Home Blog Especulação: afinal, vale a pena especular?

Especulação: afinal, vale a pena especular?

especulacao

A bolsa de valores, principalmente na visão de quem é iniciante, pode parecer um lugar onde enriquecer é rápido e fácil. Influenciados por esta visão, muitos, mesmo sem saber, entram na bolsa realizando operações de especulação financeira.

Entretanto, a especulação talvez não seja a melhor forma de aplicar seus recursos, principalmente se você está em um processo de construção de patrimônio.

Desta forma, para quem quer começar a investir ou está buscando estratégias para aplicar seus recursos, é indispensável entender do que se trata a especulação financeira e quais riscos envolvidos nesse tipo de operação.

O que é especulação?

especulacao

A especulação pode ser definida como a compra de um ativo para obter lucros com sua venda futura, sobre totais condições de incerteza.

Portanto, a especulação financeira ocorre quando uma pessoa decide comprar algum ativo financeiro, seja de renda fixa ou de renda variável, sem analisá-lo a fundo, visando apenas lucrar com a sua negociação de curto prazo.

É verdade que é possível obter retornos espetaculares com a especulação na bolsa de valores ou em criptomoedas, por exemplo.

Mas, sem dúvidas, é uma operação de altíssimo risco que, na grande maioria das vezes, traz prejuízos financeiros para quem é menos experiente no mundo dos investimentos.

Investimento ou especulação?

A especulação é comumente confundida com o investimento propriamente dito. Mas na verdade, essas são estratégias muito distintas.

Quem investe, aplica seus recursos por enxergar uma possibilidade de retorno de longo de prazo através de um estudo aprofundado sobre o ativo financeiro.

Por exemplo, quem quer investir em ações, basicamente, deve conhecer a empresa que está recebendo seu investimento, entendendo a situação financeira e analisando o mercado de atuação do negócio.

E quem investe em um título do tesouro deve estar atento ao índice financeiro que está “guiando” a aplicação e à situação da economia como um todo.

Portanto, é possível perceber que quem realmente investe fundamenta as suas decisões de aplicação financeira, não se tratando de uma atitude puramente especulativa.

Na verdade, a especulação deve der encarada como uma “estratégia alternativa”.

Imagine que você já tem um patrimônio considerável. Se você decidir especular sobre uma pequena fração dos seus recursos, não terá problema.

Neste caso, a especulação pode trazer um retorno atrativo. E caso a sua especulação dê errado, apenas uma pequena parte do seu patrimônio estará comprometida, o que não será tão prejudicial.

O grande problema da especulação é que muitas pessoas estão especulando acreditando que estão investindo, sem entender bem os riscos envolvidos nesta operação.

3 características da especulação

Portanto, se até agora você achava que estava investindo, mas desconfia que talvez possa estar na verdade especulando, conheça algumas práticas características da especulação:

1. Olhar seus investimentos todos os dias

Se você sente uma grande ansiedade para saber se seus ativos valorizaram ou desvalorizaram todos os dias, você está tendo uma atitude de especulador.

Claro, não é somente isso que vai definir se você é um investidor ou especulador. Mas, dentro da lógica dos investimentos, não faz muito sentindo se prender a flutuações de curto prazo.

Se você decidiu aplicar seus recursos em uma ação, por exemplo, foi porque acredita no crescimento da empresa no longo prazo.

Portanto, não faz sentido nenhum deixar que as flutuações de curto prazo sejam determinantes para as suas decisões de investimento.

2. Comprar ou vender ativos por conta de flutuações de curto prazo

Da mesma forma que você não deve abandonar um investimento por conta de oscilações de curto prazo, não é interessante, por exemplo, comprar um ativo só porque ele desvalorizou excessivamente no curto prazo.

Isso significa que você está colocando o preço do ativo à frente dos fundamentos da sua decisão. Ou seja, você está especulando.

É preciso ter muito cuidado com esse tipo de decisão.

Por exemplo, muitas pessoas vendem seus ativos que sofreram uma grande valorização de curto prazo, perdendo a oportunidade de lucrar com a futura valorização, que pode ser ainda maior.

3. Achar que vai ficar rico rápido na bolsa de valores

Quem entra na bolsa esperando que enriquecerá de forma rápida tem uma propensão altíssima de se tornar um especulador.

Investimentos, no geral, tem foco em um prazo não tão próximo.

Os investimentos funcionam de forma gradativa, na qual o investidor vai aplicando aos poucos os recursos, diversificando sua carteira de investimentos e, aos poucos, construindo um patrimônio sólido.

Portanto, se você aposta em ativos somente para vende-los rapidamente e lucrar com essas transações, você está especulando.

Na grande maioria das vezes, esse comportamento dentro da bolsa de valores não é sustentável, resultando em prejuízos de longo prazo.

Tipos de especulação financeira

especulacao

Agora que você entende a lógica por trás da especulação financeira, é interessante conhecer os diferentes tipos de especulação praticadas no mercado.

Especulação através de Day trade

As operações de Day trade são de curtíssimo prazo, já que o especulador compra e vende os ativos no mesmo dia.

O intuito do Day trade é aproveitar a grande volatilidade dos ativos listados na bolsa, que valorizam e desvalorizam constantemente.

Entre as operações especulativas, pode até ser mais segura que as demais, já que ocorre no mesmo dia a compra e a venda, não dando margem para grandes desvalorizações.

Entretanto, se o Day trade for feito em grande volume, pode resultar em significativas perdas para a pessoa.

Especulação através de Swing trade

O swing trade funciona de forma similar ao Day trade, mas tem um prazo um pouco maior, variando entre dias ou semanas.

Quem usa essa estratégia utiliza-se de gráficos e procura encontrar padrões de flutuações de preços para sustentar sua estratégia de swing trade.

Especulação através de derivativos

Os derivativos são contratos negociados no mercado financeiro e amplamente usados para fins especulativos.

Os derivativos podem ser utilizados em várias estratégias além da especulação, como o hedge, tática adotada por diversos investidores.

Existem diferentes derivativos:

  • Contratos a termo;
  • Contratos futuros;
  • Opções;
  • Swaps.

Especulação através de criptomoedas

É impossível falar de especulação nos últimos tempos sem citar as criptomoedas, principalmente o Bitcoin.

Por conta das altas valorizações das criptomoedas, muitas pessoas acreditam que especular neste mercado é uma boa ideia.

A verdade é que as criptomoedas são altamente voláteis. Quem consegue acertar o momento certo de quando comprar e vender, e assim, tem lucros excelentes.

Entretanto, não existe como prever a valorização das criptomoedas através de qualquer fundamento, o que caracteriza como um caso clássico de especulação.

Especulação imobiliária

A especulação imobiliária é a compra de imóveis na expectativa que o valor de mercado do bem valorize no futuro.

Diferente dos demais, a especulação imobiliária não acontece na bolsa de valores.

Além de poder lucrar com a valorização do imóvel, normalmente o proprietário também tem receita através dos aluguéis.

Riscos da especulação financeira

especulação

Indubitavelmente, especular é uma operação que trás consigo riscos maiores do que outras formas de aplicação financeira.

Claro, “onde tem maiores riscos, há maiores retornos”. O problema é que a grande maioria das pessoas acaba tendo prejuízo com a especulação financeira.

Na verdade, normalmente quem tem sucesso com a especulação são os especialistas, que trabalham exclusivamente com isso.

Mas, até mesmo estes profissionais estão sujeitos a muito risco e acabam sofrendo prejuízos de longo prazo.

Então, principalmente para quem está começando a investir, colocar seus poucos recursos em aplicações de caráter especulativo pode colocar tudo a perder.

Assim, é preciso ressaltar que especular é arriscado e só deve ser feito quando tiver um alinhamento com a sua tese de investimentos e disponibilidade de recursos.

Vale a pena especular?

Como você pode ter percebido, especular, em si, não é uma prática errônea.

Na verdade, é uma estratégia de aplicação dos recursos, mas que deve ser usada de forma consciente.

Muitas pessoas entram na bolsa e no mundo dos investimentos com a perspectiva de enriquecimento rápido e fácil. Isso definitivamente não existe.

Existe um consenso entre os maiores nomes do investimento mundial de que ninguém enriquece do dia para a noite.

Com certeza, algumas pessoas já ganharam muito dinheiro especulando, mas, sem dúvidas, não é o caso da maioria.

Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) aponta que 90% das pessoas que tentam viver de day trade têm prejuízo de longo prazo. Mas, como você viu, day trade não é a única forma de especular.

Existem outras formas mais inteligentes, preservando o seu patrimônio e trazendo possibilidades de retornos atraentes.

Portanto, a resposta para pergunta “vale a pena especular?” é: depende da estratégia adotada e da sua necessidade e disponibilidade financeira.

É necessário estar ciente da imprevisibilidade das especulações e desenvolver estratégias preventivas para as possíveis perdas.

Desta forma, você pode conciliar seus investimentos e especulação de forma que não prejudique a formação do seu patrimônio. Mas sempre lembrando que o investimento de longo prazo é o caminho mais seguro e sustentável.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *