Home Blog Juros embutidos: como calcular e evitar o pagamento dessas taxas?

Juros embutidos: como calcular e evitar o pagamento dessas taxas?

juros embutidos

Na hora de realizar uma compra, algumas lojas e empresas incentivam o parcelamento, pois o lucro obtido a prazo será maior do que à vista. Esse parcelamento abre margem para a cobrança de taxas sobre o serviço, como a cobrança de juros embutidos.

Os juros embutidos funcionam como encargos que já estão atrelados ao preço de compra do produto ou serviço, mas que necessariamente não são divulgados como taxas.

Portanto, os juros embutidos são todos os encargos cobrados de forma conjunta com uma compra parcelada ou financiamento.

Geralmente, esses juros estão escondidos no valor da parcela junto ao custo total do processo, mas sem apresentar a sua distinção.

Saber quais são os juros embutidos nos diversos produtos e serviços é um importante conhecimento financeiro, útil para evitar pagar juros abusivos e escolher as melhores opções financeiras.

Os tipos mais recorrentes de juros embutidos

Algumas lojas que focam em públicos de baixa renda, geralmente, apresentam taxa de juros escondida, pois o valor à vista do produto é igual ao valor parcelado.

Uma forma de tentar remediar pacificamente esta situação é a pechincha.

O ato de pechinchar poderá levar a descontos e consequentemente uma baixa nos valores de juros pagos por um produto.

s valores de compra também são acompanhados de impostos e até mesmo o pagamento de alguns impostos geram juros que muitas vezes os tornam inviáveis.

Entre os tipos mais comuns de impostos que incidem sobre compras, produtos, bens serviços e transações financeiras estão:

  • Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU): é um imposto sobre propriedade imobiliária urbana, por exemplo, apartamentos, casas, sala comercial e afins;
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI): é um imposto instituído sobre produtos industrializados nacionais e os importados que estão retidos pela alfândega;
  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF): é um imposto sobre transações e práticas de crédito (empréstimo, compras em cartão e outros);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadoras e Prestação de Serviços (ICMS): é um imposto gerado sobre qualquer circulação de mercadoria (incluindo as importadas);
  • Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA): é cobrado pela posse de um veículo;
  • Taxa Selic: é a taxa de juros básica da economia brasileira. Essa taxa deriva do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e é usada como instrumento da política monetária, além de ser o índice usado nas transações interbancárias.

Diante essa grande variedade de impostos, é corriqueiro que algumas pessoas se tornem inadimplentes devido o não pagamento das pendências. Esse fato, consequentemente, gerará juros sobre os valores devidos.

Por isso, em algumas situações é viável tentar uma renegociação, tomando cuidado para não assumir uma nova dívida que não conseguirá quitar.

Além disso, prestar atenção também no custo efetivo total da transação para perceber os juros embutidos em parcelamento.

Já em relação a venda de serviços e produtos, vendedores podem esconder encargos e comissões ao colocar taxa de juros embutidas e fazer pagar um valor que é maior que o produto.

Então, até mesmo em compras à vista, é preciso incitar busca por desconto.

Entenda como calcular juros embutidos

Algumas empresas especializadas em vendas, geralmente, tendem a oferecer uma taxa de desconto mediante o pagamento à vista.

É justamente através de uma pesquisa e comparação entre o valor à vista e o valor parcelado que se chega no valor dos juros cobrados.

Para ajudar no cálculo dos juros embutidos o BACEN (Banco Central) criou uma ferramenta para auxiliar o consumidor, a Calculadora do Cidadão.

Com ela, é possível visualizar todos os componentes de uma compra e identificar os juros cobrados. Para isso, vejamos um exemplo:

Um individuo deseja comprar um computador no valor de R$2.043 reais. O valor de anúncio à vista é este, porém, o mesmo produto apresenta valor parcelado em até 10x de R$243 reais.

  • Na calculadora será possível averiguar e calcular juros embutidos. Esse valor encontrado posteriormente, atuará como base para questionar a cobrança dos juros em relação a diferença do seu valor original do produto;
  • Entretanto, se você deseja fazer o cálculo, basta subtrair o valor final da soma de todas as parcelas pelo valor à vista do mesmo produto;
  • Ou seja, 10x de R$243 equivale a R$2.430, admitindo preço à vista de R$2.043, temos o valor de juros: R$387 reais a mais. Além disso, ainda nesse mesmo preço é embutido impostos, então, o valor final é sempre a somatória de todos os encargos e juros;
  • É viável fazer uma busca do produto previamente na internet e consultar seus valores à vista. Assim, já será possível ter uma ideia de quanto será pago em juros.

Por fim, os juros embutidos são elementos recorrentes em todas as transações financeiras e em especial nos financiamentos. Por isso, é crucial se ater ao custo efetivo total de uma compra ou serviço. Só assim, será possível buscar pelos menores valores. Mais conteúdos? Inscreva-se no nosso Whatsapp.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *