Home Blog Investimento conservador: o que isso significa?

Investimento conservador: o que isso significa?

investimento conservador

Para o investidor iniciante ou experiente, existem diversas modalidades de investimentos. Um deles, é o investimento conservador.

Uma dúvida comum é saber se, o investimento conservador, pode ser considerado a melhor modalidade de investimentos. Para saber isso, é preciso entender alguns conceitos.

O que é investimento conservador?

investimento conservador 1

O investimento conservador é aquele que preserva a segurança da aplicação. Isso significa dizer que, mesmo que aquele investimento entregue menor rentabilidade, se houver previsão de retorno, é considerado uma melhor escolha.

Esse é caracterizado como um perfil de investimento não-agressivo. E uma das suas características principais é que a maior parte da sua aplicação está dentro da renda fixa.

O que é renda fixa?

A renda fixa não é considerada uma modalidade conservadora por acaso, essa modalidade de investimento permite o conhecimento sobre regras, taxas e quanto será ganho ao final da aplicação.

A sua composição está por parte de títulos de dívidas, como:

Sendo alguns desses produtos mais ou menos previsíveis, bem como, seguros. Tudo depende da modalidade e do contexto em que estão inseridos.

No entanto, de maneira geral, a renda fixa costuma ser mais facilmente compreendida do que a renda variável.

E, por conta disso alguns investidores se sentem mais confortáveis investindo na primeira modalidade.

Por que a renda fixa rende menos?

Existe um conceito básico no universo dos investimentos que está ligado ao grau de incerteza de determinado investimento.

Isto quer dizer que, normalmente, quanto maior o risco envolvido na aplicação, maior tende ser a chance de retorno sobre ele.

Por exemplo, a renda fixa oferece maiores previsibilidades e, por isso, o seu retorno é menor.

Já na renda variável, em que existem chances superiores de retornos, há também maiores possibilidades de rentabilidade.

Mas é válido lembrar que as chances não significam promessas. É preciso que o investidor estude bem a aplicação (tanto na renda fixa, quanto na renda variável), para que o seu dinheiro seja investido com inteligência.

 

Conheça outros tipos de investimentos

Além do investimento conservador, existem outros dois principais meios de aplicação. São eles:

  • Moderado;
  • Agressivo.

Investimento moderado

investidor moderado está equilibrado entre o investimento conservador e agressivo.

Isso quer dizer que é alguém que está atrás de maiores rentabilidades. No entanto, não está disposto a expor todo o seu capital.

Então, para conseguir obter as duas coisas, investe parte em renda fixa e outra parte em renda variável.

Dessa forma, preserva parte do seu capital e outra aplica para conseguir aumentar as chances de multiplicar riqueza.

Investimento agressivo

investidor agressivo está ligado na rentabilidade e o fator de segurança, não é algo muito relevante na sua escolha de produtos.

Por isso, é comum que o investimento agressivo se concentre na renda variável.

No entanto, é importante lembrar que ter um perfil agressivo não significa ser inconsequente quanto as escolhas de investimentos, pelo contrário.

Geralmente, esse tipo de investidor está mais focado em conhecer o mercado e entender o que faz os seus produtos oscilarem.

Dessa forma, busca constantemente entender o mercado, a economia, as empresas em que irá investir e entre outros aspectos.

Qual é o melhor perfil de investimento?

Como falado anteriormente, é comum surgir a dúvida, principalmente em investidores iniciantes, sobre qual é a melhor forma de realizar investimentos.

Isso acontece, pois na modalidade conservadora pode-se encontrar baixo retorno e nas outras, as chances de rentabilidade são maiores.

Mas a verdade é que não existe um perfil ideal. Claro, é importante sempre ir em busca de maiores retornos, mas nem todos os investidores estão preparados ou se sentem confortáveis em realizar aplicações em mercados que sofrem mais oscilações.

Por isso, ao invés de expor todo o capital em renda variável, focando apenas na possibilidade de resultado, é melhor investir, antes de tudo, em conhecimento.

Assim, é possível traçar um plano de investimento estratégico e mais seguro.

Claro, ter ciência sobre o mercado não fará que tudo se torne uma via de regra e que não haja erros. Afinal, estamos falando de vida real.

Mas ter esse estudo faz com que as chances de acerto aumentem e as de erro, diminuam.

Afinal, quem quer fazer investimento conservador, moderado ou agressivo está em busca de coisas em comum: preservar o capital ou aumentar as riquezas disponíveis. Por isso, é preciso entender como o “jogo” funciona!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *