Entenda o que é e para que serve a margem EBITDA?

ebtida

Quem quer tomar boas decisões de investimentos em renda variável, deve saber analisar a saúde financeira das empresas. Um ótimo indicador financeiro que deve ser analisado é a margem EBITDA.

Logo, principalmente para quem está começando a investir, conhecer a margem EBITDA e entender como analisá-la é extremamente importante.

O que é a margem EBITDA?

A margem EBTIDA ou Margem LAJIDA é uma indicador de rentabilidade operacional das empresas, amplamente utilizado para análises de múltiplos e financeiras.

Esse indicador é muito importante, já que aponta a lucratividade do negócio para os investidores.

Na verdade, o indicador aponta a lucratividade da empresa antes do pagamento de juros, amortizações, impostos e depreciações, que não influenciam diretamente na estratégia comercial do negócio. 

Basicamente, esta margem aponta o quanto a empresa está gerando de recursos a partir de suas atividades operacionais.

Assim, para entender melhor o conceito de margem EBTIDA é necessário entender melhor o que é a receita líquida e o próprio EBITDA.

EBITDA

EBITDA é a sigla em inglês para “Earnings Before Taxes, Interest, Depreciation and Amortization“, podendo ser traduzido como “Lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização” ou simplesmente LAJIDA.

O EBITDA representa a capacidade de geração operacional de caixa do negócio, ou seja, o quanto a empresa consegue gerar, sem levar consideração investimentos e compromissos financeiros.

Dessa forma, esse indicador não leva em consideração o quanto a empresa gera a partir de ativos financeiros, mas apenas a partir de ativos operacionais.

Receita líquida

receita líquida é a receita bruta descontada dos impostos da nota fiscal, além das devoluções e descontos comerciais.

Pode ser considerada como a receita das vendas menos as deduções de vendas.

Cálculo da margem EBITDA?

margem EBITDA 1

Agora que você entende melhor os conceitos do EBITDA e da receita líquida, podemos dar um próximo passo e conhecer o cálculo da margem EBITDA.

Para encontrar a margem EBITDA, basta dividir o LAJIDA de um negócio por sua receita líquida.

Após isso, indica-se multiplicar o valor por 100 e obter o resultado da margem EBITDA em valores percentuais.

  Margem EBITDA = (EBITDA / Receita líquida) x 100 

Como você pode perceber, o valor da margem LAJIDA sempre será menor que 1, já que quase nenhuma negócio consegue gerar um lucro maior do que sua própria receita.

Além disso, é importante também se atentar a casos de margem negativa, que acontece quando as empresas possuem prejuízo, mesmo antes das deduções financeiras, no período usado como referência.

Diferença entre Margem líquida, bruta e EBITDA

Para entender a diferença entre as 3 principais margens de lucro, é importante entender a diferença entre o lucro bruto, EBITDA e o lucro líquido.

O lucro bruto é igual receita líquida menos os custos de produção do produto ou serviço vendido.

Assim, ao chegar no valor do lucro bruto, é preciso levar em consideração todos os custos operacionais da empresa.

O resultado da subtração dos custos operacionais do valor do lucro bruto, sem levar os custos relativos a atividades financeiras, chama-se de EBITDA.

Do valor encontrado do EBITDA, para chegar ao lucro líquido, basta subtrair os impostos, depreciação, juros e amortização.

Portanto, é possível perceber a diferença entre a margem bruta, EBITDA e líquida.

Todas as margens calculam a porcentagem da receita que está sendo convertida em lucro, mas considerando diferentes visões do lucro da empresa.

O que a margem EBITDA indica para o investidor?

A margem EBITDA ou LAJIDA (Lucro antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortizações), é de certa forma, considerado como o potencial de geração de caixa da empresa.

A Margem EBITDA é um indicador de lucratividade operacional do negócio. Ou seja, aponta quanto de EBITDA (entenda como um sistema intermediário ao lucro operacional) é gerado a cada R$ 1,00 de receita líquida auferida pela organização.

Este é um indicador de desempenho exaustivamente acompanhado pelos analistas e participantes do Mercado Financeiro em geral.

Atente-se a empresas muito endividadas

Como vimos mais cedo, o EBITDA não leva em consideração os juros, impostos, depreciação e amortização.

Desta forma, o investidor deve ter atenção redobrada com empresas com um alto nível de endividamento.

Empresas com uma altas dívidas, normalmente, devem pagar altos juros. Ou seja, ignoram-se o cálculo da margem EBITDA.

É muito comum que algumas empresas evidenciem o resultado da sua margem EBITDA para atrair investidores.

Por isso, é essencial que você esteja atento ao endividamento da empresa.

Uma bom indicador fundamentalista para analisar o endividamento de uma empresa é “dívida bruta/patrimônio líquido”.

Desta maneira, é possível observar o quanto a dívida de um negócio representa do seu próprio patrimônio líquido.

Limitações da margem EBTIDA

Assim como qualquer outros indicador fundamentalista, a margem EBTIDA, por si só, não é suficiente para uma análise fundamentalista completa.

Por isso, discute-se as limitações da margem EBTIDA e as principais desvantagens situacionais desse indicador.

O primeiro ponto a se destacar é que, como há uma exclusão de gastos com dívidas e seus pagamentos, essa margem pode deixar de fora da análise pontos essenciais para uma análise, como o nível de endividamento de uma empresa.

É justamente por isso que, muitas vezes, empresas gostam de destacar suas margens EBTIDA para atrair investidores.

Nesse caso, é imprescindível checar o nível de endividamento da companhia e verificar se o indicador está ou não enviesado.

Dessa forma, além do ponto em que a margem EBTIDA pode estar enviesada, deve-se estar atento também a margem de lucro líquido.

Isto porque, a margem considera os gastos com juros, amortização e taxas. Ou seja, separam-se as margens líquidas e EBTIDA por um grande ou pequeno gap, a depender do nível de endividamento do negócio.

Margem EBTIDA para a análise de ações

Como ressaltado anteriormente, assim como todos indicadores fundamentalistas, não analisa-se a margem EBTIDA separadamente.

Isto porque, a margem EBTIDA representa a lucratividade operacional do negócio, mas não diz nada sobre outros pontos essenciais em uma análise de investimento.

Além da análise das margens de lucro, analisam-se outros indicadores sobre diversos aspectos da empresa, como:

  • Endividamento;
  • Rentabilidade;
  • Preço.

Endividamento

Avaliar o nível de endividamento de uma empresa é indispensável para um bom investimento em ações.

Assim, como a margem EBTIDA deixa de fora esse tipo de informação, é muito importante entender o nível de dívidas da empresa para poder analisá-la de forma eficiente.

Os principais indicadores, neste caso, são:

  • dívida bruta/patrimônio líquido;
  • EBTIDA/patrimônio líquido.

Lembrando que quanto menor, melhor será a situação financeira da empresa.

Rentabilidade

As margens de lucro apontam a lucratividade, mas existem outros indicadores que falam sobre a rentabilidade de um negócio.

Dessa maneira, apesar de parecer algo similar, ambos os conceitos possuem diferentes relevâncias para o seu investimentos.

Desta forma, para analisar o retorno sobre o capital investido pelo investidor, é inevitável analisar o ROE e ROIC da empresa.

Preço

Ainda existe os indicadores de preço, que podem trazer uma intuição se o preço do ativo está bom ou pode melhorar.

Neste caso, utiliza-se o indicador P/L ou se faz uma comparação simples entre o valor de mercado e o valor patrimonial da firma.

Assim, conhecendo todos esses campos da análise fundamentalista, o investidor pode evitar cair no erro de analisar a empresa sobre apenas um ou poucos aspectos.

Por isso, ao analisar o preço do ativo o investidor poderá compreender se a empresa está sendo precificada por um valor abaixo do que realmente vale.

Essa informação, certamente, não é suficiente para fundamentar uma decisão de compra. Afinal, o preço da ação pode está tão baixo por conta de uma série de resultados negativos e um alto nível de endividamento, por exemplo.

O mesmo vale para a análise feita olhando exclusivamente para a Margem EBTIDA. Dessa forma, utiliza-se esse indicador em análises, mas sozinho não é suficiente para o processo decisório de investimento.

Onde posso encontrar a margem EBITDA das empresas?

Quem está começando a investir, muitas vezes, não sabe qual o melhor canal para encontrar as informações financeiras das empresas.

Entretanto, analisar os indicadores financeiros e os múltiplos é um processo fundamental para a tomada de decisão de investimento.

Para ter acesso a estas informações, basta:

  • Entrar no site da empresa e procurar a área de relação com investidores;
  • Buscar pelas empresas no site fundamentus.

Por esses dois meios, você pode encontrar facilmente as informações financeiras importantes para o investidor.

Em contrapartida, analisar essas informações, principalmente se você for iniciante, pode não ser tão fácil quanto a tarefa de encontrá-los.

Por isso, é fundamental que você entenda melhor os demais indicadores financeiros e de mercado, e saiba como analisa-los de forma conjunta.

Lembrando que é sempre importante acompanhar de perto as empresas que você investe ou pretende investir.

Por fim, é importante que você tenha entendido o conceito da margem EBITDA e como usar esse conhecimento para analisar empresas, sempre se atentando ao nível de endividamento do negócio.

O que é a margem EBITDA?

A margem EBITDA está associada a razão do lucro antes de juros, depreciação, amortização e impostos pela receita líquida da empresa.

Qual a fórmula da margem EBITDA?

O cálculo da margem EBITDA pode ser executado mediante a seguinte fórmula: Margem EBITDA = (EBITDA / Receita líquida) x 100

Qual a função da margem EBITDA?

A principal função da margem EBITDA é operar como indicador de rentabilidade operacional das empresas.

Acesso rápido

Compartilhe:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Arthur Dantas Lemos

Arthur Dantas Lemos

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos