Home Blog INPC: conheça o indicador que analisa custos de consumo

INPC: conheça o indicador que analisa custos de consumo

INPC 1

Você sabe quanto custa seu padrão de vida? Existem levantamentos como o INPC que são usados para calcular o consumo de uma parte da população.

Através do INPC o controle de preços de determinados produtos e, até mesmo reajustes no salário, podem ser feitos. Pois, este indicador tem o objetivo de equilibrar os custos de vida do consumidor.

O que o INPC?

Criado em 1979 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INCP) é uma ferramenta utilizada para determinar a variação no custo de um produto ou serviço durante determinado espaço de tempo.

Além disso, ele avalia o consumo de famílias brasileiras que vivem com renda mensal de até 5 salários mínimos.

Essa faixa de renda mensal foi desenvolvida para garantir uma maior precisão da cobertura populacional de 50% de famílias assalariadas. Ou seja, que possuem um baixo ou intermediário padrão de vida.

Então, O Índice Nacional de Preços ao Consumidor serve para calcular a base de preços e fazer uma correção de compra através da inflação, medindo a variação dos preços por regiões dentro da economia brasileira.

Além disso, também pode servir de referência para reajuste salarial e equilíbrio de preços para os consumidores.

No entanto, para entender melhor como funciona o INPC, é interessante compreender sobre a inflação.

O que é inflação?

A inflação de custos é o aumento contínuo e generalizado dos preços no mercado. Assim, representando o aumento do custo de vida, quando a demanda de determinado produto supera a oferta.

Certamente você já se deparou com o preço do feijão mais alto que o normal em determinada época. Então, isso pode acontecer quando os custos de produção de determinado item, se tornam mais caros e, consequentemente, o consumidor pagará um valor maior para adquirir o produto final.

Como funciona a calculadora INCP?

INPC 2

Para realizar o cálculo do INCP o IBGE faz por meio do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor (SNIPC) uma coleta de dados que geralmente são obtidos entre o primeiro e último dia dos meses usados como referência.

Contudo, devido ao tamanho populacional do Brasil, essa pesquisa de dados só é feita em 13 capitais:

  • Belém;
  • Belo Horizonte;
  • Brasília;
  • Campo Grande;
  • Curitiba;
  • Goiânia;
  • Fortaleza;
  • Porto Alegre;
  • Recife;
  • Rio de Janeiro;
  • Salvador;
  • São Paulo
  • Vitória.

Deste modo, o IBGE faz o levantamento para saber quais os produtos essa parcela da população mais consome.

É praticamente uma pesquisa de preços baseada em uma cesta de consumo com itens que representam os custos de vida. Por exemplo:

  • feijão;
  • arroz;
  • bebidas;
  • material escolar;

De modo geral, nove categorias de serviço e produtos são usadas no cálculo:

  • alimentação e bebidas;
  • artigos de residência;
  • comunicação;
  • despesas pessoais;
  • educação;
  • habitação;
  • saúde e cuidados pessoais;
  • transporte;
  • vestuário.

Em média, 465 produtos e serviços podem ser calculados como um todo. Mas, ao mesmo tempo, o IBGE consegue identificar o valor gasto em cada produto através da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF).

Assim, para conseguir calcular o valor do INCP, o IBGE faz o levantamento de preços de cada região utilizando o mesmo método de pesquisa.

Dessa forma, o índice de erros se torna menor. Logo após, o conjunto de preços desses dados vai determinar um valor para todo o território nacional.

Você sabe qual a diferença entre INPC e INPCA?

O INPCA é um Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. Em tese este indicador possuindo o mesmo objetivo que o INPC.

Entretanto, ao contrário do INPC que é um indicador para obter valores de consumo da população que tem como renda mensal até cinco salários mínimos; o INPCA faz a controle da variação de preços para a população de classes mais altas, que tem renda mensal de 1 até 40 salários mínimos. Assim, ele engloba uma parcela maior da população.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *