Lead time de compra: entenda como defini-lo e analisá-lo!

lead time

Na hora de realizar uma compra muitos fatores são levados em conta, o primeiro deles pode ser o preço como fator comparativo e a sua qualidade. Além disso, outro fator potencial é o valor pelo tempo de entrega que é influenciado pelo lead time.

O lead time funciona por meio da cronometragem entre o tempo de pedido do cliente, tempo de produção prévio e tempo de entrega do produto ou serviço para o consumidor. É um forte fator decisivo em produtos de e-commerce e pode ser uma vantagem competitiva no empreendedorismo.

Então, o lead time é o tempo necessário para finalizar um ciclo de compra e produção. No caso, ele considera o tempo necessário para criar ou realizar um produto ou serviço e se estende até a trajetória de entrega.

O que é o lead time?

O lead time é proveniente de – lead (do inglês: conduzir) e time (o tempo).

Portanto, o conceito de lead time leva em consideração a gestão de compras e o ciclo de produção para calcular qual foi o desempenho cronológico entre o pedido do cliente e a sua entrega.

Esse tipo de abordagem é muito comum em negócios e-commerce, com vendas online e também em processos que executam o lean manufacturing, uma metodologia que pretende prevenir desperdícios por meio de pedidos on demand (sob demanda) e ausência de estoques.

Sob essa perspectiva, portanto, para definir o lead time é preciso:

Identificar o tempo gasto no supply chain

Conhecido como cadeia de logística ou suprimentos, é o processo logístico que incide sobre um produto, da matéria-prima (produção) até a entrega para o consumidor, isso, influencia na decisão do cliente.

Saber sobre o período de compras

É necessário considerar o tempo de compra para o cliente (tempo no qual ele receberá o pedido e como isso impactará a sua experiência).

Se preparar para a sazonalidade

Conhecer quais são os períodos de compra auxilia no momento de traçar estratégias para lidar com a sazonalidade e fluxos intensos. Por exemplo, no São João, produtos derivados do milho tendem a ter maior demanda.

Controle dos estoques

Estoques em excesso refletem em ter que lidar com segurança, estocagem e riscos, o que pode prejudicar em relação ao prejuízo. Nesse caso, para manter um bom lead time, é necessário gerir bem os estoques e cortar desperdícios.

Buscar rotas alternativas

É crucial que a fretagem e entrega seja otimizada ao máximo, para não somente evitar desperdícios, mas entregar em tempo hábil é considerado uma vantagem comercial.

Bons relacionamentos comerciais

Ter uma parceria ou fornecedores que estão comprometidos com as entregas e apresentam eficiência, pode impactar positivamente na redução do tempo de espera e otimizar o lead time.

É evidente, portanto, que para analisar o lead time, requer uma sofisticação logística e a diferenciação entre o lead time da empresa e o lead time do cliente.

Para a empresa, esse tempo começa a contar desde a primeira aquisição de matéria prima para  subsidiar a criação do produto ou serviço.

Já para o cliente, esse tempo começa a partir do momento em que foi realizado o pedido, portanto, percepções diferentes e que podem ser levadas em conta para não só questionar partes do processo, mas também, melhorá-las.

Quais são as vantagens do lead time excelente?

O lead time de compras apresenta uma questão fundamental, qual será o tempo hábil que determina empresa prestará o serviço para o cliente solicitante. Esse, de fato, é uma das vertentes que prejudicam a experiência final do consumidor.

Por exemplo, se uma empresa marca para realizar uma limpeza de carro, mas atrasa 5h do horário combinado, primeiramente, o consumidor ficará desapontado com a empresa e possivelmente, não recomendará e nem fará contato novamente.

Portanto, medir o lead time é uma forma de analisar os processos que a empresa executa: identificar quais são desnecessários, quais precisam melhorar e quais funcionam efetivamente.

Por conseguinte, entre outras vantagens do lead time mensurado, estão:

  • Encontrar lacunas (para consertá-las) e oportunidades na cadeia de logística. Nesse caso, é possível aperfeiçoar aquelas que já funcionam e tentar suprir as lacunas;
  • Reduzir custos nos processos de construção, produção, transporte, estocagem e entrega;
  • Garantir uma maior satisfação do cliente;
  • Tornar-se pioneira no mercado devido à diferenciação e padrão.

Por fim, o lead time é uma prática voltada para a medição dos processos de entrega, pedido e produção de um produto ou serviço. Além disso, é uma metodologia baseada na melhoria contínua, com melhores condições de entrega e experiências positivas para o cliente.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos