Home Blog Educação financeira para jovens: como iniciar o contato com o dinheiro

Educação financeira para jovens: como iniciar o contato com o dinheiro

educacao financeira para jovens 2

A educação financeira para os jovens serve como um suporte para o início do contato com o dinheiro.

Um dos maiores benefícios da educação financeira para os jovens é a chance de garantia de um futuro melhor.

A educação financeira para jovens e para adultos funciona quase da mesma maneira: com o direcionamento consciente do dinheiro.

No caso das finanças pessoas para jovens, essa gestão precisa estar adaptada às suas necessidades e seu estilo de vida.

Para que serve a educação financeira?

educacao-financeira-para-jovens-2

A vida de uma família é impactada diretamente pelas decisões financeiras de seus integrantes. Por isso, o planejamento financeiro é importante para que se aprenda a:

É preciso aprender desde cedo a fazer escolhas que irão ajudar a lidar melhor com as questões cotidianas e imprevistos.

Para tomar as decisões financeiras corretas, é preciso analisar nossas reais condições e necessidades, algo promovido pelo minimalismo.

Qual a importância da educação financeira para os jovens?

É comum o pensamento de que os benefícios da educação financeira só aparecem depois de décadas de muito sacrifício e esforço.

Entretanto, quem fala isso, provavelmente, nunca tomou as atitudes necessárias para começar a controlar bem o dinheiro.

A juventude é a fase onde as necessidades pessoais começam a surgir. Além disso, é nesse momento que a entrada no mercado de trabalho começa a se tornar uma realidade.

Por isso, quanto mais cedo uma pessoa souber lidar com seu dinheiro, mais controle ela terá no início da sua vida financeira.

Como falar de educação financeira para os jovens?

Para falar de educação financeira para jovens e adolescentes é preciso simplificar. Não adianta usar diversos termos e teorias, se na prática os ensinamentos não forem absorvidos.

O problema é que boa parte das famílias nem toca no assunto das finanças. Isso acontece por diversos motivos, como a falta de conhecimento no tema ou didática.

Na adolescência e no início da juventude, os padrões sociais e status são bastante importantes para os jovens. Essa realidade acaba distorcendo a percepção de necessidades reais dos jovens.

Por isso, é preciso ter uma conversa honesta para ajudar na fuga das armadilhas do consumismo. Além disso, é importante alertar para o consumo sustentável e os problemas que esses jovens irão enfrentar quando o assunto é economia pessoal.

Dicas para falar sobre dinheiro com os jovens

A abordagem das finanças para jovens precisa ser educativa, não punitiva. Isso significa que atitudes como cortar mesadas ou remunerações por conta de más atitudes não é eficaz na educação financeira.

Essas atitudes começam a relacionar o ganho do dinheiro somente a bons comportamentos e não à responsabilidade.

Introduza os jovens no planejamento doméstico

O primeiro passo para iniciar a vida financeira do jovem é dado dentro de casa. Por isso, deixe-o por dentro dos gastos mensais da casa, como as contas e alugueis.

Além disso, caso o jovem receba alguma renda, é válido solicitar que ele contribua com esses custos. Isso o ajudará a ter mais responsabilidade e economizar dentro de casa.

Incentive o consumo de educação financeira

Existem diversos livros de educação financeira que auxiliam no desenvolvimento de uma consciência financeira.

Suas dicas e estratégias, muitas vezes dadas por grandes personalidades das finanças, são extremamente úteis para qualquer pessoa.

Além disso, pesquisar sobre o assunto ajuda a evitar erros já cometidos e desperdiçar o orçamento.

Dê uma mesada educativa

A função da mesada é proporcionar um pouco de liberdade financeira para jovens e adolescentes. Ela precisa ser usada não somente como a primeira renda do jovem, mas como instrumento estratégico de educação financeira.

Ao relacionar os ganhos do jovem com seus gastos mensais, ele conseguirá criar uma melhor consciência do uso do dinheiro.

Esse valor precisa corresponder às necessidades básicas do jovem. Isso significa que, a partir de uma certa idade, a mesada poderá ser usada para seus gastos mensais e diários.

Ou seja, as saídas com amigos, lanches na cantina e assinaturas de streaming de música partirão do valor recebido. Isso ajudará na tomada de melhores decisões financeiras.

Entre as vantagens da mesada educativa, estão:

  • Valorização do dinheiro;
  • Desenvolvimento do controle de gastos;
  • Criação de prioridade de gastos.

Dê o exemplo primeiro

Na educação financeira para adolescentes a atitude mais importante é o exemplo. Não adianta dar lições se as atitudes financeiras da família são desorganizadas.

A capacidade de assimilação dos jovens é bastante subestimada pelos adultos. Entretanto, as atitudes dos mais velhos têm uma enorme influência no futuro dos mais novos.

Por isso, é preciso falar sempre sobre o dinheiro com simplicidade e honestidade. Além disso, se esforçar para também ter atitudes positivas que possam inspirar os jovens.

A educação financeira para jovens é uma ótima oportunidade de crescimento para toda a família. Após se organizar e planejar juntos, os ganhos atingirão todos os integrantes.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *