Home Blog Firma em cartório: o que é preciso para abrir uma e fazer reconhecimento

Firma em cartório: o que é preciso para abrir uma e fazer reconhecimento

firma em cartorio

Alguns depósitos em cartório e processos com tabeliães requerem uma autenticação assinada. Essa modalidade de registro e autenticação é contemplada por meio da firma em cartório.

A firma em cartório funciona através do registro de uma assinatura (firma) em um cartório da escolha do indivíduo. Essa assinatura será utilizada para autenticar os demais documentos e comprovar a veracidade da mesma nas documentações assinadas.

Então, a firma em cartório é uma forma de reconhecer que aquela assinatura é original, ou seja, foi assinada pela pessoa em questão.

Em alguns casos, são exigidos o reconhecimento de firma como autenticação, basta levar no cartório para que eles comparam as assinaturas autentique.

Entenda como abrir, autenticar e reconhecer firma em cartório

Como reconhecer firma em cartório? O procedimento para reconhecer firma em cartório é algo simples e para realiza-lo basta primeiro abrir firma em cartório.

Portanto, para entender como abrir firma:

  1. Documentação necessária: CPF e identidade (preferencialmente, levar cópias de ambos também);
  2. Deverá ser realizado no cartório para reconhecer firma ou tabelionato mais cômodo, lembrando que terá que retornar nele toda vez que for usar ou reconhecer, seja pelo método da autenticidade ou semelhança do documento;
  3. No cartório, preencher o cartão de firma na presença do funcionário autorizado ou tabelião do cartório;
  4. Será cobrada uma taxa pelas expensas de feitura e arquivo da assinatura (firma);
  5. Pronto, firma registrada em cartório e disponível para reconhecimento.

Agora que o processo de abrir firma está finalizado, existe a utilização dessa firma posteriormente. Mas antes disso, a dúvida comum nessa área é a seguinte, “posso reconhecer firma em qualquer cartório?”.

De fato, o reconhecimento de firma poderá ser realizado independente do cartório em questão.

Entretanto, isso implicará no retorno àquele cartório toda vez que for necessário o uso. Porém, não existe limite de cartórios em que se possa fazer o reconhecimento.

Por conseguinte, a utilização da firma se dá por meio de dois processos, a autenticação e o reconhecimento da firma. O reconhecimento consiste em:

  • Ir ao cartório que contém um registro de firma ou assinatura para que o processo seja agilizado;
  • O reconhecimento, geralmente, é feito na presença do cidadão autor da assinatura que precisa ser reconhecida;
  • Entretanto, existe a possibilidade de contratação de um correspondente jurídico. Assim, o profissional ficaria encarregado de realizar o processo de reconhecimento de firma por semelhança. Esse profissional também auxiliará com sua expertise em leis.

Entenda quanto custa para abrir firma e o valor de cada reconhecimento

Quanto custa para abrir firma no cartório? O valor para abrir firma em cartório é entre as faixas de preço de R$8 até R$16 variando de acordo com região e tipo de cartório.

Já o custo do reconhecimento de firma vai depender da modalidade utilizada, entre os tipos de reconhecimento de firma estão:

  • Reconhecimento por semelhança: é o tipo de reconhecimento que compara a assinatura do documento com as registradas na folha ou ficha de firma que foi arquivada em cartório;
  • Reconhecimento por autenticidade: é o tipo de reconhecimento realizado quando o autor da assinatura que foi arquivada em cartório, vai pessoalmente assinar Livro de Termo de Comparecimento e autenticar o novo documento.

Agora que se sabem os tipos, a dúvida para responder detalhadamente quanto custa o reconhecimento de firma, observe abaixo:

  • Reconhecimento de firma por semelhança: quando o documento não apresenta valor econômico: R$ 5,99. Já os que apresentam valor econômico: R$ 9,13 (ambos os valores conforme a tabela de 2018);
  • Reconhecimento de firma por autenticidade: R$ 15,30 (conforme a tabela de 2018).

Por fim, o registro de firma em cartório pode parecer um pouco burocrático, mas ele é essencial para garantir à segurança e autenticidade de algumas transações. Mais conteúdos de educação financeira? Inscreva-se no nosso whatsapp.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *