Descubra como conseguir a certidão de habite-se!

habite se

Na hora de comprar um apartamento em planta ou até mesmo um imóvel que já foi finalizado, o Habite-se é crucial para garantir que a construção é legalizada e foi vistoriada pela prefeitura.

Então, o Habite-se funciona como comprovante de conclusão de uma obra, de acordo com o que fora prometido e combinado com a prefeitura. O habite-se é parte essencial no repasse do imóvel e possibilita a nomenclatura do proprietário.

Sendo assim, Habite-se é o documento responsável por certificar que uma construção seguiu o planejamento mostrado a prefeitura.

Com ele, não existe a garantia que o imóvel é de qualidade, mas sim, que o projeto foi cumprido integralmente e conforme previsto.

Para que serve a certidão de habite-se e quanto custa para tirar uma?

habite-se

A certidão de Habite-se serve para provar que o imóvel em questão está legalizado diante a prefeitura. Essa legalidade permite, portanto, que o bem seja negociado e que o mesmo possa comportar habitantes. Caso o imóvel seja habitado antes do Habite-se, pode ocasionar multas.

Esse método de regularizar imóvel atua como um documento legal expresso pela prefeitura do município que o imóvel se localiza. A certidão de conclusão da obra ou Habite-se de um imóvel é concedida após uma vistoria que ocorre justamente na finalização do empreendimento.

O valor do habite-se é variável de acordo com a região e município, principalmente, por ser algo regulamentado e aplicado pela prefeitura municipal.

Portanto, para tirar Habite-se, será preciso pagar os encargos respectivos (algumas prefeituras praticam a ausência de taxas).

Algumas prefeituras trabalham com o Habite-se online, assim, só será preciso acessar os seus respectivos sites e sistemas.

A critério de exemplificação, em São Paulo, existe o SLC (Sistema Eletrônico de Licenças de Construção) que permite a solicitação de Habite-se online.

Por conseguinte, mesmo que uma construção esteja parcialmente completa, por exemplo, dois edifícios e apenas um foi concluído, é possível solicitar o habita-se parcial.

Com o habita-se parcial, o bem será liberado para venda, habitação e todo procedimento comum a um imóvel.

Como conseguir o habite-se?

Para conseguir Habite-se na prefeitura é preciso cadastrar previamente o plano de obras ou memorial descritivo e entrar em acordo com a prefeitura em questão.

Além disso, serão necessários os seguintes documentos para obtenção do Habita-se:

  • Formulário corretamente preenchido com identificação do imóvel;
  • Registro do CREA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) do profissional responsável pela obra e a Inscrição Municipal da mesma junto a prefeitura;
  • É possível que seja requisitada a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do responsável técnico pela execução da obra;
  • RG e CPF do requerente ou, se for empresa, CNPJ e Contrato Social;
  • Comprovante ou guia de arrecadação da prefeitura municipal (respectivo aos encargos cobrados pela mesma);
  • Cópias autenticadas da aprovação do projeto e do alvará de construção;
  • Atestados respectivos ao funcionamento de esgoto, energia elétrica, água e proteção com visto do corpo de bombeiros sobre funcionalidade das mesmas quanto a situações de incêndio;
  • Comprovante de pagamento ou quitação de ISS. Esse é o imposto que incide no serviço prestado pelos trabalhadores em obras. Caso apresente informalidade (de trabalho), a fiscalização da prefeitura calculará o valor de arrecadação do imposto devido.

É comum que algumas construtoras coloquem o valor do Habite-se no orçamento e até mesmo, realizem a solicitação de Habite-se. Entretanto, é de caráter e responsabilidade do morador ou comprador: fazer, checar e pagar Habita-se junto a prefeitura.

A falta de Habita-se e as suas implicações

Em virtude de sua legalidade e conteúdo documental, a falta de Habita-se gerará complicações mais graves, desde multas até a perda de direito.

A situação de ausência de Habita-se acarretará em:

  • Impossibilidade de transferir ou registrar imóvel em nome de proprietários;
  • Incapacidade de financiamento e participação de programas do governo, por exemplo, o Minha Casa Minha Vida e o financiamento da Caixa Econômica Federal;
  • Perda do imóvel e impossibilidade de recuperação do dinheiro investido;
  • Baixa no valor comercial dos imóveis que não apresentam Habita-se.

Por fim, o habite-se deve ser realizado, sempre. Até mesmo se estiver pago IPTU e demais contas do imóvel, é possível que ele não apresente o Habite-se.

Por isso, consultar previamente é a chave para não perder dinheiro e garantir os direitos quanto ao imóvel. Será preciso pagar os encargos respectivos (algumas prefeituras praticam a ausência de taxas).

Algumas prefeituras trabalham com o Habite-se online, assim, só será preciso acessar os seus respectivos sites e sistemas.

A critério de exemplificação, em São Paulo, existe o SLC (Sistema Eletrônico de Licenças de Construção) que permite a solicitação de Habite-se online.

Por conseguinte, mesmo que uma construção esteja parcialmente completa, por exemplo, dois edifícios e apenas um foi concluído, é possível solicitar o habita-se parcial. Com o habita-se parcial, o bem será liberado para venda, habitação e todo procedimento comum a um imóvel.

Como conseguir o habite-se?

Para conseguir Habite-se na prefeitura é preciso cadastrar previamente o plano de obras ou memorial descritivo e entrar em acordo com a prefeitura em questão.

Além disso, serão necessários os seguintes documentos para obtenção do Habita-se:

  • Formulário corretamente preenchido com identificação do imóvel;
  • Registro do CREA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) do profissional responsável pela obra e a Inscrição Municipal da mesma junto a prefeitura;
  • É possível que seja requisitada a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do responsável técnico pela execução da obra;
  • RG e CPF do requerente ou, se for empresa, CNPJ e Contrato Social;
  • Comprovante ou guia de arrecadação da prefeitura municipal (respectivo aos encargos cobrados pela mesma);
  • Cópias autenticadas da aprovação do projeto e do alvará de construção;
  • Atestados respectivos ao funcionamento de esgoto, energia elétrica, água e proteção com visto do corpo de bombeiros sobre funcionalidade das mesmas quanto a situações de incêndio;
  • Comprovante de pagamento ou quitação de ISS. Esse é o imposto que incide no serviço prestado pelos trabalhadores em obras. Caso apresente informalidade (de trabalho), a fiscalização da prefeitura calculará o valor de arrecadação do imposto devido.

É comum que algumas construtoras coloquem o valor do Habite-se no orçamento e até mesmo, realizem a solicitação de Habite-se.

Entretanto, é de caráter e responsabilidade do morador ou comprador: fazer, checar e pagar Habita-se junto à prefeitura.

A falta de Habita-se e as suas implicações

Em virtude de sua legalidade e conteúdo documental, a falta de Habita-se gerará complicações mais graves, desde multas até a perda de direito.

A situação de ausência de Habita-se acarretará em:

  • Impossibilidade de transferir ou registrar imóvel em nome de proprietários;
  • Incapacidade de financiamento e participação de programas do governo, por exemplo, o Minha Casa Minha Vida e o financiamento da Caixa Econômica Federal;
  • Perda do imóvel e impossibilidade de recuperação do dinheiro investido;
  • Baixa no valor comercial dos imóveis que não apresentam Habita-se.

Por fim, o habite-se deve ser realizado, sempre. Até mesmo se estiver pago IPTU e demais contas do imóvel, é possível que ele não apresente o Habite-se, por isso, consultar previamente é a chave para não perder dinheiro e garantir os direitos quanto ao imóvel. Para mais informações como essa, assine nossa newsletter no WhatsApp!

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos