da economia criativa os negócios que compõem a indústria criativa como um todo.

O interessante é que um objetivo da economia criativa é mostrar que pode existe potencial econômico em diversas atividades culturais.

Setores da economia criativa

O potencial econômico de várias atividade culturais e criativas podem ser as vezes subestimados.

Por isso, é importante destacar os principais setores da economia criativa e como cada um deles beneficia o progresso econômico nacional.

A conferência da UNCTAD (Nações Unidas Para o Comércio Internacional e o Desenvolvimento) dividiu a economia criativa em 4 grupos:

1. Patrimônio

O setor de patrimônio está relacionada a toda atividade econômica gerada a partir de alguma herança cultural.

Portanto, podem ser incluídos como parte do patrimônio da economia criativa:

  • Festas e celebrações culturais;
  • Artes tradicionais e estimuladas por heranças culturais locais;
  • Museus;
  • Bibliotecas;
  • Eventos culturais em geral.

2. Artes

O setor artístico, que muitas vezes é desvalorizado por parte da sociedade, pode ter um potencial econômico muito relevante, além de contribuir com o capital humano de um país.

Entre os setores artísticos da economia criativa, estão:

  • Artes visuais: pintura, escultura, fotografia, entre outras;
  • Artes cênicas: música, teatro, dança, entre outros.

3. Mídia

A mídia está relacionada com a produção de conteúdo criativo como fonte de comunicação com o público.

São considerados exemplos de mídia para economia cultural as seguintes atividades:

  • Livros;
  • Imprensa em geral;
  • Cinema;
  • Televisão e rádio;
  • Revistas e jornais.

4. Criação funcional

São serviços que envolver o capital intelectual e criativo, que surgem a partir de uma demanda.

Como exemplos de criações funcionais para a economia cultural, temos:

  • Software;
  • Arquitetura e design;
  • Jogos.

Economia criativa no Brasil

O Brasil é um país fortemente auxiliado economicamente pela criatividade e inovação de alguns desses setores.

De acordo com o Fijan, no ano de 2015 foram gerados R$155,6 milhões a partir da economia criativa.

Um dos principais exemplos de economia de inovação criativa no país, é o Porto Digital, localizado na cidade do Recife.

O Porto Digital é um polo tecnológico, que gerou diversos empregos e trouxe a colaboração de empresas multinacionais, como a Microsoft e IBM, tudo isso graças as suas iniciativas de empreendedorismo criativo.

Além disso, existem exemplos de economia sustentável, que também podem ser consideradas criativas, que estimulam o crescimento nacional e do número de empregos.

Por exemplo, empresas de fontes de energia renovável vêm crescendo bastante nos últimos anos, auxiliando no aumento da receita nacional.

Portanto, a economia criativa é uma forma inteligente e inovadora de estimular o crescimento econômico, preservando atividades culturais, artísticas, valorizando assim o capital humano nacional.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos