Financiamento estudantil: entenda como funciona!

financiamento estudantil 2

O melhor tipo de investimento é, sem dúvidas, em educação. Existem diversos tipos de financiamento estudantil disponíveis. Porém, entre tantas opções, é fácil se confundir.

Um profissional graduado tem muito mais chances de construir uma carreira consistente. Por isso, o financiamento estudantil é uma opção para aqueles que não conseguiram uma vaga nas universidades públicas.

O que é o financiamento estudantil?

O financiamento estudantil busca facilitar o acesso dos estudantes a universidade através do empréstimo e parcelamento da dívida.

Assim, o aluno que não possui condições para pagar as mensalidades do curso que escolheu pode ser ajudado.

Durante o período do curso, o crédito estudantil se responsabiliza pelas parcelas. Ao mesmo tempo, o valor total é dividido em parcelas que vão além da graduação. Essa estratégia diminui drasticamente o pagamento mensal.

Para aqueles alunos que estão em busca de empréstimo para a faculdade, o financiamento estudantil pode ser uma alternativa melhor.

Mas, antes de obter esse tipo de crédito: é preciso estudar as possibilidades disponíveis no mercado e buscar as menores taxas de juros efetivas, e assim, evitar um descontrole financeiro.

Tipos de financiamento estudantil

Antes de entender como fazer um financiamento estudantil, o estudante precisa pesquisar o tipo de financiamento mais adequado às suas condições e exigências.

FIES: Fundo de financiamento estudantil

O FIES é um programa de financiamento criado pelo Ministério da Educação. Com ele, o estudante tem o poder de estender o pagamento até três vezes o tempo de duração do curso escolhido.

Pessoas com renda familiar de até três salários mínimos, desde 2018, podem fazer o financiamento do curso superior sem juros.

Quem possui bolsa parcial do ProUni também pode parcelar a outra metade da mensalidade com o FIES.

Entre as exigências do FIES, estão:

  • Ter feito prova do ENEM com nota mínima de 450 pontos;
  • Nota maior que zero na redação;
  • Financiamento nos bancos Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Financiamento estudantil privado

Disponível como uma alternativa para o FIES. Nesse tipo de financiamento cada instituição financeira possui suas taxas, juros e condições específicas.

  • Bradesco;
  • Caixa;
  • Santander;
  • Itaú.

No crédito estudantil privado, a instituição repassa o valor mensalmente à faculdade. O estudante, portanto, faz o pagamento parcelado acrescido de juros e correção monetária.

Para o estudante que não consegue se adequar às regras do FIES as instituições privadas são uma solução. Com taxas em níveis próximos ao do programa público, o crédito privado mantém as chances de formação do estudante.

Programas de financiamento estudantil privado

Além dos bancos, existem outras instituições privadas que possibilitam o financiamento.

PEP: Parcelamento Estudantil Privado

O estudante tem a possibilidade de parcelar até 70% do seu curso sem juros. Além disso, não é necessário ter conta no banco ou ter feito a prova do ENEM.

EDUCRED

O credor só começa o pagamento do financiamento 30 dias após a conclusão ou cancelamento do curso.

PRAVALER

A contratação é semestral e cada semestre é pago em, no mínimo, um ano. Caso o aluno parcele todos os semestres de um curso de quatro anos, terá oito anos para terminar de pagar.

Vale a pena fazer um financiamento estudantil?

Vários estudantes possuem condições de passar mais um ano em busca de uma vaga nas universidades públicas. Entretanto, uma grande parcela dos alunos não conseguem a desejada aprovação.

Para esses, o financiamento estudantil é uma boa opção quando adequado às condições de pagamento do estudante. Para mais conteúdos: acompanhe a nossa carta, com diversos insights valiosos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos