Home Blog Método bola de neve: como funciona?

Método bola de neve: como funciona?

metodo bola de neve 2

O método bola de neve começou a se popularizar nos Estados Unidos. Ele foi criado pelo guru de finanças Dave Ramsey e tem ajudado diversas pessoas a sair no negativo e se educar financeiramente.

A estratégia do método bola de neve se divide em quatro passos. Para segui-los, é preciso bastante organização e comprometimento.

O princípio do método bola de neve é anotar todas as dívidas e se concentrar em uma de cada vez. Assim, cria-se um ciclo para pagar sempre o débito mais baixo.

Para entender como funciona o método bola de neve e aplicar na sua vida financeira, é preciso seguir 4 passos fundamentais:

1. Liste TODAS as suas dívidas, da maior para a menor

Para começar o processo, é preciso listar todas as suas dívidas existentes. Elas podem vir de:

  • Cartões de crédito;
  • Fiados em lojas e mercados;
  • Financiamento;
  • Empréstimos.

Após ter no papel todos os débitos, é preciso listar também seus juros e pagamentos mínimos. Por exemplo:

  1. Empréstimo = R$5000 (Pagamento mínimo R$100);
  2. Fatura do cartão = R$1000 (Pagamento mínimo de R$200);
  3. Financiamento do automóvel = R$500 (Pagamento mínimo R$150);
  4. “Fiado” na padaria = R$200 (Sem pagamento mínimo).

Mesmo que o método bola de neve original não inclua a anotação dos juros, para a realidade brasileira ela é extremamente necessária.

Isso ocorre porque, ao contrário dos EUA, onde os juros chegam a 18% ao ano, no Brasil eles chegam a mais de 300% ao ano. Por isso, a prioridade deve ser equilibrada entre o menor valor e maior juro.

2. Faça apenas o pagamento mínimo das dívidas, exceto a menor delas

O problema de fazer somente o pagamento mínimo dos débitos maiores no Brasil é que no final, o valor da dívida pode até triplicar.

Por isso, na nossa realidade, essa dica serve para aquelas dívidas com juros altos sobre pagamento mínimo.  Ou seja, no final de contas, o acaba precisando fazer o método ao contrário para se livrar dos altos juros.

Se torna vantajoso, portanto, anotar as dívidas dos maiores até os menores juros.

3. Pague o máximo que conseguir da menor dívida

Esse passo indica que ocorra o pagamento da menor dívida primeiro, para que seu valor seja usado no pagamento seguinte. Entretanto, como já foi dito, somente as dívidas com juros baixos podem ser pagas no futuro sem grandes prejuízos.

Ou seja, o “fiado” do exemplo, teria maior prioridade na lista. Dessa forma, após o valor estar disponível, ele poderia ser aplicado no pagamento de dívidas com maiores juros.

Mais uma vez, é preciso estar atento à realidade brasileira e adaptar as dicas aos juros e taxas cobradas no país.

4. Repita o ciclo até conseguir pagar tudo

Assim que eliminada a dívida menor, ela dá lugar ao próximo débito, até que todos sejam quitados.

Por isso esse método é chamado de bola de neve, já que se inicia com o valor pequeno. Depois, por sobrar mais dinheiro, esse pagamento vai aumentando até que elimine completamente a dívida e seus juros.

Existem diversas outras estratégias para a eliminação de dívidas. Por isso, se você deseja quitar dívidas com o método bola de neve, analise se ele se adapta à sua realidade e evite prejuízos maiores. Mais conteúdo? Acompanhe a nossa carta do fundador com insights diários!

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *