Governança Corporativa: 8 princípios de uma boa gestão

governanca corporativa

A governança corporativa é objeto de grande discussão no mundo dos negócios e empreendedorismo.

No caso, a governança corporativa funciona através da gestão e administração de recursos de uma empresa. Assim, proporcionando benefícios financeiros e recursos humanos para um projeto ou negócio.

O que é governança corporativa?

A governança corporativa, ou gestão corporativa, é uma forma de administração que busca instaurar costumes, leis e processos de uma empresa.

Seu intuito é alcançar determinados resultados preestabelecidos, sejam eles comerciais, sociais, financeiros e outros.

Por exemplo, uma empresa pode ter uma governança corporativa orientada para a sustentabilidade.

Ou seja, quer dizer que seus gestores estarão ativamente preocupados com a redução de danos ambientais e medidas mais sustentáveis nos processos que envolvem o negócio.

Para que serve a governança corporativa?

Através da governança corporativa, os administradores garantem o alinhamento com os interesses dos donos.

Por exemplo, a PepsiCo. preferia que seus funcionários não consumissem outras bebidas em seu estabelecimento. Então, isso entrou no código de conduta da empresa.

Porém, no âmbito corporativo, isso vai para os interesses e estratégias que estão sendo aplicadas para desenvolver a empresa e/ou negócio, quase como um processo de prestação de contas.

Esse processo de prestação é importante, pois através dele são minimizados impactos de algumas escolhas e permite acompanhar como os processos são conduzidos.

Assim, é possível alinhar com mais precisão o modo de operação.

Nesse ponto, ela tem um aspecto burocrático, com algumas regras e restrições de autonomia, com forte atuação por meio das auditorias.

O que é Compliance?

Compliance é um termo em inglês derivado do verbo Comply (agir de acordo com uma instrução, obedecer um comando).

Ele é comumente usado como sinônimo para a governança corporativa.

Compliance e governança corporativa

Por vezes, o termo compliance no mundo corporativo e institucional é traduzido como “governar” e significa: conjunto de disciplinas que surgem para fazer com que sigam as normas, regulamentações e políticas propostas no escopo da empresa.

Além disso, o compliance também pode ser tratado como cargo responsável por:

  1. Auxiliar que os funcionários de uma empresa sigam de acordo com a norma;
  2. Estabelecer novas regras;
  3. Intercomunicar com os gestores e superiores;
  4. Detectar desvios ou inconformidades que podem ocorrer no dia a dia.

Quais os princípios da governança corporativa?

governanca corporativa 2

Agora que falamos sobre o compliance e alguns aspectos negativos e benefícios da governança corporativa, vamos para os princípios da governança corporativa.

São eles:

  1. Participação: a governança deve fazer valer a participação dos membros de um negócio, projeto ou empresa. É preciso estimular a liberdade de expressão;
  2. Estado de direito: significa que a governança deve estar sempre apoiada nos instrumentos legais, normais e regras da sociedade, sem desvirtuá-la em seus princípios;
  3. Transparência: as  informações sobre desempenho econômico e financeiro devem estar disponíveis para acesso (especialmente para investidores);
  4. Responsabilidade: é dever das instituições servir a sociedade como um todo e não apenas os seus criadores, os seus processos demandam cumprimento de prazos e acordos;
  5. Orientação por consenso: decisões devem ser tomadas de acordo com os diversos interesses. Por isso, uma boa governança tenta mediar e chegar em um consenso, uma concordância sobre qual caminho seguir;
  6. Igualdade e inclusividade: as decisões devem permitir que todos não se sintam excluídos, especialmente os membros mais vulneráveis da sociedade. Assim, se mantém um nível maior de oportunidade e bem-estar;
  7. Efetividade e eficiência: boa governança representa resoluções eficazes e soluções de problemas com recursos reduzidos;
  8. Prestação de conta (accountability): envolve assumir integralmente as consequências dos atos. Vai além da transparência, é um dever latente de transmitir e prestar contas, sendo fácil de fiscalizar.

Vale a pena implementar governança corporativa?

A governança corporativista permite uma maior aplicação de um planejamento orientado a norma, ao cumprimento de deveres e valores de uma instituição ou empresa.

Como existem diversos tipos de gestão você mesmo pode personalizar o seu conceito de governança e praticar aquilo que condiz mais com o seu negócio.

Por isso, ao pensar sobre a governança corporativa, por mais que possa parecer algo engessado, se é um negócio de grande porte, pode fazer sentido reavaliar, adaptar e aplicar essa metodologia para assegurar maior assertividade de conduta.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos