Lajes corporativas: vale a pena investir em FIIs?

lajes corporativas 2

O cenário dos investimentos imobiliários tem se tornado promissor para muitas pessoas, principalmente para quem investe em imóveis corporativos, conhecidos como lajes corporativas.

Atualmente, muitos investidores imobiliários conseguem viver com renda de aluguéis, sem precisar ser donos do imóvel: através das lajes corporativas. Sendo assim, é possível conseguir uma rentabilidade mensal justamente pelo seu valor comercial.

Na prática, as lajes corporativas são prédios que estão nos grandes centros urbanos e tem funções de escritórios de empresas.

Entendendo sobre as lajes corporativas

Lajes corporativas, também conhecidas por corporates, são escritórios e salas comerciais de alto padrão. Por isso, se leva em conta algumas características quando se pesquisa por lajes corporativas.

No geral, os investidores buscam avaliar esse tipo de empreendimento através de alguns pontos, como, por exemplo:

  • Altura;
  • Localização;
  • Área útil;
  • Gerenciamento predial.

No geral, são necessários locais em grandes cidades e com espaços adequados quando uma empresa quer alugar um espaço para suas operações.

Dessa forma, os FIIs de lajes corporativas fornecem locais desse tipo para as companhias, fazendo com que elas consigam manter suas operações com espaços de boa qualidade e com boa localização.

Pensando nisso, pessoas que tem se interessam em investir em imóveis grandiosos, investem e locam boas estruturas para grandes empresas pensando no retorno a longo prazo.

Consultores que são especialistas em lajes corporativas podem avaliar a qualidade desses imóveis que tendem a seguir os padrões e demanda desse nicho do mercado.

Sendo assim, as lajes corporativas recebem uma classificação – isto é, rating – de acordo com os padrões do mercado imobiliário. Essa classificação varia de AAA (triplo A), nível mais alto, e vai até C, nível mais baixo.

A partir disso, os investidores podem avaliar se eles vão ter prejuízo ou um retorno financeiro bom. Pois sua rentabilidade dependerá do aluguel desses espaços.

Quanto mais melhor for um empreendimento, mais caro ele se torna para quem tem interesse em alugar. Por isso, também, a valorização ou desvalorização desses imóveis dependem de seu estado físico e área de construção.

FIIs de lajes corporativas

lajes corporativas

Nos Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs), as lajes corporativas fazem parte dos Fundos de Tijolo, considerados um dos setores mais representativos da categoria.

Os Fundos Imobiliários de Tijolo são muito procurados por quem deseja começar a se expor à renda variável, mas ainda não querem se arriscar a toda a volatilidade que costuma-se ter.

No entanto, eles possuem gestores e funcionários profissionais para cuidarem de suas operações, o que se reflete, por exemplo, na taxa de administração dos FIIs de tijolo.

Sendo assim, os investidores que querem comprar fundos de tijolo podem comprar cotas através da bolsa de valores.

Assim, se usa recurso financeiro para construção ou aquisição de imóveis que serão locados. Logo após, o rendimento que essas lajes corporativas geram se divide entre os investidores do fundo, sendo o valor a receber proporcional ao que cada pessoa aplicou ao comprar cotas.

Além disso, é importante ressaltar que o cotista não terá controle sobre o gerenciamento dos empreendimentos, pois ele não será proprietário do imóvel.

Além das lajes corporativas, esse tipo de investimento possui ou negocia ativos imobiliários, como, por exemplo:

  1. Galpões Logísticos;
  2. Shopping Centers;
  3. Agências Bancárias;
  4. Segmento Educacional;
  5. Híbridos.

Galpões Logísticos

Em primeiro lugar, há os galpões logísticos. As grandes lojas do varejo precisam de locais para estocar seus materiais e organizar sua logística e é por essa razão que eles existem.

Sendo assim, são esses fundos de galpões que fornecem o local necessário para que as companhias do setor de varejo consigam montar suas operações e distribuir seus bens a todos os clientes e lojas.

Shopping Centers

Muito famosos, os shopping centers também são um tipo de empreendimento comum dos fundos de tijolo. São os favoritos de muitos brasileiros pela segurança e pela possibilidade de encontrar diversos produtos em apenas um local.

Agências Bancárias

Já os FIIs de agências bancárias consistem em imóveis onde ficam agências bancárias, podendo ser de qualquer tipo de banco. Embora haja uma tendência de digitalização dos bancos, ainda há crescimento desse negócio.

Segmento Educacional

Também existem fundos de tijolo do segmento educacional. Os FIIs educacionais são negociados de forma considerável, mesmo havendo um movimento para a educação à distância.

Híbridos

Por fim, os FIIs híbridos possuem mais de um tipo de imóvel, e não apenas de uma área específica. Um bom exemplo disso é o KNRI11, que investe tanto em galpões logísticos quanto lajes corporativas. Ele é um dos fundos imobiliários de tijolo mais negociados na bolsa.

Como investir em FIIs de lajes corporativas?

Para quem deseja negociar as cotas dos fundos imobiliários que contém as lajes corporativas, é  preciso acessar o ambiente da B3.

No entanto, a compra desses ativos acontece através da corretora de valores. Por isso, é preciso abrir uma conta em uma instituição financeira que oferece esse serviço.

Ainda, antes de investir, é recomendável avaliar os ativos que compõem a carteira do fundo, bem como analisar o histórico de resultados e a reputação do gestor.

Feito isso, então, o investidor pode transferir o dinheiro para a corretora, através de um TED, DOC ou PIX. Por fim, vai escolher o fundo desejado e quando o dinheiro estiver aplicado, poderá acompanhar o investimento.

Vale a pena investir em FIIs de lajes corporativas?

Embora os investimentos de fundo imobiliários sejam supervisionados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), aplicações sempre terão riscos.

Como um FII de lajes corporativas é um fundo de investimento que tem como objetivo focar na compra e venda de salas comerciais em empresariais, crises econômicas podem afetar um empreendimento desse porte, por exemplo.

A redução contratual destas salas comerciais pode fazer com que o rendimento e valor de aluguel caiam. Então, isso acaba fazendo com que a avaliação do imóvel seja revista e seu valor seja reduzido. Desse modo, então, as cotas dos investidores sofrem com isso.

Portanto, ao comprar cotas de lajes corporativas, deve-se levar em conta quais ativos fazem parte da carteira, principalmente, a região na qual o empreendimento se encontra. Capitais, por exemplo, são mais requisitadas, pois lá está a maior concentração econômica.

Além disso, é importante se informar sobre quais são os locatários e o tempo de contrato destes. No entanto, a escolha por investir em lajes corporativas pelos FIIs vai depender do perfil de investidor e dos seus objetivos financeiros.

O que são lajes corporativas?

Lajes corporativas, também conhecidas por corporates, são escritórios e salas comerciais de alto padrão.

Como investir em lajes corporativas?

Dentro dos fundos de tijolo, é possível negociar ativos que possuem lajes corporativas. O investimento pode ser feito através de uma corretora de valores que possua o fundo desejado.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos