Gestão por competências: entenda como realizá-la!

gestao por competencias

Bastante presente nos métodos de organização, a gestão por competências é eficaz para ajudar empreendedores a tirar projetos do papel.

No entanto, dentro de algumas empresas, o método de gestão por competências ainda gera alguns questionamentos. Por isso, vale a pena conhecer um pouco mais sobre a sua importância.

O que é gestão por competências?

gestao-por-competencias

A gestão por competências consiste no direcionamento de funções que se adequem às qualificações técnicas e comportamentais de cada um. Com ela, as empresas conseguem aumentar consideravelmente a sua qualidade e produtividade.

No entanto, esse tipo de estratégia exige um pouco de trabalho do setor de recursos humanos ou do próprio gestor. Isso porque a seleção de profissionais realmente competentes demanda um longo processo, que inclui:

  • Recrutamento;
  • Avaliação técnica e comportamental;
  • Treinamento (fortemente executado através da educação corporativa).

E dentro de cada uma dessas fases, é preciso analisar as competências que o trabalho exige.

Ou seja, as capacidades essenciais para um bom desenvolvimento do trabalho e alcance de metas e objetivos audaciosos.

Por isso, fazer uma gestão por competências é saber descobrir e reter talentos dentro da empresa. Tudo isso a partir da valorização, treinamento e engajamento. Assim, conseguindo garantir um melhor futuro para a empresa.

Como funciona a gestão por competências?

A adoção de uma gestão por competências transforma diversos processos dentro de um negócio. Para isso, ela exige a identificação prévia das necessidades essenciais de cada cargo ou função dentro do negócio.

Isso serve para que os processos seletivos sejam alterados, tendo assim objetivos bastante definidos.

Processo seletivo

Na busca pela validação das potencialidades de cada profissional, vale a pena introduzir técnicas de seleção, como:

  • Simulações;
  • Dinâmicas em grupo;
  • Entrevistas.

Todas elas servem para analisar competências descritas no currículo e até descobrir talentos inesperados.

Avaliação de desempenho

Após a contratação desse profissional, a gestão por competências é ainda mais aplicada. Isso porque toda a avaliação de desempenho é feita a partir das potencialidades exigidas para o cargo ocupado.

O objetivo? Não adianta fazer de tudo se a função básica não está sendo bem atendida.

Hierarquização

Outra característica da gestão por competências é a remuneração e plano de carreira. Nesse tipo de gestão, os cargos são planejados a partir das habilidades do seu ocupante.

Assim, quem possuir um conjunto maior de competências, naturalmente estará ocupando um cargo maior e melhor remunerado. Ou seja, a hierarquização é bastante definida.

Mas não adianta somente exigir que o profissional faça exatamente tudo o que lhe é exigido sem nenhum tipo de preparação.

Desenvolvimento do colaborador

Por isso, esse estilo de gestão também adota o investimento no desenvolvimento dos colaboradores da empresa. Mais uma vez, sendo ele de acordo com as tendências comportamentais de cada um.

Por fim, é fundamental que todo o alcance de metas e objetivos, seja ele pessoal ou comum, seja reconhecido.

Assim, os profissionais se sentirão cada vez mais satisfeitos e motivados a fazer um trabalho ainda melhor.

Quais os benefícios da gestão por competência para a empresa?

A gestão de equipes por competências auxilia diretamente na alcance de metas e de um maior desenvolvimento para a empresa.

Isso ocorre, pois ao invés de sair contratando qualquer um para qualquer função, o modelo foca nas condições essenciais de produção. Ou seja, na melhoria tanto dos funcionários quanto na própria empresa.

Com isso, podemos observar algumas vantagens da gestão por competências:

  • Aumento de satisfação e motivação;
  • Redução da rotatividade (turnover);
  • Alcance de metas mais desafiadoras;
  • Ganho na produtividade.

Por isso, a gestão por competências, sem dúvidas, é altamente eficaz e garante melhores condições de trabalho dentro das empresas.

 

Qual a diferença entre gestão por competência e gestão por desempenho?

Como já dito, a gestão por competências é uma estratégia focada no direcionamento de funções de acordo com habilidades. E, por conta disso, ela exige uma boa seleção, focada na compatibilidade com os cargos e qualificação dos profissionais contratados.

Já o modelo de gestão por desempenho é aquele mais tradicional, focado no resultado dos colaboradores.

O problema desse método de gestão está justamente na constante cobrança de profissionais sem a devida atenção à suas aptidões.

Ou seja, contrata-se sem muito rigor e, posteriormente, cobra-se intensivamente algo que quem não está preparado.

É claro que a gestão por desempenhos não é completamente desconexa da importância das habilidades dos seus profissionais. No entanto, essa acaba sendo uma prioridade muito menor do que a dada pela gestão por competências.

Qual o passo a passo para fazer a gestão por competências?

Após entender o que é a gestão por competências e seu funcionamento, chega o momento de saber como implementá-la em seu negócio.

Análise da realidade da empresa

O primeiro passo para qualquer tipo de mudança dentro de um negócio é fazer um diagnóstico atual.

Para isso, vale a pena recolher feedbacks de toda a equipe, buscando entender:

  • De que forma eles se sentem cobrados;
  • Se suas funções condizem com suas competências e habilidades;
  • Se eles se sentem preparados para exercer seu trabalho.

Já para o gestor, fica o trabalho de analisar as ações da empresa para reconhecer competências dentro da área de recursos humanos. Além disso, se existe algum investimento no treinamento e qualificação dos funcionários.

Com isso, as falhas da empresa serão expostas e ficará mais fácil saber o que precisa ser feito para melhorar o clima organizacional.

Implementação dos processos

Fazer alterações nos processos dentro de uma empresa, definitivamente, não é uma tarefa simples. Isso porque:

  1. Não é possível substituir todos os funcionários de uma vez;
  2. A empresa não deve/pode perder sua produtividade;
  3. A cultura atual leva tempo para ser transformada.

Por isso, todas as ações devem ter um foco gradativo, sendo natural para todo o resto da equipe.

Isso significa que os colaboradores mais destoantes devem sim ser dispensados, mas com os outros, vale a pena a adaptação.

Essa alteração pode ser feita a partir das seguintes orientações:

  • Os cargos devem ter competências de preenchimento bem definidas;
  • A forma de remuneração deve ir de acordo com as exigências dos cargos;
  • As contratações devem ser feitas após um processo de recrutamento bem estruturado;
  • A avaliação de desempenho deve se basear nas competências exigidas do profissional;
  • A criação de cargos precisa seguir o objetivo principal da empresa.

Com essas orientações, fica mais fácil implementar estratégias de acordo com seu tipo de negócio.

Readaptação dos profissionais

Não é porque um profissional passou pelas mudanças feitas que ele deve ser deixado de lado. Muito pelo contrário!

Diferente dos novos colaboradores, contratados a partir de suas competências, eles ainda necessitam de treinamento e recolocação.

Essas ações devem ter como objetivo a redução da distância entre os cargos ocupados e suas aptidões.

Para isso, vale a pena criar um teste e aplicá-lo para cada funcionário. Após entender para onde se direcionam suas habilidades, fica mais fácil direcionar novas funções para eles.

Esse treinamento pode ser feito por empresas especializadas em atividades corporativas, mas também pelo próprio gestor.

Mensuração dos resultados e revisão de estratégias

O passo final do ciclo de gestão por competências é a avaliação dos resultados.

Para isso, deve-se fazer um mapeamento sobre a atuação de cada colaborador nas funções a eles determinadas. Ele pode ser feito através de feedbacks dos responsáveis por cada setor da empresa.

Após observar se os resultados foram positivos ou negativos, tome as atitudes necessárias para o alinhamento da equipe.

Qual a importância da gestão por competência?

A grande competitividade do mercado atual trouxe vantagens tanto para os consumidores quanto para a estruturação das empresas.

Isso porque mostrou-se necessária a atenção aos mínimos detalhes que fazem uma empresa se desenvolver ou quebrar durante o processo.

Entre eles, o principal é a composição da equipe, que impacta diretamente nos resultados da empresa com o público.

Por isso, quando a gestão por competências é utilizada, ela contribui para o aumento de desempenho e motivação dos colaboradores. Assim, fazendo com que os seus clientes fiquem cada vez mais satisfeitos. Acompanhe a nossa carta do fundador, com conteúdos diários e gratuitos!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos