Home Blog Incubadora de empresas: entenda como elas podem ajudar o seu negócio!

Incubadora de empresas: entenda como elas podem ajudar o seu negócio!

incubadora de empresas

Iniciar um novo negócio, criar uma startup ou formar pequenas empresas são desafios propostos todos os dias no mercado empreendedor. Por isso, incubadora de empresas acabam por ser essenciais e determinantes na sobrevivência de alguns negócios.

A incubadora de empresas funciona como estabelecimentos de auxílio para empresas, startups e novos negócios, pautadas em ajudar a gerir melhor e a inserção no mercado.

Portanto, a incubadora de empresas é um espaço dedicado a dar instrução prática e modernização para negócios e empresas.

Isso porque, geralmente, startups e novas empresas não sabem gestão empresarial e informação, gestão tecnológica, comercialização, contabilidade, marketing, assistência jurídica.

Quais tipos de empresa existem?

Na hora de classificar determinada empresas, existem alguns conflitos sobre termos ou siglas que categorizam o negócio, mas não exprimem o seu porte.

Por isso, os tipos de empresa existentes são:

Microempresa (ME)

Desde o ano de 2006, segundo a lei complementar 123, as empresas de porte micro ou microempresa (ME) são definidas pelo seu faturamento. Aquelas que faturam um valor máximo de R$360 mil ao ano são consideradas microempresas.

Além disso, as microempresas podem declarar o Imposto de Renda sobre o plano Simples Nacional, mas dependerá que suas atividades não sejam impeditivas (ex. empresas com débito com INSS e empresas que exercem atividade com serviços financeiros).

Empresa de Pequeno Porte (EPP)

As pequenas empresas ou empresas de pequeno porte (EPP) são aquelas que apresentam faturamento maior que R$360 mil e variam até R$3,6 milhões.

Assim como as ME, também poderão desenvolver a declaração do Imposto de Renda segundo o Plano Simples Nacional, se as suas atividades permitirem.

É a empresa que fatura acima de R$ 360 mil por ano até o limite de R$ 3,6 milhões anuais. Como a ME, pode estar enquadrada no Simples se não desenvolver alguma atividade que o regime não permita.

Empresas de médio e grande porte

Para classificar o porte de empresas apresentam estruturas maiores alguns órgãos públicos que trabalham com fiscalização adotam alguns critérios como, por exemplo, o número de funcionários.

Um desses órgãos é o Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), que por exemplo, usa a questão do faturamento:

  • Entre R$ 16 milhões até R$ 90 milhões de faturamento anual: porte médio;
  • Entre R$ 90 milhões até R$ 300 milhões de faturamento anual: porte médio-grande;
  • Além dos R$ 300 milhões de faturamento anual: grande porte.

Como abrir uma empresa?

Toda empresa deve ser registrada em sua abertura no cartório da cidade.

Para alguns casos é viável levar um profissional da área contábil e a menos que seja um microempreendedor individualMEI, que pode realizar o registro digitalmente, para abrir uma empresa:

  • Escrituração contábil;
  • Levantamento do balanço patrimonial e econômico;
  • Contrato Social;
  • Cópia autenticada do RG e CPF de todos os sócios e proprietários;
  • Ficha de Cadastro Nacional (FCN);
  • Pagamento de taxas através do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF).

Como atua uma incubadora?

O sonho de empreender nasce de diversas formas, mas apenas algumas pessoas conseguem tirar do papel. As incubadoras auxiliam não só em tirar do papel, mas também em como funcionar da melhor forma.

Uma incubadora pode existir em diversos meios entre eles:

  • Empresas profissionais (ex. Porto digital);
  • Incubadoras universitárias: algumas cadeiras lecionadas em universidades conhecidas como “projetão” ou até mesmo empresa júnior;
  • Na própria internet: através de um vasto networking presente nas redes, empresas criam plataformas de incubação e até mesmo formas de subsidiar startups (vaquinhas).

Por fim, incubadora de empresas são fortes berços de novos negócios e startups. Por meio dessa ajuda, novas tecnologias são subsidiadas e conseguem ter acesso ao mercado, uma atividade que antes seria atingida com um grau maior de dificuldade. Mais conteúdos? Inscreva-se no nosso Whatsapp.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *