Home Blog Fundos de investimento: o que é e como funcionam?

Fundos de investimento: o que é e como funcionam?

fundos de investimento

Ao começar a investir surgem muitas dúvidas sobre como fazer e quais são as opções mais rentáveis do ponto de vista financeiro. Uma das alternativas viáveis para começar são os fundos de investimento.

Os fundos de investimento são compostos por cotas. Assim, a soma de todas as cotas compradas, formam o patrimônio total do fundo de investimento.

O que são fundos de investimento?

fundos de investimento 1 1

Os fundos de investimentos são formados por uma carteira de ativos financeiros. Os fundos são disponibilizados por administradoras e funcionam através de um pagamento mensal sobre a administração da parte (cota) que foi adquirida.

Os principais fundos de investimento:

Existe uma grande diversificação de fundos de investimentos. No entanto, alguns se destacam:

E cada um funciona de forma distinta. Não existe uma “escolha certa”, mas sim, as que condizem com a realidade que a pessoa que pretende investir está passando no momento.

Ou seja, não existe fórmula mágica. O essencial e indispensável é entender como se executa cada fundo e a partir disso, estudar o melhor para si.

Fundos cambiais

Os fundos cambiais acompanham a cotação de moedas “fortes”. Por exemplo, o rendimento de um fundo relacionado ao dólar, terá a performance relativa a que a moeda está tendo naquele momento.

Por essa razão, é preciso ficar atento ao período que o fundo cambial está sendo analisado. Já que, o seu rendimento no passado, não influencia diretamente o quanto renderá no futuro.

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa possuem uma característica específica: os rendimentos precisam ter um percentual de 80% de aplicações em renda fixa. Por exemplo, uma parte pode estar investida nos títulos do tesouro.

Duas das vantagens de investir no fundo de renda fixa, é que possui uma operação simplificada e o investimento inicial costuma ser baixo.

Fundos multimercado

fundo multimercado, ao contrário das demais categorias, não segue uma limitação de tipo de investimento.

Além disso, o investidor que escolhe essa opção, precisa estar disposto a níveis de riscos de moderado a agressivo. Por ser uma mescla de tipos de investimentos, esse fundo permite a possibilidade de uma rentabilidade maior.

Fundos de ações

O fundo de ações é a composição de uma carteira de ativos da renda variável. Essa é uma alternativa para quem quer começar a investir na Bolsa de Valores, mas quer ter o auxílio de um profissional para gerenciar as cotas.

Os fundos de ações são diversificados e, por conta disso, tendem a ter perdas de capital menores do que se investidos diretamente em ações de determinada empresa.

Investir em fundos é seguro?

Antes de tudo, é importante lembrar que os fundos de investimentos não são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

O FGC é uma garantia de até R$260 mil por CPF, que protege as aplicações caso haja uma quebra do banco emissor.

Mas, mesmo assim, caso haja uma quebra da instituição financeira em que o fundo esteja sendo investido, não existe a mistura do patrimônio do fundo de investimento com a instituição. Já que, o fundo possui um CNPJ próprio.

Ou seja, a administração do fundo pode ser modificada para outra instituição e assim, continuar rendendo.

Em resumo, os únicos riscos envolvidos nos fundos estão relacionados ao risco do próprio investimento (conservador, moderado ou agressivo).

Alguns dos instrumentos financeiros garantidos pelo FGC:

  • Poupança;
  • LCI/LCA;
  • LH (Letra Hipotecária);
  • RDB;
  • CDB.

Vale a pena aplicar em fundos de investimento?

Saber se vale a pena ou não investir em fundos de investimento, é algo que deve ser respondido de forma pessoal. Já que, na composição da carteira, cada pessoa deve avaliar quais são os riscos que se está disposto a correr com o patrimônio.

Por exemplo, avaliando um espaço de investimentos (100%), qual porcentagem desse patrimônio você pode “perder”? Isto é, correr o risco, em caso de oscilações para baixo do que foi desprendido. Essa situação pode acontecer, por exemplo, em investimentos variáveis.

Respondida essa pergunta, também é importante ter consciência sobre os próprios conhecimentos. Se é um investidor que está começando, o ideal é aplicar em renda fixa, aplicar uma pequena quantia em ações (redução de danos) ou então participar de fundos para entender as atividades dos investimentos.

O primeiro passo e essencial, é ter uma reserva de emergência. Assim, qualquer eventualidade que possa acontecer com o patrimônio, o investidor estará seguro e poderá agir com educação financeira diante oscilações no rendimento.

Taxa de administração e taxa de performance: o que significam?

Antes de começar a investir em fundos, é preciso estar ciente de que as taxas podem significar um abatimento significável na rentabilidade.

  • Taxa de administração: cobrada pelo serviço de administração do fundo;
  • Taxa de performance: ocorre quando a rentabilidade do fundo se sobrepõe a rentabilidade do indicador de referência. Ou seja, quando supera o benchmark (referência de mercado para acompanhamento do desempenho do investimento) do fundo.

Por isso, antes de aderir ao fundo, é necessário saber quais são as taxas e quanto custarão efetivamente naquele tipo de investimento.

Quais são as vantagens e desvantagens dos fundos de investimento?

Visivelmente, a principal vantagem de se investir em um fundo, é a praticidade. Afinal, existe um profissional especializado para fazer a manutenção daquele investimento. Mas nem tudo são flores.

Assim como existem outras vantagens, também existem desvantagens de se investir em fundos.

Vantagens de fundos de investimentos

Desvantagens de fundos de investimentos

  • Pagamento de taxa de administração;
  • Taxa de performance, em alguns casos;
  • Escolha assertiva da empresa para realizar a gestão.

Como investir em fundos?

Para investir em fundos é preciso ter o intermédio de uma instituição. Ou seja, é preciso, antes de tudo, ter uma conta disponível.

Feito isso, o investidor transfere a quantia desejada para realizar a aplicação no fundo de interesse.

Para a escolha da instituição, é vital conhecer os seus perfis. Porque assim, é mais fácil encontrar a que tem mais conexão com o que você busca e a que cobra as menores taxas.

Os fundos de investimento são uma opção viável, principalmente para novos investidores. O ideal é que, mesmo depois de investir em fundos, o investidor continue procurando conhecimento e buscando mais autonomia sobre o seu patrimônio.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *