Home Blog Factoring: entenda o que é e como funciona o fomento mercantil

Factoring: entenda o que é e como funciona o fomento mercantil

factoring

Muitas empresas que disponibilizam o pagamento a prazo, podem utilizar do factoring para receber os recursos à vista.

Essa é uma estratégia interessante, já que sem envolver instituições financeiras, com o factoring, a empresa pode financiar seu fluxo de caixa. E isso, é bastante importante para a manutenção da educação financeira!

O que é o factoring?

factoring-3

O factoring pode ser considerado um tipo de financiamento em que a empresa vende suas contas a receber a uma sociedade de fomento mercantil ou comercial, para conseguir resgatar esse valor, que seria pago à prazo, à vista.

O fomento mercantil é uma prática que pode ser vantajosa para pequenas médias empresas.

Desta forma, esses negócios conseguem viabilizar sua cadeia produtiva, já que os recebíveis são convertidos em dinheiro em caixa.

As empresas podem recorrer a essa estratégia, para receber a curto prazo o que só iriam receber a longo prazo, como:

Como funciona o factoring?

factoring-2

Os direitos creditórios são dividas a serem recebidas e, no caso do factoring, o objetivo é vender esses direitos em forma de título através de um contrato de fomento, para conseguir o recurso à vista.

Na operação de factoring, são envolvidas 3 principais partes:

  • Devedor: empresa ou pessoa com pendência financeiras a serem pagas para a empresa fomentada;
  • Fomentada: a empresa que substitui seus créditos a receber por uma quantia à vista;
  • Fomentadora: sociedade de fomento ou empresa de factoring que compra os créditos a receber através do adiantamento dos valores.

A empresa fomentada, na sua rotina de trabalho, vende parte dos seus serviços ou produtos a prazo.

Normalmente, o valor apenas das parcelas mensais não seria suficiente para alimentar o fluxo de caixa de uma empresa de pequeno ou médio porte.

Por isso, a empresa procura uma fomentadora, sendo uma sociedade de fomento ou uma empresa de factoring, em busca de trocar os seus créditos a receber por um valor antecipado.

A empresa fomentadora compra os valores a serem recebidos da fomentada com desconto, tornando essa negociação benéfica para ambos lados.

O desconto sobre a compra dos valores a serem recebidos é calculado a partir da taxa de deságio, que inclui no seu cálculo uma taxa de juros e um risco de inadimplência.

Desta forma, a empresa que faz o fomento comercial consegue lucrar e a fomentada consegue ter os seus recursos no curto prazo, possibilitando assim a execução da sua cadeia produtiva.

Principais vantagens de fazer o factoring

Toda empresa precisa ter em caixa os recursos necessários para bancar a sua operação comercial.

Existem várias formas de crédito para conseguir ter recursos disponíveis, entretanto existem algumas vantagens do factoring:

  • Antecipar os créditos;
  • Transferir o risco de inadimplência;
  • Fortalece o fluxo de capital de giro.

Antecipar os créditos

Como dito, como factoring a empresa consegue arrecadar rapidamente tudo que estava previsto a ser recebido a prazo, tornando mais viável a operação.

Tudo isso a um custo mais barato do que se a empresa recorresse a crédito bancário, por exemplo.

Transferir o risco de inadimplência

Ao comprar as contas a receber, a fomentadora adquire também o risco de inadimplência relacionado a essas dívidas.

Essa é uma vantagem grande para a empresa fomentada, porque além de receber o pagamento a vista, não precisa se preocupar com o pagamento do crédito por parte dos devedores.

Fortalece o fluxo de capital de giro

Para pequenas e médias empresas, principalmente, o dinheiro para adquirir matéria prima, insumos e fazer investimento é restrito.

Portanto, conseguir adiantar os valores a receber em uma operação de fomento, mesmo que reduzindo suavemente os lucros, pode ser uma ótima estratégia.

Dessa forma, o fluxo de capital de giro corrente é fortalecido, tornando mais fácil a aquisição de bens e serviços necessários para a atividade da empresa.

Portanto, o factoring pode ser muito benéfico para a empresa. Mesmo assim, é necessário ter as contas na ponta da caneta e estruturar bem um planejamento, para que assim o crescimento da empresa seja sustentável e escalável.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *