Home Blog Dificuldades para operar Mini dólar? Entenda como ele funciona

Dificuldades para operar Mini dólar? Entenda como ele funciona

Mini dólar 1

Minicontrato é uma das modalidades de investimentos, ele opera através do Mini Índice e Mini Dólar. Estes, funcionam de acordo com o mercado futuro. Dentro dos minicontratos, o míni índice pode ser mais acessível para quem deseja iniciar no universo avançado das aplicações de renda variável, já o mini dólar, por seu preço e fixagem no Dólar, requer uma cautela maior.

Os contratos de Mini Dólar são operados através da Bolsa de Valores e devido sua fixagem no dólar pode ser uma alternativa mais custosa e arriscada, porém, seus rendimentos podem ser bastante atrativos.

O que é Mini Dólar?

Criado em 2011, o Mini Dólar faz parte do Mercado Futuro. Essa aplicação é realizada pelos chamados minicontratos que podem ser encontrados na Bolsa de Valores, sendo baseado no valor das ações do dólar americano.

Os minicontratos são ativos que funcionam através da compra e venda de uma moeda, commodities ou índices que possuem datas para firmar compra ou venda futuramente. Eles são negociados pela Bolsa de Mercadorias e Futuro (BM&F), popularmente conhecida como Bolsa de Valores.

A taxa de câmbio do Mini Dólar é a relação entre as moedas Real e Dólar. Além disso, sua cotação sempre será variável. Pois, em investimentos como esse, o ganho ou perda de dinheiro sempre dependerá da valorização ou desvalorização do dólar e sua disponibilidade no mercado, que depende do fluxo de importação e exportação de bens e serviços dentro de um país.

Como funciona o Mercado Futuro?

Mini dólar 2

No Mercado Futuro podem ser feitas diversas operações com os mais variados riscos.

Nesta categoria existem especuladores chamados de Trader, que são pessoas capacitadas para analisar flutuações do mercado variável e quando uma operação vale a pena.

Em contrapartida, mesmo tendo esse perfil de menor aversão ao risco, estes investidores almejam operações com:

  • Baixo índice de riscos;
  • Retorno mais rápido;
  • Maior margem para lucro.

Então, ele é movimentado por compra e venda de um ativo que possui data futura para firmar o contrato, por isso, é chamado de Mercado Futuro.

Logo, a partir do momento que um investidor decide comprar um contrato futuro, ele se compromete a efetuar a compra na data de vencimento acordada, pelo valor preestabelecido.

Assim, um investidor pode proteger suas posições na Bolsa de Valores contra variações que possam levar a uma queda relativa dos preços.

Esta ação é chamada de hedge, que é uma estratégia utilizada para diminuir os riscos de um investimento neutralizando a posição de sua venda ou compra para que ela não varie. Assim, pode evitar perdas futuras em seus rendimentos.

Basicamente, imagine que você adquiriu uma ação por R$10 reais, ela subiu para R$12 e você “marcou a mercado futuro” uma venda por R$11, significa dizer que você fez está praticando hedge já que se a ação cair para R$9, você terá vendido por R$11.

Como operar Mini Dólar?

Um minicontrato de Mini Dólar deriva de um contrato cheio. Por isso, costumam ser mais acessíveis, principalmente, para pessoas físicas. Ele possui um contrato com lote mínimo para ser operado e representa uma fração do contrato futuro do dólar.

Por exemplo, uma pizza é o equivalente a um “contrato cheio” de dólar, já o mini dólar, seria equivalente a apenas uma fatia, ou seja, a fatia é mais acessível que uma pizza inteira.

Quando se trata de operações rápidas como Day Trade, o Mini Dólar pode ser uma decisão mais avançada e arriscada, pois tem volatilidade e liquidez. Mas, o investidor costuma obter lucro mais rápido que em aplicações com ações.

Geralmente, um contrato cheio de dólar vale em média U$ 50.000 (cinquenta mil dólares). Já o minicontrato do dólar custa o equivalente a U$ 10.000 (dez mil dólares).

Como ativos de minicontratos são pré-acordados, então, o primeiro dia útil do mês funciona como data de vencimento. Ou seja, eles são negociados sempre um mês antes da data do ativo vencer. No Brasil podem ser acordados na Bolsa de Valores das 9h às 18h.

Vale ressaltar que existe um ajuste diário na Bolsa de Valores e, desse modo é possível saber quem obteve lucro ou prejuízo. Então, o ajuste financeiro é feito automaticamente na conta dos investidores.

Código Mini Dólar (WDO)

O código para negociar Mini Dólar é representado pela sigla WDO seguido por letras que representam o mês e ano de vencimento do contrato.

Código de operação:

MêsCódigo
Janeiro       F
Fevereiro       G
Março       H
Abril       J
Maio       K
Junho       M
Julho       N
Agosto       K
Setembro       U
Outubro       V
Novembro       X
Dezembro       Z

Custo de operação

Existem cinco tipos de custos diferentes para operar Mini Dólar:

  1. Taxa de Corretagem: corretoras possuem uma taxa diferente para intermediar as operações entre o investidor e a Bolsa de Valores. Essas taxas podem ser: fixas ou variáveis.
  2. Emolumentos: cobradas pela BM&FBOVESPA e CBLC, estas são taxas de liquidação e negociação sobre o volume financeiro negociado.
  3. ISS: este é um imposto municipal que é pago junto à taxa de corretagem.
  4. Imposta de Renda (IR): esse imposto só é pago por investidores que possuem lucro acima de 20 mil reais em um contrato. Entretanto, o valor tem que ser descontado apenas em cima do lucro obtido.
  5. Taxa de custódia: é cobrada sobre o valor total da carteira de investimentos. Então, esse percentual pode aumentar conforme o valor investido aumenta.

No caso da taxa de corretagem, ela é cobrada pela corretora e pode aumentar à medida que os recursos financeiros também aumentam. Ou seja, o valor a ser pago depende da quantidade de contratos movimentados.

Além disso, se o investidor fizer uma boa compra ou venda e aumentar seus lucros, a corretora também ganhará proporcionalmente ao serviço prestado.

Já na corretagem fixa, o investidor paga o mesmo valor pela corretagem independente da quantidade de contratos que estão sendo movimentados.

Vale a pena investir em Mini Dólar?

Qualquer modalidade de aplicação em renda variável apresenta risco. Quando o investidor é avançado e experiente, fazer investimentos em ativos do Mercado Futuro pode se tornar mais atrativo.

Justamente, o Mini Dólar é a representação disso, um contrato que pode ser interessante por render mais rápido que ações. Mas, que não elimina a possibilidade de prejuízos. Por isso, é necessário ter cautela na hora de decidir sobre suas operações, por vezes, o melhor caminho é a diversificação de ativos, dependendo do seu perfil e dos recursos que você apresenta, pode ser que não faça sentido operar com mini dólar.

Escrito por

Especialista em Finanças Corporativas pela Fundação Getúlio Vargas. É formado pelo Programa de Profissionais do Mercado Financeiro da Bolsa de Valores de São Paulo e pelo Programa CVM de Professores para Mercado de Capitais, Avaliador de Empresas pela NACVA - National Association of Certified Valuators and Analysts (EUA). Fundou a Empreender Dinheiro para democratizar o acesso à Educação Financeira de Alto Poder Transformacional e já impactou diretamente mais de 50.000 pessoas em suas soluções educacionais.

Compartilhe conosco suas experiências

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *