Home Blog Saiba como investir em ações!

Saiba como investir em ações!

investir em ações

Falar sobre investir em ações para algumas pessoas, é comparada a algumas das atividades mais arriscadas do mundo dos investimentos.

Mas, a verdade é que, investir em ações é um processo simples da renda variável e que pode trazer grandes resultados na rentabilidade.

O que é investir em ações?

Para investir em ações, antes de tudo, é preciso saber do que se tratam as ações.

Esse tipo de investimento é possível através da renda variável e, as ações, também são conhecidas como papéis. Esses papéis representam um título de propriedade em empresas que possuem capital aberto.

Assim, é possível se tornar um acionista da empresa escolhida através da negociação na Bolsa de Valores.

Uma dúvida comum é sobre a razão por que uma empresa disponibilizaria parte do seu capital social. Nesse ponto, algumas pessoas sentem até certa desconfiança quanto a esse investimento.

A resposta geral é que, através da disponibilização de compra de ações, a empresa consegue financiar as atividades da própria organização e aumenta o seu poder econômico.

Ou seja, aquela instituição se torna mais poderosa e ganha vantagem competitiva no mercado.

As ações são os melhores investimentos da renda variável?

investir-em-acoes

Talvez as comprar ações seja uma das modalidades mais conhecidas do mercado de renda variável, mas, não é a única possibilidade.

Quem quer aumentar as possibilidades de ganho, para além da renda fixa, pode aplicar, por exemplo em investimentos da renda variável, como:

  • Fundos de investimentos;
  • Imóveis;
  • ETFs.

Cada uma dessas opções de investimentos é indicada para um tipo de perfil. Então, não existe uma melhor escolha.

No entanto, as opções de diversificação da carteira de investimentos e proteção de capital, funciona de forma significativa dentro do investimento em ações.

Como começar a investir em renda variável?

É preciso que o investidor entenda que não se deve investir focando apenas a rentabilidade. Claro, algumas opções de aplicação oferecem ganhos e condições melhores que as outras, mas, nem sempre são as melhores escolhas dentro da realidade atuação.

Por exemplo, uma pessoa que não possui uma reserva de emergência e começa a investir em ações, pode ter complicações financeiras.

Porque, o mercado de renda variável, como o próprio nome sugere, sofre oscilações, tanto para cima, quanto para baixo. Isso quer dizer que, aquelas ações podem se desvalorizar ou valorizar.

Se alguém direciona todo o seu patrimônio para a renda variável e não possui nenhum capital para lidar com situações emergenciais, pode acabar se vendo obrigada a resgatar os investimentos em um momento inoportuno e, consequentemente, perdendo dinheiro.

Por isso, para investir em renda variável pode, primeiro:

  • Ter um planejamento financeiro;
  • Criar uma reserva de emergência;
  • Identificar o perfil de investimentos;
  • Buscar aumentar a renda para ter maior disponibilidade para aplicações;
  • Entender sobre os vieses do investidor.

O que é preciso para começar a investir?

Além do conhecimento prévio sobre os seus desejos financeiros e as disponibilidades financeiras, é preciso que haja a abertura em uma corretora de valores.

Existem algumas corretoras que atuam com taxa zero para operações, dessa forma, é possível comprar e vender ações sem pagar pelas operações.

O processo para abrir conta em uma corretora de valores é bastante simples, basta escolher a melhor corretora de valores para o seu perfil, nesse ponto, também é possível abrir uma conta em mais de uma corretora. Dessa forma, pode-se escolher entre a melhor experiência.

Através da internet o futuro investidor pode solicitar a abertura de conta e fazer os procedimentos indicados pela própria corretora.

É válido lembrar que: nenhuma corretora pede depósito para fazer a abertura da conta, a transferência de valores para começar a investir não é um quesito obrigatório para concluir o cadastro!

Como investir em ações?

Depois de saber todo o processo, entender o perfil de investimento e decidir quais são as ações que se deseja aplicar, o investidor precisa seguir os passos:

  • Logar na corretora de valores;
  • Acessar o Home Broker;
  • Buscar a identificação do código da ação (referente a empresa que se deseja investir);
  • Identificar o valor e a quantidade de ações que se deseja comprar;
  • Colocar a assinatura eletrônica;
  • Finalizar operação.

A compra de ações acontece através de um “match”, por isso, é preciso ver por qual valor e quais as quantidades de ações que estão sendo oferecidas pelo Home Broker.

Por exemplo, se um investidor quer comprar ações da empresa X e, naquele momento, cada papel está sendo negociado pelo valor de R$10, é pouco provável que ele consiga comprar por um valor abaixo.

Dessa forma, é preciso entender qual é o melhor momento de compra e, de acordo com a oferta, realizar a sua demanda.

Se você quer comprar 5 ações que estão sendo vendidas a R$10, é possível ver se, naquele momento, existe algum investidor vendendo 5 ações por aquele mesmo valor.

Se houver, a “ordem” é liquidada e ocorre o investimento em ações.

Vale a pena investir em mais de uma ação?

Muitas pessoas que estão começando a investir em ações pensam que trazer o maior número de empresas para a carteira de investimentos é a atitude mais inteligente para crescer e proteger o capital. Mas isso não é completamente verdade.

Na realidade, ter uma quantidade mais enxuta e com uma boa composição (empresas de valor), tem uma performance melhor no longo prazo. Até porque, não basta comprar, precisa existir um certo acompanhamento do desenvolvimento daquelas ações.

Não é indicado que se acompanhe todos os dias, mas a cada 3, 4 meses, pode ser um tempo melhor visto.

Então, pensar bem nas empresas que se quer investir e aplicar com regularidade é melhor do que ter várias ações, de várias empresas, com baixas aplicações.

  • Estudar sobre a empresa;
  • Entender as suas chances de desenvolvimento;
  • Compreender as oscilações.

São etapas essenciais para ter uma melhor autonomia e capacidade ao investir em ações. Por isso, conhecimento é a base de uma boa carteira de investimentos.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *