JBSS3: descubra tudo sobre as ações da JBS!

JBSS3

A JBS (JBSS3) é uma companhia que atua no processamento de carne bovina, suína, ovina e de frango, sendo considerada uma das maiores processadoras do mundo.

As ações da JBS (JBSS3) integram parte da bolsa de valores e pode ser considerada uma alternativa para investidores que observam no setor de carnes e derivados, oportunidades rentáveis. 

O que é a JBS (JBSS3)?

A JBS (JBSS3) é uma empresa nacional possuindo grande representação em todo o território brasileiro. Suas ações são negociadas na B3 (Brasil, Bolsa e Balcão), através do ticker JBSS3.

Em síntese, a JBS atua desde 1953 dando prioridade ao serviço de processamento de carnes e derivados. 

A companhia possui, em média, mais de 2.728.747.412 bilhões de ações emitidas, com 36,3% destas em Free Float.

Além da JBS, outras organizações integram o setor de carnes no Brasil, dentre elas a Marfrig (MRFG3) e a Minerva (BEEF3).

  1. Marfrig: a empresa é uma multinacional integrada no setor de alimentos, especializada em carne bovina. Além disso, atua no segmento de foodservice, varejo e processamento. 
  2. Minerva: a companhia atua na produção e processamento de carne in natura. Além do mais, a empresa exporta gado vivo, possuindo no Brasil mais de 11 frigoríficos e 1 planta de processamento. 

Diante da expressividade da JBS para o mercado econômico e sua participação na B3, é de relevante importância compreender a trajetória e o modelo de negócio da empresa. 

História da JBS (JBSS3)  

jbss3 2

No ano de 1953, José Batista Sobrinho deu início às operações da JBS, mediante a aquisição de uma pequena planta em Goiás, que tinha capacidade de processar cinco cabeças de gado por dia

Foi em 1968 que a companhia adquiriu a primeira planta de abate da empresa, localizada no Distrito Federal.

Dessa maneira, em 1970, a segunda planta de abate é incorporada a empresa, aumentando a capacidade de abate para 500 cabeças de gado por dia.

Sendo assim, de 1970 a 2001, a JBS começou a expandir as operações referentes ao setor de carne bovina em território nacional, de forma expressiva. 

Aquisições da JBS

Através de aquisições e investimentos nas companhias já existentes, a JBS alcançou a capacidade de abates diários de 5,8 mil cabeças. 

Foi assim que de 2001 a 2006 a empresa passou a operar com 21 plantas no Brasil e 5 na Argentina, aumentando a capacidade de abate para 19,9 mil cabeças por dia.

Além do mais, em 2005, a empresa conseguiu adquirir 100% do capital social da Swift-Armour, conhecida como a maior produtora e exportadora de carne bovina na Argentina. 

No ano de 2007, a JBS abriu seu capital na bolsa de valores e expandiu suas operações através da aquisição da empresa norte-americana Swift Company, representando o início da inserção da empresa no mercado bovino e suíno nos EUA e na Austrália. 

Dessa forma, no ano de 2008, a companhia adquiriu a Tasman Group na Austrália, a Smithfield Beef nos EUA, e os confinamentos da Five Rivers, obtendo assim, capacidade para abater 2 milhões de animais por ano. 

Logo, em 2009, a JBS ampliou sua capacidade de abate para 5.150 animais por dia, através da aquisição de 5 unidades em território nacional. Além disso, incorporou o frigorífico Bertin e adquiriu o controle acionário da Pilgrim’s Pride, sendo assim, ingressou no mercado norte-americano de aves. 

Expansão da JBS

Logo após, no ano de 2010, o grupo continuou sua expansão, adquirindo a Tatiara Meats e os ativos da Rockdale Beef, localizados na Austrália, e o Grupo Toledo, na Bélgica. 

No mesmo ano é anunciada a aquisição do confinamento McElhaney nos Estados Unidos, como também, ocorreu a ampliação da sua participação na Pilgrim’s Pride par 67,27%.

Sendo assim, em 2011, o conselho administrativo elegeu Wesley Batista como presidente executivo e CEO da JBS S.A., substituindo Joesley Batista, que foi designado para ser exclusivamente presidente do Conselho de Administração do Grupo. 

Além do mais, foi em 2012, que a JBS aumentou novamente sua participação na Pilgrim’s Pride, adquirindo 75,3% do capital social da companhia. Além disso, a companhia ampliou sua capacidade anual de processamento de bovinos no Brasil, alcançando 2 milhões de cabeças e iniciando suas operações no segmento de aves. 

Foi em 2013, que a empresa adquiriu a Seara Brasil, expandindo assim, suas operações de frangos e suínos em território nacional. 

No mesmo ano, a empresa realizou a aquisição da Zenda, uma indústria de couro líder no segmento. 

Posteriormente, em 2014, a JBS realizou a aquisição das operações de aves da Tyson no Brasil e no México. 

Além disso, ainda em 2014, a empresa adquiriu o Grupo Primo SmallGoods, empresa líder em produtos processados a base de carnes na Austrália. 

Logo após, no ano de 2015, a companhia adquiriu a Moy Park, uma empresa que possui especialidade no processamento de aves e fabricação de produtos preparados. Representando a ampliação das operações da JBS na Europa. 

Ainda em 2015, a JBS adquiriu a unidade de suínos da Cargill nos Estados Unidos.

No ano de 2017, a JBS USA finalizou a aquisição da Plumrose, dando continuidade a estratégia de expandir o portfólio de produtos preparados, para assim, fortalecer sua base de clientes e distribuição geográfica nos Estados Unidos. 

Por fim, em 2020, a JBS USA comemorou um acordo de aquisição de participação acionária com a Empire Packing Company.

Linha do tempo da JBS (JBSS3)

  • 1953 – As operações da JBS são iniciadas;
  • 1968 – A companhia adquire a primeira planta de abate da empresa;
  • 1970 – A segunda planta de abate é integrada a empresa;
  • 1970 a 2001 –  A JBS começa a expandir operações referentes ao setor de carne bovina em território nacional;
  • 2001 a 2006 – A companhia passa a operar com 21 plantas no Brasil e 5 na Argentina;
  • 2005 – A JBS consegue adquirir 100% do capital social da Swift-Armour;
  • 2007 – A companhia abre seu capital na bolsa de valores e expande suas operações através da aquisição da empresa norte-americana Swift Company;
  • 2008 – A JBS adquire a Tasman Group na Austrália, a Smithfield Beef nos EUA, e os confinamentos da Five Rivers;
  • 2009 – A empresa ampliou sua capacidade de abate para 5.150 animais por dia, além de incorporar o frigorífico Bertin e adquirir o controle acionário da Pilgrim’s Pride;
  • 2010 – A JBS manteve sua expansão, adquirindo a Tatiara Meats e os ativos da Rockdale Beef, além do Grupo Toledo, na Bélgica;
  • 2010 – A aquisição do confinamento McElhaney nos Estados Unidos, é realizada, além do mais, ocorre a ampliação da sua participação na Pilgrim’s Pride par 67,27%;
  • 2011 – O conselho administrativo elegeu Wesley Batista como presidente executivo e CEO da JBS S.A.;
  • 2012 – A JBS aumenta novamente sua participação na Pilgrim’s Pride, adquirindo 75,3% do capital social da organização;
  • 2012 – A empresa amplia sua capacidade anual de processamento de bovinos no Brasil, alcançando 2 milhões de cabeças e iniciando suas operações no segmento de aves;
  • 2013 – A empresa adquire a Seara Brasil;
  • 2013 – A JBS adquiriu a Zenda;
  • 2014 – A aquisição das operações de aves da Tyson no Brasil e no México é realizada; 
  • 2014 – A empresa adquire o Grupo Primo SmallGoods;
  • 2015 – A JBS adquire a Moy Park;
  • 2015 – A empresa adquire a unidade de suínos da Cargill nos EUA;
  • 2017 – JBS USA finaliza a aquisição da Plumrose;
  • 2020 – A JBS USA comemora um acordo de aquisição de participação acionária com a Empire Packing Company.

O que faz a JBS (JBSS3)?

A atividade principal da JBS (JBSS3) refere-se ao processamento de bovinos, aves e suínos diariamente.

Desse modo, dentre as marcas que integram o catálogo da JBS, pode-se incluir:

  • Friboi;
  • Anglo;
  • Swift;
  • Seara;
  • Frangosul;
  • Lebon;
  • Doriana;
  • Delicata;
  • Massaleve;
  • JBS Couros;

Sendo assim, observa-se a busca da empresa em diversificar seus produtos, oferecendo variações para o público consumidor.

Como atua a JBS (JBSS3)?

A JBS (JBSS3) é a maior produtora de proteínas do mundo, possuindo mais de 6 décadas de história. 

Além disso, a companhia possui mais de 400 unidades em mais de 15 países, sendo 230 exclusivas para produção de carne. 

Dessa forma, além de processar proteína animal, a empresa comercializa produtos de couro, colágeno, embalagens metálicas e biodiesel. 

Possuindo também, mais de 275 mil clientes em 190 países. Além do mais, atua na produção de alimentos de conveniência e valor agregado. 

As ações da JBS (JBSS3): onde e como são negociadas? 


As ações da JBS (JBSS3) são negociadas na bolsa de valores brasileira ou B3 (Brasil, Bolsa e Balcão).

O processo de negociação ocorre mediante um sistema digital e, através do sistema, obter segurança e agilidade aos investidores que desejam realizar aportes no mercado de ações.

A JBS possui ações ordinárias (JBSS3 ON), que ofertam aos acionistas o direito de participação nas assembleias empresariais. 

Dessa forma, para realizar investimentos na JBS, é necessário realizar a abertura de uma conta numa corretora de valores de sua preferência. 

Posteriormente, é importante realizar uma transferência TED com o valor desejado para efetuar o investimento. 

Sendo assim, logo após, o investidor poderá selecionar ações da JBS, representadas pelo ticker JBSS3.

Características das ações da JBS (JBSS3) 

As ações da JBS são negociadas na B3 (Brasil, Bolsa e Balcão) e possui as seguintes características:

A classificação setorial da JBS, diante das informações divulgadas na B3 é: Consumo não Cíclico / Alimentos Processados / Carnes e Derivados.

Além disso, seu segmento de listagem na B3 é o Novo Mercado, que inclui companhias detentoras de boa governança corporativa e transparência em suas operações.

Suas ações também oferecem Tag Along de 100% ON e Free Float de 36,7%.

Como ganhar dinheiro com as ações da JBS (JBSS3)?

jbss3 1

Primeiramente, é válido compreender que existem variadas formas de adquirir múltiplos vantajosos (lucros) com as ações da JBS na bolsa de valores. 

Dentre as formas tem-se o pagamento de dividendos. Visto que, a companhia possui um histórico recorrente de pagamento de proventos.

Dessa forma, o acionista possui a opção de adquirir capital, através da comercialização de suas ações por um valor mais alto que o adquirido.

Além disso, é importante considerar diversificar a carteira de ativos, criando uma carteira que possua renda fixa e renda variável.

Também é recomendado que o acionista fique sempre atento a liquidez, rentabilidade e segurança de uma empresa antes de adquiri-la. 

Dessa maneira, mediante o perfil do investidor de longo prazo e seus objetivos no mercado financeiro, adquirir uma boa rentabilidade, poderá ser mais viável, quando comparado a busca por uma alta liquidez.

Contudo, priorizar rentabilidade ou alta liquidez irá depender dos objetivos do investidor, dado que, o acionista poderá adquirir ações para curto, médio e longo prazo. 

Vale a pena investir na JBS (JBSS3)? 

A JBS (JBSS3) é a maior produtora de proteínas do mundo, com décadas de atuação.

A empresa possui uma ampla diversificação geográfica, dado que, possui pontos de produção em diversos países. Sendo assim, a companhia consegue mitigar alguns riscos referente a barreiras comerciais e restrições sanitárias. 

Entretanto, a JBS está envolvida em varias investigações, possuindo diversos procedimentos administrativos que podem vir a afetar resultados e a reputação da empresa. Soma-se a isso, a JBS também é detentora de um alto endividamento (em especial entre os anos de 2018 a 2020). 

Desse modo, antes de selecionar as ações que você irá investir seu dinheiro, recomenda-se realizar uma análise fundamentalista.

Sendo assim, será possível verificar se seus investimentos estão sendo executados de maneira prudente e efetiva, seja com a JBS (JBSS3) ou com outra empresa que integre a bolsa de valores. 

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos