Home Blog Juros no Brasil: por que a taxa de juros é tão alta?

Juros no Brasil: por que a taxa de juros é tão alta?

cobranca indevida 2

Que os juros no Brasil são um dos mais altos do mundo, não é novidade para ninguém. Porém, o que muitas pessoas não sabem é por que isso acontece. 

De certa forma, pode-se dizer que os juros no Brasil são altos devido a uma série de fatores — que variam desde questões puramente macroeconômicas, até motivos relativos ao mercado de crédito brasileiro.  

Como são definidas as taxas de juros no Brasil?

juros-no-brasil 

A base principal para a taxa de juros praticada no mercado brasileiro é a famosa taxa Selic. Também conhecida como taxa de juros básica da economia, a Selic, é a principal referência para o mercado de juros no Brasil.  

Ou seja, por ser uma taxa estabelecida pelo próprio governo nas negociações de títulos públicos, a Selic, serve como um parâmetro para todas as outras taxas que compõem a economia do país. 

Isso acontece porque que o governo seria o tomador de empréstimo mais “confiável” de toda a economia, tendo assim, a capacidade de definir uma taxa que influencie todo o mercado. 

Porque a taxa de juros no brasil é alta? 

Existem vários motivos que explicam as altas taxas do país. Para deixar claro de uma vez por todas a razão dos juros abusivos brasileiros, a explicação será dividida entre problemas macroeconômicos e do mercado de crédito em geral.  

Entre os principais motivos do juros alto no Brasil: 

  1. Déficit orçamentário do Brasil;
  2. Concentração bancária;
  3. Inadimplência entre os consumidores brasileiros;
  4. Créditos subsidiados;
  5. Depósitos compulsórios elevados;
  6. Risco Brasil. 

1. Déficit orçamentário do Brasil  

O governo brasileiro, recorrentemente, gasta mais do que recebe. E cada vez que isso acontece, a dívida do país só cresce.  

Com o aumento da dívida, mais títulos públicos são emitidos e mais caro são os juros (nesse caso, a taxa Selic) que o governo precisa pagar para que os investidores emprestam ao erário (tesouro público). Como a taxa Selic influencia todo o mercado brasileiro, essas medidas só aumentam o juros de toda a economia 

2. Concentração bancária 

No Brasil, poucas instituições financeiras atuam no sistema bancário. Logo, sem uma constante competição entre os bancos, é possível ter um poder maior para cobrar altos spreads bancários e juros.  

Spread bancário é a diferença entre a taxa que o banco paga ao captar recurso e a taxa que o banco cobra ao emprestar dinheiro.  

Isso se deve a regulamentação do Banco Central para o funcionamento de bancos comerciais no Brasil. Somando-se a outros fatores, a situação de quem precisa de crédito complica bastante.  

3. Inadimplência entre os consumidores brasileiros 

Por falta de organização financeira dos consumidores, milhões de brasileiros se encontram em situação de inadimplência e com o nome sujo.   

Por conta disso, os bancos tendem a se proteger em casos de empréstimos e créditos. Assim, a taxa de juros é elevada como mecanismo de garantia contra a falta de pagamento.  

4. Créditos subsidiados  

Os bancos estatais são capazes de emprestar dinheiro para grandes empresas a juros muito baixos, às vezes menores que a própria Selic.  

Porém, normalmente, esse tipo de crédito é destinado apenas para empresas com grande capacidade financeira. Enquanto isso, pequenas e médias empresas, que apresentam mais riscos, dependem do sistema bancário.  

No mundo dos investimentos, quanto maior o risco, maior será a taxa referente. Ou seja, o resto das instituições, que não trabalham com esse crédito subsidiado, cobram taxas mais altas.  

5. Depósitos compulsórios elevados 

política monetária do Banco Central estabelece os depósitos compulsórios como ferramenta de controle da quantidade de moeda no mercado.  

O Brasil tem um dos maiores volumes de depósitos compulsórios no mundo e, com isso, os bancos têm menos recursos disponíveis. Logo, os bancos são mais seletivos ao emprestar, aumentando as taxas de juros para o consumidor.  

6. Risco Brasil 

risco Brasil representa o quão perigoso é para um investidor estrangeiro colocar o seu dinheiro no país.  

Assim, quanto maior esse risco, maior a necessidade de uma taxa de juros atrativa para rentistas e investidores internacionais.  

Qual é a diferença entre os juros reais e os juros nominais?

O Brasil está sempre “bem colocado” nos rankings de taxa de juros reais e nominais.  

Juros reais 

Os juros reais são descontados do valor da taxa de inflação.  

Se a inflação, ao longo dos anos, fosse próxima a zero, não teria muita importância. Mas, como não é o caso do Brasil, é muito importante para o investidor prestar atenção a isso, para ter noção real dos rendimentos.  

Juros nominais 

A taxa de juros nominal é a que está presente nas operações financeiras. Diferente da taxa de juros real, ela não sofre os descontos do valor da inflação. 

As taxas de juros no Brasil, real e nominal, estão entre as maiores do mundo. Isso dificulta a economia inibindo o investimento do setor privado e prejudica o trabalhador, diminuindo o seu poder de compra.  

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

connect

we'd love to have your feedback on your experience so far

bicycle