FGTS emergencial: como funciona e como consultar o saldo?

FGTS EMERGENCIAL 2

Para auxiliar a população a enfrentar os impactos financeiros causados pela pandemia de Covid-19, o Governo Federal liberou o saque emergencial do FGTS em 2020, que teve direito de sacar de acordo com a faixa de saldo disponível em sua conta.

Ou seja, o trabalhador pôde resgatar o saldo de até um salário mínimo (equivalente a R$ 1.045) de cada conta do FGTS, ativas ou inativas, no ano passado.

Como as implicações econômicas decorrentes do período pandêmico ainda persistem, muitos trabalhadores ficaram na expectativa que o benefício fosse liberado novamente esse ano, mesmo com a prorrogação ao auxílio emergencial e outras medidas tomadas.

Este é um assunto que gera muitas dúvidas, por isso, este artigo explicará o que é o FGTS, quem tem direito a ele, qual a diferença entre o saque do FGTS emergencial e as outras modalidades disponíveis, entre outros assuntos.

O que é e como funciona o FGTS?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é um direito dos trabalhadores que têm o vínculo da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) – mais conhecido como carteira assinada. Ele serve como uma reserva de dinheiro para os profissionais.

Assim, 8% do salário do colaborador é depositado na Caixa Econômica Federal pela empresa todos os meses, sem nenhum desconto. No caso dos contratos de aprendizagem, esse percentual é de 2%.

Quem pode receber esse benefício?

Como citamos no início do texto, os trabalhadores com vínculo CLT têm o direito de fazer o saque do fundo de garantia, mas não somente eles. Abaixo, confira a lista das categorias que podem acessar esse benefício:

– Trabalhadores rurais e safreiros;

– Empregados domésticos;

– Trabalhadores intermitentes e temporários;

– Trabalhadores avulsos;

– Atletas profissionais.

Em que situações o FGTS pode ser sacado?

Existem algumas situações específicas em que o trabalhador pode ter acesso ao dinheiro. São elas:

  • Aposentadoria;
  • Compra da casa própria;
  • Rescisão do contrato de trabalho por acordo;
  • Demissão sem justa causa;
  • Financiamento de imóvel;
  • Fechamento da empresa;
  • Idade igual ou superior a 70 anos;
  • Doenças graves;
  • Término do contrato de trabalho (para quem é trabalhador temporário);
  • Morte do trabalhador;
  • Falta de atividade remunerada para trabalhadores avulsos (a partir de 90 dias);
  • Rescisão por culpa recíproca ou causa maior;
  • Conta sem depósito por mais de três anos;
  • Necessidade pessoal, urgente e grave (perda da casa por incidentes naturais, por exemplo);
  • Dependentes ou herdeiros judicialmente reconhecidos (em caso de morte do trabalhador).

Modalidades de saque

FGTS EMERGENCIAL

Saque-rescisão

A modalidade mais usual do saque do FGTS é a que o trabalhador tem direito de resgatar todo o valor disponível na sua conta após demissão sem justa causa. Ele pode ser realizado até cinco dias após o empregador comunicar a rescisão do contrato à Caixa.

Lembrando que trabalhadores demitidos por justa causa ou que pediram demissão não tem direito a liberação do valor.

Saque-aniversário

O governo criou o saque-aniversário em 2019, no qual os trabalhadores podem escolher receber uma parte do valor do FGTS uma vez por ano, de acordo com sua data de aniversário. A mudança é opcional e é necessário informar a Caixa Econômica Federal o interesse em migrar de modalidade.

É importante destacar que quem opta por essa alternativa não receberá o valor integral do fundo de garantia em caso de demissão, apenas os 40% da multa prevista em contrato. Pode-se voltar ao modelo anterior, mas é necessário esperar dois anos para desfazer a troca.

Os valores do saque-aniversário disponíveis até o último dia útil do segundo mês subsequente ao da aquisição. Caso o trabalhador não saque até essa data, ele volta automaticamente para a conta no FGTS.

Abaixo, uma tabela de indica o percentual que pode ser sacado de acordo com o valor disponível na conta do trabalhador:

TABELA

Saque emergencial

O saque emergencial do fundo de garantia foi instituído em 2020 e autorizou o resgate de até um salário mínimo de todo titular de conta, incluindo as ativas e inativas. O pagamento dessa modalidade é realizado apenas pela Poupança Social Digital, criada automaticamente pela Caixa Econômica Federal.

Este ano, o governo optou pela prorrogação do auxílio emergencial e a tomada de outras medidas de redução dos impactos econômicos. Sendo assim, o valor não será liberado em 2021, mas os trabalhadores podem optar pelo saque-aniversário e receber um percentual do FGTS.

Saque imediato

Em 2019 e 2020, o governo liberou uma cota de R$ 500 para saque por conta do FGTS. Porém, assim como foi o caso do saque emergencial, essa modalidade não foi liberada em 2021 por causa da prorrogação do auxílio emergencial.

Qual a diferença entre saque FGTS emergencial e saque-aniversário?

Enquanto o saque emergencial do FGTS foi uma medida adotada pelo Governo Federal em 2020 amenizar os danos econômicos causados pela pandemia de Covid-19, o saque-aniversário é uma modalidade disponível para qualquer trabalhador.

Caso você estivesse contando com a liberação do saque emergencial em 2021, uma boa opção é optar pelo saque-aniversário.

Como consultar o meu saldo?

Você pode acessar o seu saldo no site da Caixa Econômica Federal ou do FGTS. Você também pode ter acesso baixando o aplicativo do FGTS no seu celular. Lembre-se de ter o número do seu NIS ou CPF em mãos.

Caso seja cliente da Caixa, você consegue fazer todo o processo pelo site ou pelo aplicativo da instituição financeira.

Agora que você tirou todas as dúvidas sobre o Saque emergencial FGTS, conhece as modalidades e sabe como acessar o seu saldo, poderá tomar decisões mais assertivas, de acordo com os seus objetivos e perfil financeiro.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos