Fundo previdenciário: para que ele serve?

fundo previdenciario

A busca por estabilidade e independência financeira faz com que muitos brasileiros busquem por um Fundo Previdenciário.

Instituições financeiras privadas oferecem um Fundo Previdenciário, que funciona como um tipo de fundo de investimento voltado para o longo prazo.

Sendo assim, o Fundo Previdenciário é um plano de aposentadoria administrado por empresas privadas do setor financeiro.

Como o Fundo Previdenciário funciona?

Esse tipo de fundo funciona através de contribuições mensais em que os indivíduos aplicam seus recursos para retirá-los no futuro. O Fundo de Previdência possui duas fases: a de acumulação e a de usufruto.

Na primeira fase, de acumulação, o indivíduo aporta recursos a fim de construir o seu patrimônio. Além disso, nesse momento, quem administra o dinheiro é a instituição.

Por outro lado, na segunda fase, que é a de usufruto, se aproveita dos recursos que foram acumulados ao longo da vida.

Vale lembrar que o montante de dinheiro se multiplica ao longo do tempo, graças ao trabalho dos juros compostos. Por isso, quanto maior o tempo de acumulação, melhores vão ser os ganhos no futuro.

Vantagens do Fundo Previdenciário

Os Fundos de Previdência Privada são uma alternativa de investimento para quem deseja complementar a sua aposentadoria comum.

No entanto, como dito, também servem para outros objetivos de longo prazo, como a compra de um imóvel, por exemplo.

Enquanto na previdência pública o Governo Federal usa as contribuições ao INSS para pagar os que estão aposentados atualmente, a previdência privada guarda todo o valor que se aplica.

Com isso, o gestor do fundo investe os capitais em produtos financeiros de qualidade, a fim de alcançar boas rentabilidades.

Ao final do período estipulado, é possível receber todo o valor corrigido de uma vez ou através de pagamentos mensais.

Desde a Reforma da Previdência, os fundos previdenciários se tornaram mais populares e variaram suas ofertas, oferecendo condições mais atrativas para os investidores que tem interesse nesse tipo de fundo.

Com as mudanças, esses fundos já podem ter mais que 70% de sua composição em renda variável. Dessa forma, eles tem abandonado o histórico de baixa rentabilidade e sido mais visados.

Para quem um Fundo Previdenciário serve?

O Fundo de Previdência, enquanto plano de aposentadoria, serve tanto para jovens quanto para adultos. No entanto, ele também serve para idosos, já que é um produto voltado para objetivos acima de 6 anos.

Com a previdência privada, é possível construir uma reserva de dinheiro para usar em momentos importantes, assim como para complementar a renda no futuro.

Quais são as taxas do fundo previdenciário?

O fundo previdenciário possui três principais tipos de taxas, sendo elas:

  • Taxa de administração: a taxa clássica cobrada pela gestão do fundo de investimento, que pode variar de 1% a.a. até 5% a.a.
  • Taxa de carregamento: essa taxa que pode incidir sobre as contribuições feitas ao plano de previdência, também chamada de taxa de entrada
  • Por fim, a taxa de saída: é a taxa cobrada por alguns fundos sobre o valor resgatado do plano de previdência.

Além disso, outra taxa que pode surgir é a de performance, quando o plano superar certo benchmark.

Tributação

Ao aderir ao fundo previdenciário, é possível escolher entre dois regimes de tributação: o progressivo e o regressivo.

Na tabela regressiva, as alíquotas do IR diminuem conforme o tempo de aplicação. Sendo assim, elas vão de 35% com 2 anos de investimento até 10% após 10 anos do plano.

Já no regime progressivo, por outro lado, cobra-se o imposto com base na mesma tabela que incide sobre os salários, aluguéis e outras rendas tributáveis sujeitas ao ajuste anual. Portanto, as alíquotas aumentam conforme o valor que se recebe.

Quais são os tipos de Previdência Privada?

Existem duas opções de planos de Previdência Privada, sendo eles: o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Conheça cada um deles:

Fundo de Previdência VGBL

O plano de previdência VGBL é um produto previdenciário regulamentado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

Em razão disso, ele não é classificado como uma previdência complementar, mas como um seguro de pessoas.

Nesse sentido, em caso de morte do titular do plano, se libera recursos pagos para os seus beneficiários.

Um fato importante do VGBL é que Imposto de Renda (IR) incide apenas sobre a rentabilidade acumulada. Além disso, nesse plano, existe a incidência de taxas de administração.

Fundo de Previdência PGBL

Embora também seja regulamentado pela SUSEP, o plano de previdência PGBL é considerado um modelo complementar.

Nele, o prazo mínimo de resgate obedece ao período de carência determinado pela instituição responsável pelo fundo.

Diferente do que ocorre com o VGBL, no PGBL o Imposto de Renda (IR) incide sobre o valor total a receber.

VGBL ou PGBL: qual o melhor plano?

Para decidir qual dos planos de previdência fazem mais sentido para você, é importante responder a seguinte pergunta: sua declaração de Imposto de Renda é feita de forma simples ou completa?

Para quem faz a declaração de IR de forma simplificada e não contribui com a Previdência Social, o VGBL pode ser o mais ideal.

Isso porque sua tributação ocorre apenas sobre o ganho de capital, algo vantajoso para quem deseja aplicar mais de 12% de sua renda bruta em previdência.

Por outro lado, quem faz a declaração de IR de forma integral e também contribui com a Previdência Social, pode ter como melhor opção o PGBL.

Com ele, é possível diminuir o valor do imposto a pagar, caso se invista menos de 12% da renda bruta e com tributação na fonte.

Vale a pena o Fundo Previdenciário?

Devido ao cenário da economia brasileira, muitas pessoas têm buscado os Fundos Previdenciários para garantir uma melhor qualidade de vida no futuro.

Esse tipo de aplicação financeira costuma ser comum entre investidores iniciantes, mas acabam possuindo altos custos com administração e carregamento dos ativos, que resultam em uma baixa rentabilidade.

Em geral, os recursos dos Fundos de Previdência aplicam em produtos financeiros acessíveis aos cidadãos, como o Tesouro Direto.

Por conta disso, pode ser melhor investir na sua educação financeira e buscar, a partir dos seus conhecimentos, opções de investimento mais vantajosas.

Dessa forma, então, você irá garantir um futuro ainda mais confortável e sem a necessidade de pagar pela gestão de um Fundo Previdenciário. Tudo isso, contudo, vai depender do seu perfil de investidor.

O que é um Fundo Previdenciário?

O Fundo Previdenciário é um plano de aposentadoria administrado por empresas privadas do setor financeiro. Ele como um tipo de fundo de investimento voltado para o longo prazo.

Quais são os tipos de Fundo Previdenciário?

Existem dois principais tipos no mercado. São eles; o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livre) e o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre).

Quais são as taxas do Fundo Previdenciário?

Entre as taxas estão, por exemplo, a de administração, de carregamento e de saída. Além disso, pode haver ainda a de performance.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos