Home Blog Como o mercado acionário funciona?

Como o mercado acionário funciona?

mercado acionario

Um conceito simples, porém muito importante, é o mercado acionário. Se você quer ter mais rentabilidade nos investimentos, ampliar o conhecimento sobre a renda variável pode ser interessante.

O mercado acionário, ou o mercado de ações, é o ambiente no qual empresas de capital aberto negociam parcelas de seu patrimônio.

Em geral, as operações de compra e venda acontecem em uma bolsa de valores, mas também podem ocorrer em mercados de balcão.

O que são ações?

Em primeiro lugar, é interessante entender o que são ações. Uma ação representa a menor parcela do capital de uma empresa.

Dessa forma, quem compra ações de uma companhia ganha também os direitos, assim como os deveres, de um sócio.

Se for uma companhia aberta, registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), suas ações podem ser negociadas publicamente na bolsa de valores.

Uma das principais vantagens de se tornar acionista de uma empresa é poder se beneficiar de parte dos resultados que ela obtiver.

Sendo assim, quando uma companhia aberta tem lucro, parte dele é distribuída aos sócios na forma de dividendos, na proporção do número de ações que cada um tiver.

Além disso, o acionista pode ganhar com a possível valorização do preço dos papéis. Ela pode acontecer pelo desempenho financeiro da empresa e pelas perspectivas para o setor em que ela atua e para a economia.

Negociação no mercado acionário

A bolsa de valores é o local em que as compras e vendas de ações acontecem. Portanto, é nela que quem quer vender seus papéis encontra quem quer comprá-los.

Isso acontece por meio de sistemas sofisticados e processos padronizados para assegurar transparência e liquidez ao mercado.

No Brasil, atualmente, a única bolsa de valores existente é a B3, resultado da fusão entre as antigas Bovespa, BM&F e Cetip.

Pela sua importância, a B3 desenvolve e fornece sistemas, por exemplo, para:

  • Negociação de ações;
  • Derivativos de ações;
  • Títulos de renda fixa;
  • Títulos públicos federais,
  • Derivativos financeiros;
  • Moedas à vista;
  • Commodities agropecuárias.

Nas suas plataformas acontecem a listagem de ações e outros ativos, o registro, a compensação e a liquidação das compras e vendas feitas pelos investidores. Além disso, nela também é feita a divulgação de informações ao mercado.

Também faz parte das atividades da B3 gerenciar os riscos das operações. Por essa razão, ela atua como contraparte nos negócios.

O objetivo é assegurar aos investidores a oportunidade de se desfazerem das suas aplicações em ações quando precisarem ou quiserem.

Dessa forma, é possível oferecer liquidez ao mercado e estimular o interesse das pessoas para investir em ações das Companhias de capital aberto.

Quais os custos de investir no mercado de ações?

Existem alguns custos que podem surgir para o investidor dentro do mercado acionário. Dentre eles, estão, por exemplo:

  • Taxa de corretagem: valor cobrado pelas corretoras pelo acesso ao mercado. De acordo com a corretora, pode ser um percentual da operação ou um valor fixo;
  • Taxa de custódia: valor mensal cobrado pela guarda das ações pela BM&FBOVESPA e pelos serviços oferecidos pela corretora, que pode ou não ser cobrado pela instituição que você tem conta;
  • Emolumentos: taxa cobrada pela B3, que representa um valor percentual sobre o total do volume negociado;
  • Imposto de Renda: caso as vendas de ações sejam inferiores a R$ 20 mil dentro de um mês, ainda que o cliente tenha obtido lucro na operação, este não será tributado no IR. Para operações de maior valor, a alíquota sobre a valorização é de 15%.

Regulação do mercado acionário

O ambiente em que acontecem os negócios com ações é regulado por algumas entidades no País. Em primeiro lugar, está a CVM.  Suas principais funções são: disciplinar, fiscalizar e desenvolver o mercado de valores mobiliários no Brasil.

O objetivo da CVM é proteger os investidores de, por exemplo, emissões irregulares de valores mobiliários e atos ilegais de administradores e acionistas das companhias abertas.

Além disso, a comissão também age contra o uso de informação privilegiada não divulgada a todo o mercado acionário. Ainda, ela procura limitar modalidades de fraude ou manipulação que criem cenários artificiais de demanda, oferta ou preço das ações e outros ativos.

Outra entidade que atua na frente da regulação do mercado acionário é a BSM Supervisão de Mercados. Ela é uma empresa integrante da B3 e foi criada para fiscalizar os mercados administrados pela própria bolsa.

No geral, sua atuação envolve o monitoramento de operações, ofertas e negócios realizados na bolsa, a supervisão dos participantes e até o ressarcimento de prejuízos, além da aplicação de ações disciplinares a quem descumprir às regras do mercado.

Sendo assim, ela pode identificar violações nas negociações ou comportamentos anormais do mercado.

Além disso, a BSM Supervisão de Mercados também é quem administra o Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (MRP). Este último é responsável por devolver aos investidores até R$ 120 mil por perdas causadas pela ação de corretoras, distribuidoras ou agentes autônomos.

Vale lembrar que o MRP cobre prejuízos decorrentes de operações não realizadas conforme o solicitado, por exemplo. No entanto, não cobre perdas por conta dos movimentos naturais do mercado.

Atuação das corretoras de valores e distribuidoras

mercado acionario 2

Investidores não podem negociar ações direto no pregão da B3. Para se negociá-las, é preciso da ajuda de intermediários, como as corretoras de valores e das distribuidoras.

As corretoras e distribuidoras oferecem serviços variados a seus clientes, entre eles:

  • Suporte sobre o funcionamento da bolsa;
  • Dados sobre o mercado e relatórios de recomendação de ações;
  • Ferramentas como o home broker, que permite negociar ações pela internet;
  • Sistemas para análise de ações;
  • Informações sobre o recebimento de dividendos.

Papel das empresas no mercado acionário

As empresas são as grandes interessadas no mercado de capitais. Isso porque é na bolsa de valores que elas podem acessar os investidores com suas ações.

Dessa forma, para elas, emitir ações é, por exemplo, uma forma de levantar recursos para financiar grandes investimentos, promover projetos de expansão e ganhar mercado.

No entanto, elas precisam cumprir uma série de critérios para poder abrir o capital e participar da bolsa.

Por exemplo, as empresas precisam oferecer um elevado nível de transparência sobre suas informações financeiras.

Além disso, elas também precisam fornecer condições igualitárias de participação aos investidores, na proporção do tipo e da quantidade de ações que possuírem.

Papel dos investidores no mercado acionário

Em primeiro lugar, no mercado de ações, existem os investidores individuais ou investidores pessoas físicas, que compram ações com o objetivo de participar dos resultados das companhias emissoras. No entanto, eles não são os únicos.

Os investidores institucionais também têm um papel de destaque no mercado. São os fundos de pensão e fundos de investimento, que, no geral, movimentam grandes volumes de ações em cada operação.

No geral, como eles têm um patrimônio elevado para investir, é comum que cheguem a compartilhar o controle do capital das empresas emissoras com outros grandes acionistas.

Por último, outro grupo grande de investidores são os estrangeiros. São eles que trazem dinheiro para o país para aplicar nas ações brasileiras.

Cada um desses grupos de investidores tem objetivos específicos para suas aplicações dentro do mercado acionário.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *