Home Blog Saiba como investir no exterior!

Saiba como investir no exterior!

investir no exterior

A bolsa de valores brasileira vem chamado a atenção dos investidores ultimamente. Mas, mesmo assim, muitos buscam investir no exterior.

Afinal, investir no exterior não é difícil como muito acreditam, além de possibilitar um maior leque de opções de investimentos disponíveis.

Ao investir no exterior, o investidor está colocando seu dinheiro em ativos financeiros de outros países, o que pode representar maior segurança ou rentabilidade, a depender do risco país envolvido.

Como investir no exterior?

investir no exterior

Mesmo com a disponibilidade de ativos que temos no Brasil, muitos buscam ampliar as possibilidades de investimentos aplicando no exterior.

Entretanto, a maioria das pessoas ainda não sabem como investir no exterior.

Essa dúvida afasta várias pessoas do investimento no exterior, quando, na verdade, não é nada complicado.

Afinal, existem várias formas de investir no exterior morando no Brasil, cada uma com a sua particularidade.

Entre as principais formas de investir no exterior, estão:

ETF

ETF é a sigla para “Exchange Traded Funds” e é uma das formas mais fáceis de investir no exterior.

Os ETFs são fundos comercializados como ações e o seu preço é determinado a partir de índices, como o ibovespa no caso do BOVA11.

Um dos principais ETFs do exterior listado na bolsa brasileira é o S&P500, que é formado por centenas de ativos listados nas bolsas de valores americanas NYSE ou NASDAQ.

Além do S&P500, é possível encontrar outros vários ETFs listados na bolsa de valores brasileira.

É importante lembrar que há um imposto de renda de 15% sobre o ganho na venda do ativo.

BDR

O BDR é a sigla para “Brazilian Depositary Receipt“, também conhecido como Certificado de Depósito de Valores Mobiliários (CDVM).

Os BDR são títulos lastreados às ações listadas em bolsas estrangeiras. Portanto, ao investir em um BDR, você não estará investindo diretamente na ação da empresa estrangeira.

Existe uma instituição depositária que emite os BDRs nacionalmente.

É possível dividir os BDRs em dois grupos:

  • Patrocinados: a empresa emissora contrata diretamente a instituição depositária, já que é interesse dela ser negociada no mercado brasileiro;
  • Não patrocinados: as empresas emissoras, ao buscar fornecer mais e melhores opções para os clientes, começam, emitem BDRs de boas empresas estrangeiras.

Assim como o ETF, existem a cobrança de 15% de imposto de renda sobre o ganho obtido com o ativo.

Fundos de investimentos

Se você investe hoje em algum fundo de investimentos, pode já estar investindo em alguma empresa do exterior.

Existem vários tipos de fundos de investimentos. Em um fundo de ação, por exemplo, é possível que tenha uma participação em uma empresa americana.

Esses investimentos podem ser interessantes para quem está começando a investir, já que possui um bom nível de diversificação e, consequentemente, segurança.

Conta no exterior

Abrir uma conta no exterior, em um banco ou corretora ,é uma das formas mais eficientes de investir em empresas internacionais.

E, abrir uma conta em uma corretora americana, por exemplo, é um processo similar a abrir uma conta aqui no Brasil.

Além de toda documentação requerida nacionalmente, para o caso de investir nos Estados Unidos, é preciso preencher e enviar corretamente o documento “Formulário W-8BEN“.

Ou seja, abrir a conta em uma corretora americana é fácil.

Entretanto, para enviar dinheiro para a conta e poder comprar ativos financeiros, é necessário pagar alguns impostos e taxas.

Primeiramente, será necessário fazer uma transação de câmbio internacional, que tem um valor mais caro que a média.

Além do custo da conversão do câmbio, para investir fora do país, será cobrado o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Portanto, além dos custos e taxas comuns para investir nacionalmente, haverá despesas com o câmbio e IOF.

Vale a pena investir no exterior?

O mercado brasileiro, hoje em dia, já apresenta mais segurança para o investidor.

Entretanto, a realidade não foi sempre essa. Na década de 80 até meados da década de 90, o Brasil passou por vários episódios de descontrole econômico e político.

Portanto, o risco atrelado ao investimento no Brasil foi reduzido, já que o país passou a ter maior estabilidade.

Mesmo assim, diferente de países com a economia desenvolvida e consolidada, ainda existe um certo grau de incerteza quanto ao investimento no Brasil.

Um ponto muito importante a ser levado em consideração na hora de investir em outro lugar é o risco país associado.

E, com certeza, é possível achar diversos países menos arriscados para investir do que no Brasil.

Por isso, ter a disposição a opção de investir no exterior é uma boa alternativa para o investidor.

Mas, é importante lembrar que, para economias mais consolidadas, com empresas com um alto nível de mercado, pode ser mais difícil alcançar rentabilidades extraordinárias.

Outro fator que motiva o investimento no exterior é que na bolsa brasileira ainda são listadas pouquíssimas empresas.

Apenas aproximadamente 400 empresas estão listadas na bolsa de valores brasileira, enquanto em países com uma economia mais fraca possuem ainda mais empresas em suas bolsas.

Portanto, para responder se vale a pena investir no exterior, é interessante destacar todas as vantagens e desvantagens.

Vantagens de investir no exterior

Entre as vantagens de investir no exterior, estão:

  • Mais facilidade de diversificação;
  • Redução de risco país e risco atrelado ao setor econômico;
  • Possibilidade de encontrar títulos de renda fixa em países com altas taxas de juros;
  • Amenizar impactos de crises econômicas e políticas do Brasil.

Desvantagens de investir no exterior

As vantagens podem trazer muito conforto ao investidor, há depender da situação econômica e estratégia de investimento do investidor.

Mas, algumas das desvantagens de investir no exterior, são:

  • Custo com câmbio (Conversão de real para a moeda do país que receberá investimento);
  • Imposto sobre operações financeiras;
  • Escassez de informações sobre o mercado internacional – para o investidor brasileiro, pode ser mais difícil analisar a situação econômica de outro país e as suas empresas.

É importante destacar tanto as vantagens e desvantagens do investimento no exterior para que o investidor brasileiro possa analisar a alternativa, dentro de sua estratégia de investimento.

Por fim, investir no exterior é uma prática fácil, sem grandes complicações como muitos acreditam. Por isso, se faz sentido dentro da sua estratégia, procure desde já as opções de investimentos no exterior que são mais interessantes para você.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *