Home Blog Finanças para casais: 5 passos para melhorá-la!

Finanças para casais: 5 passos para melhorá-la!

financas para casais 2

A organização das finanças é um dos fatores que influenciam fortemente quando assunto é educação financeira para casais e é uma questão complicada para várias pessoas. Por isso, é preciso se planejar bem para evitar brigas e prejuízos no final do mês.

Entre as diversas formas de divisão de custos em uma casa, existem algumas dicas essenciais de finanças para casais. Com elas, é possível se preparar para os gastos fixos e inesperados.

As finanças para casais são os custos e ganhos de cada um, somados, já que por morarem juntos, as despesas acabam sendo iguais. Nesse sentido, a administração dos gastos e das compras em conjunto pode proporcionar uma melhor convivência.

Entre as principais dicas financeiras para casais, existem as que são fundamentais para uma organização efetiva e duradoura.

financas-para-casais

Falem abertamente sobre dinheiro

Para um bom relacionamento é fundamental que tudo seja falado abertamente. No caso das finanças, incluem-se as despesas, custos, necessidades etc.

Com a conversa, é possível entender os desejos e objetivos de cada um e administrar melhor a renda para que essas metas se realizem.

Por isso, deixe claro:

  • Quanto cada um ganha por mês;
  • As metas individuais e em conjunto;
  • Os débitos atuais do casal.

Façam um planejamento financeiro

Antes mesmo de juntar as despesas com alguém, é bastante comum que as pessoas não tenham o menor controle dos seus gastos. Dessa forma, quando ocorre a união das finanças, o problema persiste e dobra de tamanho.

Como as decisões em casal devem ser tomadas juntas, os dois precisam saber exatamente qual o estilo de vida da casa. Portanto, para fazer um bom planejamento financeiro, você deve anotar:

  1. Custos fixos (contas de luz, mensalidades da escola, aluguel etc.);
  2. Despesas individuais (assinaturas, academia, telefone etc.);
  3. Custos variados (compras no shopping e gastos mensais com alimentação na rua);
  4. Objetivos em conjunto (compra de um bem, viagem, reforma etc.).

Com essas informações, é bem mais fácil tomar decisões financeiras em casal.

O planejamento ajuda a definir as prioridades do casal e eliminar despesas desnecessárias que atrapalham o orçamento.

Façam um perfil de organização

Com todas as despesas e metas definidas, é necessário entender qual a melhor forma de organização financeira para casais.

Entre: 1) juntar os salários e 2) manter a individualidade financeira, o que dá certo é o que funciona para o casal. Portanto, cabe aos dois entenderem suas preferências na divisão dos custos.

Receitas separadas

Se os gastos forem separados, é importante que sejam proporcionais ao ganho de cada um. Dessa forma, se um ganha mais, deve desembolsar uma quantia maior que a do outro para manter o equilíbrio financeiro.

Receita conjunta

Para o casal que preferir juntar as rendas, o valor total precisa ser visto como algo pertencente aos dois. Nesse caso, não importa se um ganha mais ou menos.

A conta conjunta pode ser uma opção para esses casais, já que ela ajuda a centralizar os gastos e reduzir gastos com taxas bancárias.

Seja qual for o perfil de organização das finanças, o casal precisará dar prioridade aos gastos fixos. Entre eles, estão

  • Contas de luz, água, internet etc.;
  • Aluguel e condomínio;
  • Gastos com bens (combustível, no caso de um automóvel).

Após isso, é preciso separar uma quantia a ser dividida individualmente. Essa atitude garante que cada um possa fazer um investimento, já que ele ocorre de forma individual.

Além disso, a partir dessa quantia, serão pagas as despesas individuais, como faturas e compras em geral.

Criem uma reserva de emergência doméstica

A reserva financeira garante a manutenção do custo de vida por um determinado período. Ela é usada após situações inesperadas que comprometem as finanças, sejam elas individuais ou em conjunto.

Entre esses acontecimentos inesperados, estão:

  • Reposição de bens quebrados;
  • Perda de renda (desemprego ou falência);
  • Conserto de móveis ou reformas inesperadas;
  • Problemas de saúde.

Para descobrir o valor ideal para uma reserva, no caso do casal, deve-se somar o custo de vida da casa. Isso inclui as despesas fixas como as contas e o aluguel.

Após isso, o ideal é que o valor consiga garantir esses custos por um período de seis a doze meses.

Estudem sobre as finanças juntos!

Não existe trabalho em conjunto quando um só lado caminha em direção a um objetivo. Portanto, em um casal, é preciso que os dois estejam dedicados à transformação financeira para que ela aconteça.

O livro “Casais inteligentes enriquecem juntos” do Gustavo Cerbasi indica o casal seja realista ao seu padrão de vida. Isso porque, ao adotar um estilo exagerado, ele não se sustentará por muito tempo e poderá prejudicar o seu companheiro.

Portanto, nas finanças para casais, o mais importante é a busca conjunta pela organização financeira. Com isso, é possível manter uma relação saudável e alcançar os objetivos e metas dos dois. Deseja mais conteúdo? Acompanhe a carta do fundador com insights diários!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *